Parlamento dos Jovens - Secundário


Edição 2018 (2018/2019)

Escola

Nobel International School Algarve

Exposição de motivos

O resultado final aqui apresentado foi fruto do trabalho e esforço desenvolvido por parte dos professores envolvidos, nomeadamente nas aulas de Filosofia, Biologia, Física, Sociologia, Inglês e História, mas foi, essencialmente, o resultado do trabalho levado a cabo pelos alunos na planificação e preparação das medidas apresentadas. Nesse sentido foram organizados diversos debates, nomeadamente, nas disciplinas acima mencionadas. Dado o entusiasmo e o interesse demonstrado pelos nossos alunos, não sentimos necessidade de termos um convidado externo à escola ou a presença de um deputado efetivo. Por se entender que contribuem positivamente para a resolução dos problemas levantados pelo temática abordada pelo Parlamento dos Jovens para o presente ano letivo, após a realização da Sessão Escolar, a Nobel International School Algarve considera pertinente a discussão das medidas propostas.

Medida proposta 1.:

Criação de uma entidade que tenha como objetivo a recolha de resíduos empresariais. Perante o ato de negligência de entrega dos resíduos, seriam aplicadas sanções. Os resíduos recolhidos seriam reciclados. Quando não fosse possível a sua reciclagem, os resíduos seriam utilizados para a produção de energia elétrica, como já é feito em algumas regiões do mundo. Em Portugal apenas 23% dos resíduos são transformados em energia. Em países como o Japão ou a Suíça os números ultrapassam os 50%.

Medida proposta 2.:

Criação de um decreto de lei que beneficie o consumo racional de energia elétrica. Tal como já está posto em prática com o consumo de água em algumas freguesias (artigo 16º da Lei das Finanças Locais - Lei nº2/2007), onde existem tarifas variáveis em função da quantidade de água consumida, defendemos a criação de uma tarifa semelhante para o consumo de energia elétrica. Dessa forma, o preço do kW/h para empresas e famílias seria variável em função do consumo mensal.

Medida proposta 3.:

Tornar transportes públicos mais eficientes, acessíveis e, nas grandes cidades, torná-los elétricos ou híbridos. Nos dias de hoje, os transportes públicos não são a primeira escolha para muitas pessoas devido á insegurança e falta de eficiência com que os mesmos estão planeados. Nesse sentido, é necessário torná-los mais baratos, mais seguros e mais atrativos.