Parlamento dos Jovens - Secundário


Edição 2018 (2018/2019)

Escola

Escola Secundária da Trofa

Exposição de motivos

Medida 1 - Significa uma redução de cerca de 80% do consumo relativamente às lâmpadas incandescentes, apresentando durabilidade superior e redução de calor transmitido para a atmosfera. Medida 2 - A existência de espaços verdes assume a importância fundamental na melhoria da qualidade de vida das populações não só porque permite alcançar o equilíbrio ecológico das paisagens urbanas, mas também tem um efeito compensador, relaxante e indutor do convívio social e possibilita um crescimento físico e psíquico equilibrado das crianças e jovens. Principalmente nas cidades médias industrializadas é importante surgir o conceito de “pulmão verde”, ou seja, o espaço verde com dimensão suficiente para produzir o oxigénio necessário à compensação das atmosferas poluídas. No que respeita aos telhados verdes estes possibilitam ainda a melhoria do isolamento das habitações, melhor retenção da água da chuva. Medida 3 - Apesar de Portugal ter visto o fim das lixeiras com a maior participação dos portugueses na reciclagem, a recolha seletiva, de acordo com a meta europeia, devia rondar os 30%, no entanto o nosso país apenas faz chegar a esses ecocentros 13%. Nem os 206 milhões de euros investidos nessa área fizeram com que a percentagem da reciclagem subisse. Essa pouca adesão deve-se ao facto da população não estar bem informada sobre o assunto “reciclagem”. E para combater esta situação, é necessário incentivar, informar e esclarecer os cidadãos. A cada ano que passa, milhares de toneladas de resíduos são produzidas, e desses resíduos, em Portugal, a taxa de reciclagem é de apenas 38%, estando longe da meta da Comissão Europeia de 50% em 2020. Para nos aproximarmos do êxito da reciclagem, fazê-la em casa será um bom começo. Sendo o nosso mundo bastante sedentário, será muito mais compensador se forem distribuídos contentores de separação por cada habitação, como, por exemplo, acontece na cidade da Maia, com o projeto “Ecoponto em Casa”, iniciado em 2012. Os resíduos são recolhidos de acordo com horários feitos por cada município. É um projeto promissor e inovador no qual 85% da cidade da Maia aderiu, e os restantes 15%, onde não foi possível distribuir os contentores, deslocam-se aos restantes caixotes de reciclagem públicos. Este projeto não para de bater recordes, e em outubro de 2018 voltou a fazê-lo, com a maior quantidade de resíduos reciclados na Maia. Posto isto, os restantes municípios portugueses deviam seguir o mesmo caminho, para ver os 50% possíveis e ficar entre os sucessos da união europeia. Propomos também a distribuição de compostores para pessoas interessadas, para que o cidadão tivesse a oportunidade de criar estrume com os seus restos alimentares para poder, eventualmente, criar uma horta biológica na sua casa. Estas medidas devem ser alargadas aos estabelecimentos de restauração.

Medida proposta 1.:

Substituição da iluminação pública por lâmpadas LED.

Medida proposta 2.:

Apoiar financeiramente os municípios para aumento de espaços verdes, nomeadamente no que concerne à instalação de telhados verdes.

Medida proposta 3.:

Distribuição gratuita pelos particulares e pelos estabelecimentos de restauração de caixas de compostagem e caixotes do lixo diferenciados, para incentivar a separação dos lixos. Desta forma aumentam-se os recursos para reciclagem e o lixo orgânico pode ser transformado em adubo.