Parlamento dos Jovens - Secundário


Edição 2019/2020

Escola

ES das Laranjeiras

Exposição de motivos

Em pleno século XXI, os atos de violência doméstica e no namoro são praticados por ambos os géneros e em diferentes faixas etárias. Atualmente, desenvolveram-se centros de apoio às vítimas, mas ainda assim existem vítimas que têm um medo constante e uma grande insegurança face ao agressor. Outras ainda, têm vergonha e receio de se expor e pedir ajuda, além de apresentarem sinais de violência. Todavia, as vítimas necessitam de partilhar e interagir com outras, de modo a conseguirem ultrapassar os seus medos/ receios. Concluindo, a violência não é de modo nenhum uma maneira de demonstrar amor/ afeto por outro ser.

Medida proposta 1.:

«Chip Alerta» - Este chip é colocado no agressor e quando este se aproximar da vítima ela acionará um dispositivo em forma de anel, o qual avisará a polícia que o agressor esteve em contacto com a vítima.

Medida proposta 2.:

«Psicoroulote» - Apoio ambulatório às vítimas que têm vergonha/ receio em se expor. A vítima escolhe o melhor local para se encontrar com os profissionais que a vão ajudar.

Medida proposta 3.:

«Grupo de apoio às vítimas de violência doméstica/namoro» - Existência de um espaço onde um grupo de pessoas possa partilhar os mesmos problemas, sendo orientadas por um(a) psicólogo(a)