Parlamento dos Jovens - Secundário


Edição 2018 (2018/2019)

Escola

Escola Profissional de Esposende

Exposição de motivos

1. Com a melhoria no que toca aos transportes públicos, decidimos fazer com que, gradualmente, todos os transportes públicos sejam movidos simplesmente a gás natural, substituindo combustíveis a gasóleo ou gasolina. Esta atitude está já a ser tomada em conta pela cidade do Porto, onde a STCP – Sociedade de Transportes Coletivos do Porto iniciou a 20 de abril de 2018 o "Início da Operação na Rede STCP dos autocarros 100% elétricos e da nova geração de autocarros movidos a gás natural” colocando, numa primeira fase, três veículos em circulação (dois elétricos e um a gás natural comprimido), viaturas que têm vindo a aumentar até ao presente. No entanto, estes números são apenas algo meramente simbólico, visto que há centenas de autocarros apenas no distrito. O objetivo é, acima de tudo, implementar esta norma a nível nacional, e ter apenas transportes 100% amigos do ambiente em todos os distritos até ao ano 2025. 2. Estes postos de reciclagem funcionarão como centrais de entrega de resíduos recicláveis. Passemos a uma breve explicação acerca de como isto poderá vir a funcionar. Junto a cada junta freguesia, haverá um espaço destinado a este mesmo fim, onde encontraremos trabalhadores da própria junta para nos receber. Entregamos sacos com os nossos materiais recicláveis (papel, plástico, vidro, etc.; tal como faríamos em qualquer ecoponto), os quais serão pesados. Os cidadãos que assim o fizerem e entregarem o seu lixo a estes postos, irão receber uma remuneração, que poderá tanto ser monetária (valor de acordo com o peso), como através de cupões em supermercados. Todo o lixo será, posteriormente, entregue a uma central de recolha por parte deste posto. Esta medida aumentará postos de trabalho, com a necessidade de funcionários a supervisionar e verificar as quantidades. Será ainda um incentivo para os cidadãos, tornando-os, assim, mais dispostos a fazer a separação do lixo e a devida entrega, com uma recompensa à sua espera. 3. A partir da data da implementação desta mesma lei, passará a ser obrigatório que todos os edifícios construídos de raiz usem energias renováveis. Tendo em conta e estando conscientes dos custos iniciais que isto requer, que são bastante elevados, propomos que o Estado cubra parte do valor, ou, como alternativa, reduza impostos como o IMI aos cidadãos que optem por estas opções. Falamos de energia das ondas, já usada na Póvoa de Varzim; energia geotérmica, comum no arquipélago dos Açores; e da energia solar, que sendo já bastante utilizada, ainda não é o suficiente. Precisamos de motivar os cidadãos para que haja uma diferença significativa nos resultados.

Medida proposta 1.:

Melhoria nos transportes públicos e mais ciclovias nas cidades.

Medida proposta 2.:

Criação de postos/centrais de reciclagem.

Medida proposta 3.:

Maior aposta nas energias renováveis.