Parlamento dos Jovens - Secundário


Edição 2018 (2018/2019)

Escola

Escola Secundária de Fundão

Exposição de motivos

O Aquecimento Global é um problema que afeta todos nós, qualquer que seja o lugar onde vivemos. Tendo em consideração esta problemática o Parlamento dos Jovens tem como tema este ano, “ Alterações Climáticas: Reverter o Aquecimento Global”. Apesar de ser um tema bastante debatido entre os líderes dos diferentes países, a temperatura à superfície da terra continua a aumentar, sendo que nos últimos cem anos aumentou 0,7°C. Deste modo, é necessário tomar medidas urgentes para reverter o aquecimento global. A utilização excessiva de combustíveis fósseis para a produção de energia, constitui um dos problemas desta temática. A produção de energia através destes meios liberta gases tóxicos para a atmosfera, o que torna estes combustíveis uma ameaça para o ser humano. Deste modo, o uso de energias renováveis seria uma alternativa possível para a produção de energia de uma forma mais sustentável. No que toca a infraestruturas comerciais e industriais de grandes e médias dimensões seria benéfico obrigar estas empresas a produzirem a sua própria energia de uma forma sustentável, visto que os seus gastos energéticos são bastante elevados. Outro problema que está na origem das alterações climáticas é o lixo orgânico produzido, assim como o consumismo, que obriga a produção de enormes quantidades de energia e a utilização de elevadas quantidades de matérias-primas. Os aterros estão cheios e a produção de bens que constituirão posteriormente resíduos sólidos não para. No entanto, esses bens são essenciais à qualidade de vida da população não podendo, por isso, ser cessada a sua produção, portanto, a solução passa por arranjar maneiras de levar as pessoas a reciclar e de certa forma, a reutilizar os seus resíduos e também a modificar as suas atitudes. Como as medidas entretanto adotadas para combater esta forma de poluição em Portugal não têm tido a eficácia pretendida, seria interessante pegar em ideias como a da utilização de contentores inteligentes (já feitas em alguns projetos-piloto no país e na Europa) que reduzem o imposto sobre os resíduos sólidos presente na fatura da água, isto porque se iria estar a incentivar a população a reciclar. Com base nestes dois aspetos abordados no texto, propomos as três medidas a baixo redigidas, que têm como objetivo pensar globalmente, agindo localmente.

Medida proposta 1.:

Estabelecer, a longo prazo, que infraestruturas comerciais e industriais de grandes e médias dimensões contenham na sua base de consumo energético 50% de consumo proveniente de energias renováveis próprias.

Medida proposta 2.:

Implementação de contentores inteligentes, que conforme o que cada agregado recicla, permitam reduzir, proporcionalmente, a taxa existente sobre os resíduos sólidos na fatura da água.

Medida proposta 3.:

Aposta na eficácia, organização e desenvolvimento da rede de transportes públicos, em Portugal.