Parlamento dos Jovens - Secundário


Edição 2018 (2018/2019)

Escola

Escola Profissional de Viticultura e Enologia da Bairrada

Exposição de motivos

A discussão deste tema, por sugestão do grupo responsável pelo projeto, decorreu nas aulas de área de integração, uma disciplina que compreende vários temas da atualidade, sendo o do desenvolvimento sustentável, um deles. Esta escolha deveu-se ao facto de se pretender envolver todos os alunos da comunidade escolar nesta iniciativa, e sendo esta disciplina, transversal a todas as turmas foi possível que os alunos se envolvessem e participassem nesta atividade, que contou com a presença das docentes de biologia e física e química, que realizaram uma breve abordagem acerca da temática. A Escola há cerca quatro anos encontra-se envolvida no Projeto Eco-escolas, dinamizando para o efeito várias atividades de consciencialização dos alunos para as questões ambientais. A nossa escola pretende ajudar a combater as alterações climáticas, mudando comportamentos para tornar o nosso planeta um lugar melhor. Para isso propõe três medidas: A primeira medida consiste em garantir a existência de uma percentagem fixa de solo disponível (não impermeabilizado), de implementação pelas Câmaras Municipais, tendo em conta que cada autarca deverá conhecer a sua Terra. Com esta medida iremos conseguir uma maior quantidade de solo disponível, com possibilidade de termos mais plantas, e assim, conseguirmos uma maior quantidade de oxigénio para a atmosfera. Iremos ainda reduzir o risco de cheias, o que diminui a poluição e os estragos para as populações. Conseguiríamos ainda que as águas fossem conduzidas de modo mais natural e eficiente, o que promoveria uma maior rentabilização do ciclo da água e deste recurso natural. A segunda medida reside numa aposta contínua de utilização das energias renováveis, em detrimento das energias fósseis, tendo em conta que os recursos fósseis são finitos e provocam danos irreversíveis ao nosso planeta. As energias renováveis são amigas do ambiente, pois não alteram as condições da natureza e do planeta, assim como não emitem gases nocivos que provocam o efeito estufa. Também permitem a rentabilização da eficiência energética, possibilitando acumular energia e diminuir o seu consumo comparativamente com os outros para a mesma situação. A terceira medida será criar uma linha telefónica “ambiente”, de modo que cada habitante pudesse alertar para situações que prejudiquem o mesmo. Essa linha seria direcionada a cada freguesia, com o objetivo desta ou a respetiva Câmara Municipal tomarem conhecimento atempado de situações, podendo agir com maior rapidez e eficiência. A finalidade será sempre a de sensibilizar e formar os cidadãos, sem os penalizar. Desta forma, seria possível evitar o degradar de situações, que com o passar do tempo provocam, cada vez, consequências maiores para o ambiente e para as populações. Quanto ao tema para o próximo ano letivo, a sugestão, e a propósito das Jornadas Mundiais da Juventude, a realizar em Portugal, no ano de 2022, é "A importância dos valores religiosos na construção da sociedade".

Medida proposta 1.:

Garantir uma percentagem de solo disponível (não impermeabilizado), sendo essa medida implementada pelas autarquias, tendo em conta que cada autarca deverá conhecer o seu território;

Medida proposta 2.:

Aposta contínua na utilização de energias renováveis, em detrimento de energias fósseis;

Medida proposta 3.:

Criação e divulgação de uma linha telefónica de alerta por freguesia ou Câmara Municipal, de modo que cada habitante possa denunciar situações maléficas para o ambiente, protegendo-o.