Parlamento dos Jovens - Secundário


Edição 2018 (2018/2019)

Escola

Escola Básica e Secundária de Miranda do Douro

Exposição de motivos

Nesta edição do Parlamento dos Jovens foi-nos solicitada uma reflexão acerca das alterações climáticas e do aquecimento global. Hoje em dia, somos constantemente confrontados com estas ameaças ambientais, e apesar de as reconhecermos como problemas a que é necessário fazer frente, é, por vezes, difícil determinar medidas que as previnam ou diminuam o seu impacto. O degelo, a destruição de habitats, a subida do nível das águas do mar e a frequência crescente de fenómenos extremos são consequências do aumento da temperatura global que comprometem a qualidade de vida dos seres vivos e a sustentabilidade do planeta. É, por isso, urgente agir para garantir a sobrevivência das gerações vindouras e o bem-estar do planeta. Assim, assumindo que a emissão de GEE é uma das principais causas do aquecimento global, propomos duas medidas com a finalidade de minimizar o problema. Devido à elevada concentração de indústrias e serviços e, consequentemente, de população junto das grandes metrópoles, geram-se níveis de poluição muito elevados, nomeadamente pela emissão de gases que contribuirão para o agravamento do efeito de estufa.Assim, o ar em algumas cidades do mundo é mesmo irrespirável, e o sobreaquecimento do seu ambiente devido à retenção de gases de efeito de estufa agrava-se cada vez mais.Concluindo, se descentralizássemos os serviços das grandes cidades, o ar sobre elas não seria tão saturado, os recursos seriam mais equitativamente distribuídos e mais bem aproveitados e o efeito de estufa e consequente aquecimento resultante da concentração de GEE diminuiria, uma vez que a sua emissão seria mais dispersa. Constata-se hoje que a entrada de automóveis nos centros urbanos já começa a ser limitada, agora é preciso preparar as cidades para as restrições que tal medida implicará nos cidadãos que para lá se deslocam diariamente.Por isso, é necessário criar condições nos limites exteriores das cidades para o estacionamento dos automóveis que não são autorizados a circular no interior da cidade, assim como aumentar o número de transportes públicos disponíveis em circulação e a construção de ciclovias. Ao serem diminuídos os emissores de gases de efeito de estufa, para além de se promover um estilo de vida mais saudável e de se reduzir o clima de stress causado pelos engarrafamentos das grandes metrópoles, também as consequências da circulação de automóveis com emissão de poluentes para o efeito de estufa e aquecimento global seriam reduzidas.

Medida proposta 1.:

Descentralização de serviços e indústrias do litoral/grandes cidades para o interior.

Medida proposta 2.:

Construir parques de estacionamento de automóveis nos limites exteriores das grandes cidades.

Medida proposta 3.:

Propomos apenas duas medidas.