Parlamento dos Jovens - Secundário


Edição 2019/2020

Escola

ES Manuel de Arriaga

Exposição de motivos

O ser humano é um ser social por natureza, porém a sua essência e multiplicidade nem sempre resultaram numa (con)vivência saudável em sociedade. A evolução das sociedades trouxe uma maior complexidade às relações humanas, e, hoje, assistimos a uma grande mudança e degradação das condições de vida da população e consequentemente das relações entre as pessoas. Diariamente somos confrontados com situações de violência quer nos meios de comunicação social, quer nos átrios e corredores de estabelecimentos de ensino e, por vezes, em locais públicos. Deste modo, é necessário tomar uma atitude e é isso mesmo que pretendemos fazer, focando-nos no salvamento das relações humanas. Posto isto, consideramos necessário investir na prevenção, mas também na erradicação de comportamentos violentos. Temos urgentemente de minimizar os níveis de violência através da sensibilização junto dos jovens, enquanto potenciais promotores de relacionamentos saudáveis e conducentes à harmonia social. Neste sentido, defendemos como primeira medida a implementação de um clube de apoio à vítima com o objetivo de criar uma aliança de apoio entre as vítimas, entender as situações em que se encontram e prestar-lhes o apoio necessário. Para tal, realizar-se-iam sessões semanais abertas com a presença voluntária de outros jovens ou até parentes que já foram vítimas de violência doméstica a fim de dar o seu testemunho e assistir os jovens com base nas suas experiências, mostrando junto da população estudantil como assumir um papel interventivo nesta ação. Para além disso, consideramos essencial dinamizar um PROJETO + EU que teria como principal objetivo persuadir os jovens a serem mais eles próprios nas suas respetivas relações. Neste seguimento, pretendia-se que se pudesse expandir por todo o país. Não obstante, estaria mais presente nas escolas em diversos formatos, como aulas, campanhas, atividades didáticas, entre outras ações. Simultaneamente pretendia-se criar um fórum online onde as pessoas (maioritariamente as vítimas) pudessem comunicar de forma anónima, de modo a sentirem-se mais à vontade para falar sobre as suas situações, mostrando-lhes como assumir um papel interventivo nesta ação.

Medida proposta 1.:

Implementação de um clube de apoio à vítima nas escolas.

Medida proposta 2.:

Dinamização do PROJETO + EU em articulação com um fórum anónimo.

Medida proposta 3.:

A medida inicialmente proposta foi fundida com a anterior.