Parlamento dos Jovens - Secundário


Edição 2018 (2018/2019)

Escola

Escola Básica e Secundária Dr. Manuel Ribeiro Ferreira, Alvaiázere

Exposição de motivos

Medida 1 Um modelo eco sustentável e inteligente permite reduzir o consumo de energias poluentes, reduzir as emissões de GEE e a gestão de águas pluviais, o que gerará uma maior qualidade de vida. A redução do consumo de energias poluentes é assegurada com a utilização de luzes LED amarelas alimentadas a energia solar e/ou eólica. As emissões de GEE podem ser reduzidas através da aplicação de cimento ecológico nas estradas, que permite absorver os GEE da área envolvente, reduzindo a poluição atmosférica local. É uma alternativa ao alcatrão utilizado na pavimentação das ruas comuns que contém produtos tóxicos e cancerígenos e é mais caro. Os passeios e ciclovias largos e amplos são pavimentados com materiais reciclados. A aplicação deste modelo de rua seria levada a cabo pelas entidades competentes, (nas estradas municipais pela autarquia e nas estradas nacionais pelo Governo). Medida 2 Aposta num modelo ecológico e sustentável de construção de edifícios de forma a diminuir o consumo energético, aumentar a utilização de energias renováveis e a reutilização de recursos nos edifícios e a consequente diminuição das emissões de GEE. A arquitetura sustentável, também conhecida como arquitetura verde e eco arquitetura, é uma maneira de conceber um projeto arquitetónico de forma sustentável, procurando otimizar recursos naturais e sistemas de edificação que de tal modo minimizem o impacto ambiental dos edifícios sobre o meio-ambiente e seus habitantes. A tecnologia permite transformar o telhado num ambiente agradável e com o objetivo de reduzir os impactos ambientais. A criação de um telhado verde numa habitação tem múltiplos benefícios para a diminuição do aquecimento global, as plantas têm a capacidade de absorver CO2 e produzir O2, regulam a humidade em volta do edifício e consequentemente a temperatura torna se constante. Por funcionar como um isolante térmico, ajudando a manter a temperatura ambiente, esse telhado melhora significativamente a qualidade do ar e do ambiente, contribuindo para a economia de energia elétrica, já que o uso de ar condicionado se torna desnecessário por exemplo. A durabilidade destes telhados é superior à dos telhados convencionais obtendo se assim um melhor aproveitamento de recursos. Medida 3 Consideramos que num período caracterizado pelo sedentarismo, os ginásios alcançaram um elevado nível de popularidade e o número de infraestruturas ligadas a esta atividade e o seu número de utilizadores tende a aumentar. Para além desta realidade, haverá um incentivo para os utilizadores dos espaços referidos. Estes beneficiarão de uma diminuição na sua mensalidade. Esta redução terá em conta a quantidade de energia produzida por cada utilizador, sendo que não podemos descurar a intervenção financeira que o Estado deverá ter e que poderá passar, por exemplo, pelo investimento parcial a fundo perdido e benefícios fiscais.

Medida proposta 1.:

Adotar um modelo inteligente e sustentável de ruas e estradas em Portugal.

Medida proposta 2.:

Implementar um novo modelo sustentável e ecológico na construção de edifícios, apostando na implementação de telhados verdes.

Medida proposta 3.:

Equipar os ginásios e outros espaços que o permitam, com aparelhos apetrechados com dínamos que abarquem aptidão para armazenar a energia mecânica, gerada através da prática do exercício físico, transformando-a em energia eléctrica, enviando-a para centrais especializadas para o efeito e posterior distribuição à comunidade local e sustento da própria infraestrutura.