Parlamento dos Jovens - Secundário


Edição 2019/2020

Escola

Agrupamento de Escolas de Anadia - Escola Básica e Secundária

Exposição de motivos

Estudos recentes indicam que cerca de 67% dos jovens das nossas escolas já estiveram associados a, pelo menos, um comportamento revelador de violência no namoro. Estamos a falar de perseguição, manipulação, violência sexual, violência através das redes sociais, violência psicológica e violência física e verbal. Este fenómeno permanece, infelizmente, um assunto tabu entre os jovens. Deste modo não há correspondência entre os casos reais e aqueles que são do conhecimento das autoridades. Significa isto que muitas vítimas, por terem medo do agressor ou vergonha da situação vivida, ainda se coíbem de denunciar o seu caso. Todos sabemos que o ditado popular “Entre marido e mulher, não metas a colher” não se deve aplicar a esta realidade. Todos temos o dever moral de denunciar estes comportamentos reprováveis, mas o desconhecimento de que tais denúncias podem ter caráter anónimo será muitas vezes impedimento para que muitas situações sejam reportadas. O aumento do número de denúncias não significa, no entanto, que os jovens estejam mais conscientes. A violência nunca pode ser uma forma de expressar amor por outra pessoa e nem sempre os jovens têm essa perceção. Todas as formas de violência no namoro têm como objetivo magoar, humilhar, controlar e assustar. É absolutamente necessário perceber esta ideia! Quem compreende tais atitudes de modo diferente não sabe o que é o namoro e muito menos sabe o que é o amor. Tal como se afirma na página do programa Escola Saudavelmente: Ser vítima de violência por parte de alguém com quem escolhemos namorar é uma experiência dolorosa e complicada de resolver. É preciso primeiro perceber que o que nos está a acontecer é violência e para nós é difícil acreditar e compreender que alguém que gosta de nós também é capaz de nos fazer mal. Muitas vezes, apesar dos maus-tratos, continuamos a gostar do nosso namorado/a. Podemos ter medo de não conseguirmos namorar outra pessoa ou temos vergonha de contar a alguém e pedir ajuda. Também podemos ter medo que ninguém acredite em nós, que nos façam ainda mais mal se contarmos ou que ninguém nos possa ajudar. A violência no namoro pode fazer-nos sentir muito sozinhos, assustados, envergonhados, culpados, inseguros, confusos, tristes e ansiosos. Mas é importante lembrarmo-nos que a violência NUNCA é aceitável. NUNCA, sob qualquer motivo, alguém tem o direito de ser violento/a connosco! A violência é uma forma errada de resolver os problemas e as dificuldades de um namoro. http://escolasaudavelmente.pt/alunos/adolescentes/amor/violência-no-namoro

Medida proposta 1.:

Aumento do financiamento, por parte do Estado, para apoio às vítimas de violência doméstica.

Medida proposta 2.:

Inclusão de aulas de autodefesa na disciplina de Educação Física, ou noutras Áreas Curriculares, a partir do 7º ano de escolaridade.

Medida proposta 3.:

Criação de um Fórum online e instalação de Caixas de Correio para denúncia anónima.