Parlamento dos Jovens - Secundário


Edição 2019/2020

Escola

Escola Básica de Ribeirão, Vila Nova de Famalicão

Exposição de motivos

Nas propostas por nós apresentadas pretendemos, não só combater, através de medidas concretas, a violência doméstica e no namoro, mas também agir de forma preventiva de forma a que esta triste realidade que assola o nosso país de forma avassaladora tenha, aquilo que graficamente queremos que seja, um decrescendo acentuado. Não se tratam de medidas simples, mas também acreditamos que o flagelo de que falamos não pode ser encarado como algo de simples solução. Através das medidas que iremos expor mostraremos que a intervenção deve ser precoce. Queremos intervir em tenra idade, quando as crianças chegam ao pré-escolar. Através das medidas expostas, pretendemos que a violência doméstica e no namoro diminua através de rastreio de situações de violência nas famílias feitas por profissionais utilizando testes de acordo com os métodos mais adequados a cada faixa etária, desde o pré-escolar até ao ensino superior queremos que todos saibam identificar e denunciem situações de violência. Acreditamos uma criança que não identifique uma situação de violência familiar poderá, mesmo sem ter consciência, replicar tais comportamentos nos outros. Queremos também sensibilizar toda a população através da criação de projetos e programas para exprimir melhor estas formas de violência de forma a diminuí-las. Por outro lado, Para os casos já existentes exigem uma resposta pronta e dura perante o agressor e sensível, acolhedora e segura para com as vítimas. Por isso propomos e futuros de violência propomos a criação de um gabinete especializado nas esquadras policiais para resolver estes problemas e para apoiar a vítima que tantas vezes sofrem durante anos e de forma silenciosa e solitária. É para nós assustador que os jovens considerem normais, como demonstram estudos recentes, atitudes de violência no namoro. Como é que isto se combate? Com ação, com formação e com sensibilização!

Medida proposta 1.:

Realização de protocolos entre a segurança social e os jardins de infância para rastreio de situações de violência.

Medida proposta 2.:

Criação de programas de sensibilização com diferentes atividades para cada faixa etária direcionada a toda a comunidade.

Medida proposta 3.:

Criação de um gabinete especializado nas esquadras policiais para resolver problemas de violência doméstica e no namoro e para apoio à vítima.