Parlamento dos Jovens - Secundário


Edição 2018 (2018/2019)

Escola

INETESE - Instituto de Educação Técnica - Escola Profissional de Lagoa

Exposição de motivos

Há muito, que o tema das alterações climáticas é motivo de preocupação para a nossa sociedade. A falta de sensibilização das pessoas e os seus atos, têm sido tema, de diversos governos, para tentar reverter esta situação que nos assombra há muito tempo, e relativamente ao qual se tem verificado um aumento crescente. A emissão, de gases poluentes, resultado da ação humana, tem aumentado a concentração dos gases na atmosfera terrestre criando, assim, uma camada mais espessa e que torna mais difícil a dispersão da radiação solar, aumentando a retenção de calor, que por sua vez aumenta a temperatura na Terra e provoca o chamado (Aquecimento Global). Existe apenas um responsável por esta situação, a humanidade e as suas ações! De um modo geral, os povos, têm dificuldade em reconhecer a sua culpa pelos danos provocados no planeta, ao longo de muito e muitos anos e que ainda hoje continua (ex. aumento do metano, fruto das atividades industriais e da agropecuária, a queima de carvão, petróleo e gás, a sistemática desflorestação, que causa uma diminuição da absorção natural de dióxido de carbono, os fogos que são uma consequência do aumento das temperaturas, a falta de limpeza das matas, falta de vigilância, a falta de planeamento e reestruturação florestal e da criminalidade humana. Em resultado da ação do homem, têm se registado uma mudança da composição da fauna e da flora, a extinção de espécies, o derretimento de grandes massas de gelo nas regiões polares, aumento do nível do mar, zonas costeiras ficarão submersas e migrações em massa de pessoas pela submersão de territórios, as catástrofes naturais têm aumentado, bem como a desertificação (atualmente, 60,000km2 estão afetados) Em questões económicas, também é notável o impacto, como os danos a infraestruturas e a falta de saúde humana. Entre 1980 e 2011, foram gastos 90,000 milhões de euros, fruto de prejuízos causados a mais de 5,5 milhões de pessoas e sectores dependentes, de determinadas temperaturas são fortemente afetados. Portugal, adotou um quadro estratégico para a política climática, com uma visão para o desenvolvimento de uma economia competitiva, resiliente, de baixo carbono e um novo paradigma de desenvolvimento num contexto de crescimento verde, com objetivo e promover a transição para uma economia de baixo carbono, assegurar uma trajetória sustentável de redução das emissões de gases com efeito de estufa, reforçar a resiliência e as capacidades nacionais de adaptação, garantir condições eficazes de governação e assegurar a integração dos objetivos climáticos nos domínios sectoriais, entre outras.

Medida proposta 1.:

Instalação de sistemas de controlo de emissão de gases poluentes nas Industrias, de forma a diminuir a a emissão de CO2

Medida proposta 2.:

Serviços e Empresas publicas utilizarem energias renováveis ou lâmpadas LED

Medida proposta 3.:

Colocação de filtros nos carros em combustão e utilização de carros elétricos