Parlamento dos Jovens - Secundário


Edição 2018 (2018/2019)

Escola

Escola Básica e Secundária de Fornos de Algodres

Exposição de motivos

Estando nós no século XXI, estamos perante um dos problemas mais premente da atualidade, as alterações climáticas e, dentro destes o do aquecimento global. Temos mais do que nunca o conhecimento das suas causas e das formas de minorar esse problema à escala mundial. Nós, jovens, não podemos esperar que outros venham resolver, por nós, este problema, pelo que devemos ser nós a deixarmo-nos de conversas e de desculpas, visto que, o que nós fizermos hoje pelo nosso planeta, estaremos a fazer pelo nosso futuro, pelo planeta e pela vida neste. Assim, nós somos a última esperança e temos que ser nós, pelas nossas acções, a proteger este planeta, sendo para isso necessário criar uma consciência colectiva promotora da mudança. Deste modo, em vez de esperarmos pelas decisões políticas e governamentais, devemos, hoje mesmo, começar a implementar medidas a nível escolar. A escola é a nossa casa e, para nós, não faz sentido implementar medidas nacionalmente se não o fizermos primeiro localmente. Consequentemente, apresentamos três propostas de projetos-lei, que acreditamos irão, por um lado, ajudar a formar jovens cidadãos conscientes e intervenientes e, por outro lado, terão impactos significativos, a médio e longo prazo, na reversão dos efeitos do aquecimento global. Através da primeira medida, pretende-se sensibilizar os alunos e a respectiva comunidade escolar para os problemas reais do meio ambiente e, desta forma, melhorar a nossa qualidade de vida e fomentar a participação cívica ativa e competitividade positiva entre escolas. Relativamente à segunda medida, o grande objetivo é fortalecer a capacidade de intervenção dos jovens na resolução dos problemas ambientais locais. Finalmente, a terceira medida implica o desenvolvimento de campanhas de sensibilização e promoção de ações junto do mundo empresarial, tendentes à redução de utilização de materiais plásticos.

Medida proposta 1.:

1. Estabelecimento de um Índice de Responsabilidade Eco-Social da escola na relação com a comunidade através da implementação de um Ranking Nacional Escolar “Folhas Douradas”, na qual se refletiria o envolvimento consciente da comunidade escolar no seio da sociedade.

Medida proposta 2.:

2. Realização de um protocolo de cooperação entre as escolas e os municípios com vista a reflorestar as zonas afetadas pelos incêndios com plantas autóctones dessas mesmas zonas.

Medida proposta 3.:

3. Sensibilizar as empresas a promover a redução máxima de utilização de plásticos no pro-cesso de embalamento dos produtos, já que a poluição por plástico em rios, mares e solos é cada vez maior e o seu processo de decomposição emite gases nocivos para a atmosfera.