Parlamento dos Jovens - Básico


Edição 2018 (2018/2019)

Escola

Escola Básica de São Miguel, Guarda

Exposição de motivos

Perante a temática apresentada nesta edição do Parlamento dos Jovens para o ensino básico, afigura-se-nos pertinente declarar que este é o momento de agir, pois amanhã será tarde de mais! A única forma de salvar o Planeta é começar a salvar os oceanos. Na teoria, somos todos perfeitos, mas não na prática, porque os investimentos são agressivos e raras vezes a sustentabilidade económica, social e ambiental é prioritária. A poluição das águas oceânicas é um problema crescente e tem consequências catastróficas. As causas são as mais variadas, desde o derrame de petróleo ou outras substâncias por petroleiros acidentados, à lavagem dos tanques, de onde provém a maioria dos hidrocarbonetos que provocam a maioria das marés negras; sejam as descargas efetuadas pelas indústrias, nos rios, que acabam por desaguar nas áreas costeiras; a contaminação das águas fluviais e, consequentemente, marítimas, carregadas de pesticidas e fertilizantes, provenientes da agricultura, ou “tão-somente” as águas residuais e dos esgotos domésticos, oriundas de uma progressiva pressão urbanística. Cada um de nós, individualmente, deve assumir um papel de fiscalizador. Ao apresentarmos estas três medidas, no âmbito da temática “Alterações climáticas – Salvar os oceanos”, tivemos sempre presente os 17 objetivos do Desenvolvimento Sustentável, considerados os objetivos capazes de transformar o nosso mundo, nomeadamente os números 13 e 14 que se prendem com o planeta, a saber: tomar medidas urgentes para combater a mudança do clima e seus impactos e conservar e promover o uso sustentável dos oceanos, mares e recursos marinhos para o desenvolvimento sustentável, respetivamente. Fomos, assim, ao encontro de um dos cinco eixos da Agenda 2030, o do Planeta: proteger os recursos naturais e o clima do nosso planeta para as gerações futuras. De facto, reconhecemos que os atuais padrões de produção e consumo não permitem preservar o ambiente. Consideramos, por isso, ser imprescindível tomar medidas a nível global, nacional e individual que preservem o ambiente através de soluções como os 3 Rs (Reduzir, Reutilizar, Reciclar) de modo a obter-se um desenvolvimento sustentável conforme preconizam os múltiplos Tratados para a política ambiental, soluções de compromisso assumidas pela maioria dos países, mas cuja cooperação internacional parece estar cada vez mais posta em causa pelos poderosos.

Medida proposta 1.:

O governo deve disponibilizar verbas com o intuito de incentivar a pesquisa científica e tecnológica para obter a total substituição dos plásticos por materiais biodegradáveis.

Medida proposta 2.:

Distribuir máquinas nos grandes centros urbanos e nos meios rurais que possibilitem a troca de utensílios de plástico (garrafas, sacos, talheres, etc.) por cheques-oferta/cupões que devem reverter a favor dos centros de investigação oceanográfica.

Medida proposta 3.:

Sensibilizar as autarquias para a implementação de uma rede mais abrangente de ecopontos de pequeno tamanho em lugares estratégicos, nas áreas de maior acessibilidade, quer urbanas quer rurais.