Parlamento dos Jovens - Secundário


Edição 2018 (2018/2019)

Escola

Escola Secundária Eça de Queirós, Póvoa de Varzim

Exposição de motivos

Nos dias de hoje constatamos uma falta de interesse dos jovens na «coisa pública». É para nós preocupante este desinteresse e os altos de níveis de abstenção que observamos nas eleições em Portugal. Temos como objectivo contrariar esta tendência, mostrando que os jovens não são todos iguais e que existe, também, gente que quer provar que a nossa geração não está politicamente morta, que valoriza o esforço dos antepassados para obter este direito de intervenção pública. Não olhamos apenas para nós, mas também para os problemas do mundo que nos rodeia. A temática proposta é sem duvida desafiante já que os problemas ambientais afetam-nos mais a nós e às gerações vindouras do que a actual geração política. É crucial agirmos imediatamente para salvarmos o planeta, enquanto ainda há tempo. É importantíssimo fazer algo para assegurar o futuro daqueles que perpetuarão o nosso legado. É necessário garantir a manutenção da qualidade de vida dos nossos descendentes. O debate com o deputado da Assembleia da República decorreu no auditório da escola tendo sido muito profícuo e enriquecedor na perspectiva de esclarecer dúvidas sobre o funcionamento das instituições e organizações políticas. Também na escola foi possível com os professores discutir e aprofundar algumas das temáticas.

Medida proposta 1.:

Apostar em transportes públicos e ciclovia. Este investimento é eficaz devido às vantagens ambientais no que respeita à redução das emissões de gases de efeito de estufa mas também pelas repercussões positivas na saúde pública. Temos assistido no nosso país, às mortes provocadas pelas doenças respiratórias. A nossa medida permite reduzi-los e por isso o investimento em transportes públicos poderá ser compensado com a poupança na despesa pública no SNS para além das vantagens sociais.

Medida proposta 2.:

Fiscalização mais apertada das normas ambientais das empresas e aumento das coimas. Assistimos a casos grosseiros de falta de fiscalização ou inadequada (ex. descargas no Tejo) pelo que para garantir o cumprimento das normas de emissões de gases é necessário apertar a fiscalização. Por vezes as multas são tão reduzidas que as empresas preferem pagar a multa do que os necessários investimentos para cumprir estas normas justificando por isso o aumento das coimas.

Medida proposta 3.:

Maior apoio à investigação científica. Propomos uma gestão mais organizada e sustentável dos recursos financeiros do Estado, de forma a que parte do capital usado em certas áreas seja utilizado para criar um fundo de investigação cientifica na área do ambiente e alterações climáticas. Este investimento permitirá adquirir novas tecnologias que irão ajudar as instituições, tornando, assim, Portugal um país cientificamente mais evoluído, no combate às alterações climáticas.