Parlamento dos Jovens - Secundário


Edição 2018 (2018/2019)

Escola

Escola Secundária Jaime Moniz

Exposição de motivos

O aquecimento global é, cada vez mais, um assunto incontornável, já que é considerado por muitos o problema mais premente do século XXI, com consequências que poderão ser devastadoras para o planeta e, consequentemente, para toda a vida aí existente. Essas consequências são já visíveis e poderão tornar-se ainda mais graves já nas próximas décadas. Assistimos, em todo o globo, a desastres naturais, de incêndios a inundações, de tempestades tropicais ao degelo dos glaciares, que representam uma ameaça à sustentabilidade e sobrevivência do próprio planeta. A este respeito, a Organização Mundial da Saúde (OMS) prevê que as alterações climáticas podem causar cerca de 250 mil mortes por ano entre 2030 e 2050 e especialistas do PIAC – Painel Intergovernamental para as Alterações Climáticas das Nações Unidas – alertam para o facto de o planeta ter até 2030 para travar o aquecimento global, sob pena de vir a sofrer consequências catastróficas. O crescimento exponencial da população exige mais e mais de um planeta cada vez mais defraudado, delapidando, a um ritmo alucinante, os seus recursos naturais. Note-se que, em 2017, a Humanidade atingiu o limite do uso sustentável de recursos naturais disponíveis para esse ano no dia 2 de agosto – o chamado “Overshoot Day”. Quer isto dizer que, nos cinco meses seguintes, vivemos a “crédito”. No ano 2018, o Overshoot Day ocorreu um dia mais cedo, ou seja, no dia 1 de agosto. O total dos recursos renováveis consumidos nunca tinha sido atingido tão cedo desde que a data começou a ser assinalada, nos anos 1970, quando o total só era consumido a 29 de dezembro. Além disso, e tornando o problema ainda maior, o dióxido de carbono libertado na atmosfera é muito superior ao que os oceanos e florestas conseguem absorver. Neste momento, e de acordo com a GFN – Global Footprint Network, seriam necessárias 1,7 Terras para sustentar o atual nível estimado de recursos necessários às atividades humanas. É, pois, urgente que as pessoas, os governos e a comunidade em geral repensem as suas ações e que sejam tomadas medidas efetivas e eficazes no combate a esta calamidade global, de forma a proteger as florestas, oceanos, vida selvagem e recursos de água doce, ajudando, assim, a alcançar o desenvolvimento sustentável.

Medida proposta 1.:

Proibição da circulação automóvel a veículos anteriores a 1998, nos centros urbanos, durante os dias úteis.

Medida proposta 2.:

Fomentar o uso de energias renováveis, nomeadamente a implementação de mecanismos de produção de energia a partir da força das ondas (ondomotriz).

Medida proposta 3.:

Benefícios fiscais para produtores regionais que garantam práticas de produção sustentáveis.