Parlamento dos Jovens - Secundário


Edição 2019/2020

Escola

Agrupamento de Escolas de Ílhavo

Exposição de motivos

No Agrupamento de Escolas de Ílhavo, Escola Secundária João Carlos Celestino Gomes, podemos encontrar professores dedicados e alunos que sonham voar alto; existem os mais variados projetos e clubes que desempenham um papel fundamental na nossa aprendizagem e no nosso crescimento enquanto cidadãos. Somos um Agrupamento de Escolas de referência bilingue, promovendo a inclusão de alunos surdos, acolhemos também muitos alunos vindos da Venezuela e Brasil bem como um conjunto de alunos de Etnia. Tudo isto nos desafia a viver o respeito perante as minorias. Para nos ajudar, a nossa escola está repleta de profissionais, professores, técnicos e funcionários que trabalham todos os dias com o objetivo de nos proporcionar o melhor possível e nos auxiliar em todas as situações. Neste sentido, perante o desafio deste ano do Parlamento dos Jovens, VIOLÊNCIA DOMÉSTICA E NO NAMORO, envolvemos mais de 200 alunos de uma forma ativa na reflexão do tema e construímos responsavelmente um conjunto de 10 listas para trabalhar neste projeto: Sensibilizar, refletir, consciencializar, mudar mentalidades é o desafio presente para nós escola e para nós jovens cidadãos de Portugal.

Medida proposta 1.:

Urge uma mudança de mentalidade face aos números e aos fatos, para tal, a nossa escola pretende reforçar a necessidade de se apostar na sensibilização, na reflexão e no debate face à violência em palavras, atitudes e atos, apostando num discurso de valorização e cuidado do outro, no respeito e no amor quer na Família, na Escola e na Sociedade.

Medida proposta 2.:

Criar um conjunto de dinamismos escolares que possam sair da escola, desafios que se concretizem em clubes, dinâmicas de projeto, debates e sessões para famílias e alunos podendo ser concretizadas em forma de espetáculos, música, dança, teatro ou e instalações artísticas.

Medida proposta 3.:

Pretendemos acolher os que sofrem de violência, reforçando e restaurando a sua auto estima e a sua dignidade; para isso propomos criar e reforçar as estruturas de apoio apoio para os sofrem de Violência Doméstica e para os que usam dela.