Parlamento dos Jovens - Secundário


Edição 2018 (2018/2019)

Escola

Escola Profissional de Comércio do Porto

Exposição de motivos

A primeira medida “Incrementar a utilização de mais e melhores transportes públicos movidos a biocombustíveis e fomentar a utilização de viaturas elétricas” visa diminuir a poluição atmosférica causada pela emissão de dióxido de carbono dos veículos automóveis, que nos meios urbanos são de uso individual. Esta medida terá como consequências a diminuição de petróleo, recurso finito, altamente poluente e um maior investimento nas tecnologias limpas. Dotar as empresas de transportes publicas e privadas, assim como particulares de incentivos fiscais na utilização de automóveis elétricos. A segunda medida “Diminuir o consumo de carnes vermelhas” pretende consciencializar para o consumo exagerado de carnes vermelhas, em primeiro lugar prejudicial à saúde dos indivíduos, generalizando-se nas sociedades mais industrializadas numa questão de saúde pública, e em consequência acarreta elevados gastos no tratamento de doenças cardiovasculares. Simultaneamente, provoca graves impactos ambientais pela emissão de metano, segundo maior contribuinte ao aquecimento global, proveniente do processo de digestão dos animais. Se os cidadãos consumirem menos carnes vermelhas, as corporações industriais, produzirão menos, pois não vendem o que pretenderiam, para não ter prejuízo. Portanto, a sensibilização junto da população mundial, fará todo o sentido. A terceira medida “Criar uma rede de vigilância às florestas sob a responsabilidade das autarquias, de modo a evitar os incêndios, envolvendo todos os cidadãos que recebem apoios financeiros do Estado e, que assim tornariam a sua vida mais útil para a sociedade de que fazem parte (recetores de prestações sociais e voluntários)” pretende comprometer o Estado e a sociedade civil na defesa da floresta. Esta é uma parte muito importante do nosso ecossistema, constituindo um elemento fundamental para o seu equilíbrio. A floresta ocupa a segunda maior parte da superfície da terra. Também as atividades ligadas a ela representam 3% do lucro da economia, ou seja, 3100 milhões de euros. Com o seu desaparecimento, o lucro deixará de colaborar para uma saudável economia nacional, trazendo implicações sociais pois mais de 160 000 pessoas estão empregues em áreas relacionadas com a floresta. A nível ambiental, o declínio florestal em Portugal diminui a biodiversidade, pondo algumas espécies em perigo e levando a que outras desapareçam por completo do nosso país. As áreas que sofreram desflorestação rapidamente se tornam secas. Por outro lado, a emissão de dióxido de carbono será maior, e também menor será o dióxido de carbono fixado pelas plantas e no solo, já que não existirão plantas para fazer a remoção do dióxido de carbono da atmosfera para a floresta. A destruição da floresta leva ao desaparecimento da fauna e da flora e a erosão do solo desprotegido. Ao longo do desenvolvimento do programas, as turmas do 11.º ano, no ambito da Cidadania e Desenvolvimento realizaram três conferências sobre o clima.

Medida proposta 1.:

Incrementar a utilização de mais e melhores transportes coletivos (empresas públicas e privadas), movidos a biocombustíveis ou a eletricidade, de modo a que a população veja vantagens na sua utilização, diminuindo assim o transporte particular. Deste modo, contribuía-se para a diminuição da emissão de gases com efeito de estufa, nomeadamente dióxido de carbono e a racionalização dos combustíveis fósseis como o petróleo.

Medida proposta 2.:

Diminuir o consumo de carnes vermelhas (carne bovina) de modo a reduzir a pegada de carbono, mais concretamente a emissão de gaz metano, altamente poluente e, simultaneamente promover a poupança de água potável desperdiçada na limpeza dos espaços agropecuários.

Medida proposta 3.:

Criar uma rede de vigilância às florestas sob a responsabilidade das autarquias, de modo a evitar os incêndios, envolvendo todos os cidadãos que recebem apoios financeiros do Estado e, que assim tornariam a sua vida mais útil para a sociedade de que fazem parte (recetores de prestações sociais e voluntários).