Parlamento dos Jovens - Secundário


Edição 2019/2020

Escola

Escola Básica de Eixo, Aveiro

Exposição de motivos

Atendendo ao contexto social, económico e cultural em que este agrupamento de escolas se insere, existem algumas evidências de que a violência doméstica e no namoro têm expressão na comunidade. Assim, preconiza-se, a montante, ações de sensibilização que visem informar e alertar para meios de prevenção desta pandemia social. Já a jusante, advoga-se a introdução de uma disciplina ou área disciplinar no currículo nacional que verse a temática da violência latus sensus. Esta disciplina deverá ser integrada logo no 1.º CEB, em que os conteúdos deverão ser apresentados de forma gradativa, consoante a faixa etária dos alunos. Dever-se-á, ainda, ter em linha de consideração que a elaboração do curriculum, desta área, poderia ser feita inter-ministerialmente (ou seja, o Ministério da Educação poderia associar-se ao Ministério da Justiça e/ou da Saúde). Na medida em que este fenómeno se alastra a todos os estratos sociais e faixas etárias, é de todo conveniente envolver as crianças e adolescentes o mais precocemente possível, pelo que os jogos didáticos associados à temática poderão funcionar como um meio de transmissão subtil e lúdico de conhecimentos subjacentes, que serão sempre um meio de congregar os diferentes elementos da família.

Medida proposta 1.:

Realizar ações de sensibilização, informação e prevenção junto da comunidade.

Medida proposta 2.:

Implementar uma disciplina/área disciplinar no curriculum nacional que verse diferentes variáveis da Violência.

Medida proposta 3.:

Criar jogos didáticos sobre a temática e destinados a crianças com idades compreendidas entre os 3 e os 10 anos.