Parlamento dos Jovens - Básico


Edição 2018 (2018/2019)

Escola

Escola Básica e Secundária Tenente Coronel Adão Carrapatoso, Vila Nova de Foz Côa

Exposição de motivos

A problemática das alterações climáticas surge como um dos grandes desafios da humanidade. Apesar de ser premente uma mudança de atitude generalizada face às questões ambientais, comprovada com as enormes alterações climáticas já verificáveis em todas as regiões do mundo, não deixa de ser estranho que muitos dos governantes mundiais não queiram encarar o problema de forma séria, empenhada e decidida. Como exemplo, podemos falar do presidente dos Estados Unidos da América, país com a maior economia do mundo, que não quer aceitar as evidências das alterações climáticas como uma realidade, tendo afirmado por diversas vezes que «o aquecimento global não existe», tendo por isso abandonado o acordo de Paris. Para este caso podemos aplicar o ditado popular, «cego não é quem não vê, cego é quem não quer ver». É um dado científico que o principal causador das alterações climáticas é o ser humano, que com a sua «fome» energética, não tem sabido encontrar um ponto de equilíbrio entre estilo/qualidade de vida e sustentabilidade ambiental. A utilização de combustíveis fósseis tem contribuído para a degradação do ambiente, pelo que urge mudar radicalmente o paradigma do consumo de energia, com uma aposta clara em energias renováveis e limpas, através de políticas energéticas sustentáveis que sejam capazes de respeitar o meio ambiente e ao mesmo tempo promover uma melhor qualidade de vida para todas as pessoas, sempre em harmonia com o meio ambiente. No que respeita à poluição dos oceanos, começa a perceber-se a grandeza do impacto da ação do ser humano no equilíbrio do ambiente marinho, que a este ritmo de poluição humana poderá chegar a um ponto sem retorno. Assim, consideramos que a nossa aposta terá que direcionar-se para as principais causas de poluição/degradação dos oceanos: reduzir o consumo de petróleo e dos seus derivados (plástico; combustíveis fósseis; exploração petrolífera, etc.) apostando na reciclagem e reutilização dos produtos já em circulação.

Medida proposta 1.:

Criação de Ecopontos inteligentes que sejam capazes de identificar os cidadãos que façam a reciclagem, compensando-os com prémios.

Medida proposta 2.:

Criar campanhas de sensibilização diárias em todos os meios de comunicação social referentes à sustentabilidade ambiental, sempre em horário nobre.

Medida proposta 3.:

Criação de medidas de incentivo fiscal que promovam a mobilidade (preferencialmente) em transportes públicos e/ou em transportes particulares que utilizem energias limpas