Parlamento dos Jovens - Secundário


Edição 2018 (2018/2019)

Escola

Agrupamento de Escolas de Alpendurada

Exposição de motivos

Numa altura da História da Humanidade e do planeta em que se verificam grandes alterações climáticas devido ao aumento significativo do aquecimento global, com múltiplas consequências negativas para toda a vida na Terra, urge alterar o comportamento do Homem com vista à reversão deste estado de calamidade anunciada. Contudo, as ações que o ser humano empreender deverão considerar o combate de todos os agentes que contribuem para o aumento da temperatura e outros que agridam os ciclos naturais da fauna e da flora, de maneira integrada, pois todos estão interligados. Neste espírito de cooperação, as medidas que se apresentam inserem-se num esforço que a Humanidade terá de fazer para preservar ao máximo o planeta; acreditamos que ajudarão a reduzir a poluição e a baixar a temperatura. A primeira medida, que visa a diminuição da produção de grandes massas de ar quente e de gases poluentes, com mais produção de oxigénio, inclui-se num vasto projeto de controlo da desflorestação e da reflorestação, racionalizando ambas, tendo sempre em conta tanto o aumento de zonas verdes como a melhoria do ordenamento urbanístico, aproveitando construções devolutas e/ ou degradadas para melhorar as condições de vida dos cidadãos gastando-se menos energia e recursos na reconstrução do que na construção de raiz. A medida seguinte prevê a redução gradual da utilização de combustíveis fósseis, através de uma estratégia integrada de maior aproveitamento das energias renováveis que podem ser geradas pelas excelentes condições naturais do país, cuja localização permite utilizar largamente a energia das ondas do mar, do vento e do sol, assim se contribuindo para uma menor dependência de energias poluentes. Esta medida será tanto mais eficaz quanto mais generalizada for a produção de energia pelas referidas vias, para o que terá de haver um estímulo aos cidadãos e às empresas que estejam dispostas a investir no setor. Finalmente, relativamente à última medida, abolição, num prazo de sete anos, dos carros a gasóleo e promoção dos carros elétricos, importa referir que se trata de uma ação muito importante, pois os níveis de poluição causados por aqueles veículos são bastante elevados e, sem a concretização deste objetivo, não haverá reversão significativa do aquecimento global. No entanto, para o êxito desta medida, será necessário agir junto dos consumidores, consciencializando-os das vantagens de um carro elétrico em detrimento de um a gasóleo e aprovando um pacote de incentivos fiscais que facilitem a sua aquisição. Além disso, também será preciso generalizar os postos de abastecimento destas viaturas, para dar sentido ao investimento que nelas se fará. Em conclusão, para que estas medidas se tornem efetivas, será essencial uma mudança de atitude individual e coletiva, incentivada pelas elites políticas, cultivando e espalhando padrões éticos compatíveis com a preservação da vida nesta casa comum que é a Terra.

Medida proposta 1.:

Criação de um grupo multidisciplinar de intervenção ambiental, “Equipa 365”, capacitado para racionalizar a desflorestação e melhorar o ordenamento do território, identificando as necessidades de reflorestação de zonas ardidas e de reaproveitamento de edifícios degradados, em áreas urbanas e rurais, fomentando a criação de mais zonas verdes e diminuindo a produção de grandes massas de ar quente.

Medida proposta 2.:

Redução gradual da utilização de combustíveis fósseis, através de uma estratégia concertada de maior aproveitamento das energias renováveis oferecidas pelas condições naturais de Portugal, dando prioridade à força das marés, à energia eólica e à energia solar, assim se contribuindo para uma menor dependência de energias poluentes.

Medida proposta 3.:

Abolição, num prazo de sete anos, dos carros a gasóleo e promoção dos carros elétricos, junto dos consumidores, aprovando um pacote de incentivos fiscais para a sua aquisição, a par do aumento de postos de abastecimento.