Parlamento dos Jovens - Básico


Edição 2018 (2018/2019)

Escola

Escola Secundária Frei Heitor Pinto, Covilhã

Exposição de motivos

Portugal como membro integrante da UE deve ter uma ação mais interventiva no objetivo que é a mitigação das alterações climáticas devido às elevadas concentrações de CO2 (dióxido de carbono) que tem como o seu exemplo máximo, o aquecimento global e como consequência direta o desaparecimento das calotas polares, o aumento do nível das águas do mar, e assim colocando em perigo de desaparecimento de milhares de cidades costeiras. Outro assunto a ser tratado é um dos grandes flagelos deste século, que passa pelo depósito de plástico na natureza, em particular nos nossos oceanos; se tivermos em consideração que as últimas estimativas apontam para que em 2050 irão existir mais embalagens de plástico do que peixes nos oceanos, torna-se imperativo estabelecer ações por forma a que este cenário nunca venha a existir. Mais ainda, sendo Portugal o país da UE com a maior zona exclusiva marítima, este é um património a ser preservado e mantido, e as consciências sociais devem estar informadas e motivadas para contribuir para que o nosso mar seja um exemplo global na defesa dos oceanos.

Medida proposta 1.:

Aumentar a percentagem de energias renováveis por parte de empresas distribuidoras de energia para utilização em outras empresas e para consumo público de forma a diminuir as elevadas concentrações de CO2 e por consequência evitando o aquecimento global, que leva ao derretimento das calotas polares e subida dos níveis das águas do mar.

Medida proposta 2.:

Estabelecer ações que reduzam a quantidade de plástico existente nos oceanos como por exemplo usar plástico reciclado, retirado dos oceanos para utilização de blocos de construção civil, incentivos fiscais para empresas que usem embalagens com este tipo de plástico e incentivar outras que possam ser promotoras da utilização de outras formas para a redução (e até a total eliminação) dos plásticos nos oceanos como a utilização de bactérias.

Medida proposta 3.:

A mentalidade de uma sociedade transforma-se pela ação interventiva desde tenra idade, desta forma propomos a realização de fóruns nas escolas, que permitam fazer um levantamento dos problemas aos níveis de concelho, distrital e nacional e, se constituíssem grupos locais e nacionais que mitigassem desde a raiz os problemas nacionais das alterações climáticas. Estas ações devem ser implementadas nos vários níveis de ensino através de jogos interativos, leitura temática, atividades cívicas.