Parlamento dos Jovens - Secundário


Edição 2018 (2018/2019)

Escola

Escola Secundária Dr. Francisco Fernandes Lopes, Olhão

Exposição de motivos

Exposição de motivos: Segundo pesquisas científicas, a temperatura média da Terra, nos últimos cem anos, sofreu uma elevação de cerca 0,5ºC, parece pouco, mas irá mudar drasticamente o mundo, se continuar a subir. O fator básico do aumento do aquecimento global é a explosão populacional, que obrigou a uma exploração dos recursos naturais em escala cada vez maior e mais rápida, a fim de sustentar as crescentes necessidades da população, criando-se assim uma civilização que prima pelo desrespeito à natureza, pelo consumismo, pela insustentabilidade, pelos elevados índices de desperdícios e pela vasta produção de lixo e poluição. Deste modo, as suas consequências são o degelo das calotes polares, o aumento de casos de desastres naturais como inundações, tempestades e furacões, alteração das correntes marinhas, a desertificação do solo, o desaparecimento de habitats naturais e perda de biodiversidade, o aumento das secas edáficas por incapacidade de retenção de água dos solos, o aparecimento de doenças, pois o aumento de temperatura pode causar mudanças na flora e, consequentemente, uma produção maior de pólen e quadros de alergia entre populações, além de favorecer a propagação de parasitas e vetores de doenças. Socialmente, o individualismo está presente no dia-a-dia de cada um de nós, tanto de uma forma direta como indireta. Por isso é necessário ter iniciativas e fazer a diferença, pois todos nós vivemos neste “Belo Planeta” que devemos preservar, assegurando, para as próximas gerações, um futuro harmonioso e sustentável, desta forma, nada melhor do que começarmos por apresentar iniciativas, relativas à nossa zona habitacional, que possam contribuir para minimizar os efeitos do aquecimento global. No Algarve, em particular na Ria Formosa, as Pradarias Marinhas são muito comuns, cobrindo grande parte dos seus bancos de areia, sendo que são zonas de elevada produtividade e diversidade, onde plantas, algas e animais se concentram. Assim, é urgente proteger as pradarias! Elas não só armazenam o CO2 presente na atmosfera, diminuindo-o consideravelmente, como também praticam o sequestro do carbono azul, ajudando na diminuição do aquecimento global. Individualmente, outro desafio será o de criar atividades/atitudes que possam ser desenvolvidas por cada um de nós, de forma a contribuir para a minimização do aquecimento global. Todos os anos, 13 milhões de hectares de floresta são derrubados. Só a madeira extraída dos trópicos contribui com 1,5 bilhão de toneladas métricas de carbono para a atmosfera. Isto representa 20% das emissões de gases de efeito de estufa de origem humana. O desafio para abandonar os combustíveis fosseis é eliminar a queima de carvão, petróleo e de gás natural. Este possivelmente é o desafio mais difícil, já que os cidadãos dos países mais ricos comem, vestem e trabalham com produtos dessa fonte fóssil. Por isso, PROPOMOS:

Medida proposta 1.:

1. Aumentar o número e a extensão de reservas naturais, dotando-as de postos de controlo florestal/ambiental e aplicar de forma efetiva medidas de penalização a cidadãos e empresas que utilizem estes recursos naturais de forma irresponsável e pouco segura.

Medida proposta 2.:

2. Para reduzir efeitos nefastos da indústria alimentar excessiva que contribui para o descontrolo do ecossistema, propomos uma fiscalização eficaz de toda a linha de produção e armazenamento, estabelecendo limites máximos de produção destes produtos.

Medida proposta 3.:

3. Criação de clubes do ambiente em todas as escolas que, em articulação com a comunidade em que as escolas se inserem, sensibilizem para a educação ambiental, promovendo encontros/palestras e outras atividades que contribuam para estimular uma conduta correta e responsável face ao ambiente.