Parlamento dos Jovens - Secundário


Edição 2018 (2018/2019)

Escola

Escola Profissional e Tecnológica PROFENSINO

Exposição de motivos

Alterações Climáticas – Reverter o Aquecimento Global “De acordo com a Convenção Quadro das Nações Unidas para as Alterações Climáticas, assinada na Conferência das Nações Unidas para o Meio Ambiente e Desenvolvimento ou “Cimeira da Terra” (Rio de Janeiro, 1992), «Alteração climática» significa uma modificação no clima atribuível, direta ou indiretamente, à atividade humana que altera a composição da atmosfera global e que, conjugada com as variações climáticas naturais, é observada durante períodos de tempo comparáveis. Assim, quando nos referimos às alterações climáticas e suas consequências sobre os recursos do planeta, estamos a pensar nas alterações que derivam da ação humana, isto é, as alterações climáticas antropogénicas”: •Aquecimento Global; •Diferenças entre Efeito Estufa e Aquecimento Global; •Causas do aquecimento global; •Consequências do aquecimento global; •Ação internacional no combate às alterações climáticas. Assim, importa identificar, compreender e explicar os fenómenos atrás descritos através de medidas que possam reverter o aquecimento global. É deveras urgente que a humanidade compreenda esta problemática, pois o futuro é nosso, é de todos e para todos, mas mais importante ainda é o considerar o futuro das gerações vindouras. Deste modo, um conjunto de alterações profundas impõe-se a distintos níveis: discussão empírica (medida 1); sensibilização social e cultural (medida 2); ação concreta do quotidiana (medida 3).

Medida proposta 1.:

Como podem as políticas nacionais, dentro do quadro político e económico da UE para o ambiente, incentivar à diminuição das emissões de gases com efeito de estufa? Portugal adotou o Quadro Estratégico para a Política Climática (QEPiC), que tem como visão “o desenvolvimento de uma economia competitiva, resiliente e de baixo carbono, estabelecendo um novo paradigma de desenvolvimento para Portugal num contexto de Crescimento Verde” (…).

Medida proposta 2.:

Como podem as políticas nacionais prevenir e preparar-se para as catástrofes como a seca ou as inundações, os incêndios? (…) O Governo de Portugal estabeleceu, nesse contexto, como principais orientações para fazer face às alterações climáticas o reforço da resiliência e capacidade de adaptação a riscos climáticos e a catástrofes naturais, a adaptação às alterações climáticas nas políticas, estratégias e planeamentos nacionais (…).

Medida proposta 3.:

Reinvenção inteligente das cidades para “Pensar globalmente, agir localmente”. As Smart Cities. (…) a medida proposta, em forma de Smart City, representa 5 etapas para e na forma de replicação e proliferação deste projeto cívico, “pensar globalmente, agir localmente”, pretende identificar a necessidade de alertar as pessoas para o aquecimento global, numa tentativa de explicar que através da Smart City é possível ajudar a reverter esta situação preocupante.