Parlamento dos Jovens - Secundário


Edição 2018 (2018/2019)

Escola

Escola Secundária Diogo de Gouveia, Beja

Exposição de motivos

Foi realizado um debate no dia 14 de janeiro, com o Sr. deputado Pedro do Carmo no qual participaram cerca de 150 alunos do ensino secundário. A educação ambiental é algo que faz parte da nossa vida desde tenra idade. Todos saímos da escola primária a saber a real importância da reciclagem, chegando mesmo a pôr em prática essas aprendizagens que, entretanto se vão desvanecendo, desaparecendo por completo, na maior parte dos casos, quando as crianças se tranformam em jovens adultos, mais ou menos independentes. Por que motivo isto acontecerá? A resposta é simples: essas crianças que foram orientadas, em termos ambientais até ao seu 9º ano, deixaram de o ser, quase completamente, a partir daí, uma vez que no ensino secundário pouca importância é dada a este tema. Para colmatar esta falha decidimos propor “O dia nacional da sustentabilidade” à semelhaça do que acontece com o dia da defesa nacional (DDN). Como todos sabemos, o desenvolvimento de um país passa muito pela sua construção civil. O aumento da população continua a exigir mais ruas, mais habitação, mais infra-estruturas mais cidades. Como tal, propomos que o crescimento da construção seja acompanhado de espaços verdes que, para além da dimensão estética, contribuam para combater o aquecimento global, uma vez que as emissões de C02 estariam a ser compensadas e de certa forma reduzidas. A população mundial aproxima-se dos 7 biliões de pessoas que, com um estilo de vida cada vez mais consumista, produzem diariamente uma grande quantidade de lixo. Todos temos presentes as consequências provocadas pelas lixeiras a céu aberto, sem qualquer separação dos seus componentes. Os resíduos orgânicos transformam-se num chorume que contamina as águas subterrâneas e liberta gases como o metano que agravam o efeito estufa, e contribuem para o aumento do aquecimento global. Por forma a combater este flagelo, decidimos basear-nos num projeto que julgamos eficiente, já praticado, com sucesso, na Suécia. Consiste, não em penalizar as pessoas, por não fazerem o que devem, mas sim em beneficiá-las por o fazer.

Medida proposta 1.:

Criação do Dia nacional da sustentabilidade O objetivo desse dia relembrar a importância da preservação do ambiente, através de um “choque” de informação/formação que seria disponibilizada nesse dia. As penalizações por faltar a esse dia não seriam monetárias, mas sim com implicações futuras, tais como a impossibilidade de ingresso na Administração Pública; maiores dificuldades em viajar para locais de ambientes protegidos e/ou até países com uma poluição muito elevada.

Medida proposta 2.:

Como forma de combater os desertos de betão que a construção civíl provoca, propomos que os projetos incluam, obrigatoriamente, espaços verdes que, para além da sua dimensão estética, contribuam para combater o aquecimento global. Para isso, cada 20m2 de construção, implicará 1 m2 de espaço verde.

Medida proposta 3.:

Esta medida visa combater as consequências provocadas pelas lixeiras a céu aberto e promover uma consciência mais ecológica. Consiste em fazer com que as pessoas selecionem o lixo, sendo-lhes pago por kilograma o lixo orgânico puro produzido. Para o efeito haverá pontos de recolha onde seja confirmada a sua autenticidade. Esse lixo seria reaproveitado com a sua incineração, de modo a produzir energia que permita a autonomia energética do país e a consequente redução dos combustíveis fósseis.