Parlamento dos Jovens - Secundário


Edição 2019/2020

Escola

Escola Básica de Prado, Vila Verde

Exposição de motivos

A problemática da violência doméstica tem vindo a aumentar e diz respeito a todas as faixas etárias. Alarga-se, cada vez mais, o leque das pessoas atingidas, desde os mais idosos aos mais novos. Já não pode ser ignorada e não se trata apenas de um assunto que diz respeito aos intervenientes diretos. Sendo um crime público, pode e deve ser denunciado por quem tem conhecimento ou presencia este tipo de atos. Neste sentido, é importante o contacto direto com as autoridades o mais rápido possível, principalmente por parte da vítima. Por isso, propomos a criação de uma aplicação para telemóvel que permita à vítima pedir auxílio imediato. Esta aplicação tornar-se-á mais eficaz, se a vítima já tiver feito anteriormente participação às autoridades e se o agressor já estiver identificado. Também a violência no namoro tem vindo a aumentar entre os mais novos. Em relação a esta problemática, pensamos que deve ser trabalhada nas escolas por parte dos Serviços de Psicologia. É necessário mudar as mentalidades de muitas das vítimas, uma vez que consideram natural, e mesmo prova de amor, qualquer proibição por parte do(a) namorado(a). O papel da psicóloga da escola é muito importante, pois pode desmistificar preconceitos e aconselhar as vítimas de violência no namoro. A(o)s alun(a)os confiam na Psicóloga pois não ficam sujeita(o)s a julgamentos ou a críticas como poderá acontecer se falarem com a família ou com os amigos.

Medida proposta 1.:

1. Criação de uma aplicação para telemóveis (Android/ iOS ), para que as vítimas possam contactar mais rapidamente as autoridades e pedir auxílio.

Medida proposta 2.:

2. Sessões com a psicóloga escolar para as vítimas de violência no namoro, a funcionar de forma semelhante às sessões de orientação vocacional.

Medida proposta 3.:

3. Colocação de uma caixa num espaço escolar onde os alunos, que possam estar a sofrer de violência no namoro, exponham por escrito a sua situação e à qual apenas a psicóloga da escola tenha acesso.