Parlamento dos Jovens - Básico


Edição 2018 (2018/2019)

Escola

Escola Básica n.º 2 de São Bernardo, Aveiro

Exposição de motivos

O Planeta Terra é um ecossistema complexo onde milhões de seres vivos coabitam em “quase” perfeita harmonia. Quase, porque existe a necessidade de explorar recursos naturais e criar produtos derivados, como o plástico. O plástico é um componente orgânico, produzido com base no petróleo, que serve de matéria-prima para o fabrico de muitos produtos com elevados riscos ambientais, sendo os oceanos uma das potenciais vítimas. Foram encontradas 150 milhões de toneladas de plástico nos oceanos. Cerca de 40% de todo o plástico produzido é utilizado em embalagens e utilizadas apenas uma vez. No fabrico do plástico são libertadas grandes quantidades de dióxido de carbono, destruindo os recifes de coral. Já foram feitas inúmeras medidas a este respeito mas esta problemática continua atual, por isso quanto mais ações realizadas, mais probabilidades de reverter o futuro ameaçador que nos espera - “Pensar globalmente, agir localmente”. Ao ser libertado para a atmosfera, o aerossol produzido nas atividades humanas destrói a camada de ozono, retornando à superfície da Terra através da precipitação, afetando e poluindo os oceanos. As emissões resultantes de atividades humanas têm aumentado significativamente nos últimos anos, causando impactos ambientais, que incluem efeitos adversos à saúde humana. Uma vez emitidas para a atmosfera, estas partículas podem ser transportadas a longas distâncias, causando impactos não só regionais e locais, mas também globais. As partículas de aerossol absorvem a radiação solar, influenciando o clima ao atuar na formação das nuvens, modificando os ciclos hidrológicos e o regime de chuvas. Por isso, o melhor é evitá-los, daí a medida proposta. Além de evitar estas partículas nocivas à saúde, é possível garantir que o ar fique livre de substâncias tóxicas, através da proibição do uso de produtos como sprays, aromatizantes... É vital ter uma sociedade e economia resilientes, competitivas e de baixo carbono, aumentando a consciencialização e a capacidade humana e institucional sobre a mitigação, adaptação, redução do impacto e alerta precoce da mudança do clima. A poluição industrial é uma das causas do aquecimento global devido às tecnologias utilizadas, envelhecidas, poluentes, com elevados consumos energéticos e água, à inexistência de sistemas de tratamento dos efluentes e circuitos de eliminação, à aproximação das indústrias das áreas urbanas, prejudicando a saúde pública, fauna, flora, solos e águas subterrâneas e superficiais, entre outros. Urge implementar medidas que visem reduzir fontes de poluição como, adquirir tecnologias geradoras de energia a partir de fontes renováveis, reduzir a pressão sobre os recursos naturais, colocar filtros nas chaminés das fábricas, construir ETAR, tratar resíduos sólidos, aplicar o princípio do poluidor-pagador, atuar no processo de licenciamento de novos estabelecimentos, usando legislação e estudos de impacto ambiental, reforçando a capacidade fiscalizadora das entidades competentes.

Medida proposta 1.:

Extinguir embalagens plásticas e descartáveis por produtos biodegradáveis, (cartão, vidro e tetra pak), evitando a libertação de dióxido de carbono e de poluentes e a consequente destruição de corais.

Medida proposta 2.:

Suprimir os sprays devido à libertação de aerossol e do efeito nocivo para a atmosfera e o oceano.

Medida proposta 3.:

Aumentar a fiscalização sobre a poluição industrial e sobre os atuantes, diminuindo a libertação de gases poluentes como o dióxido de carbono, óxido de azoto e enxofre e o monóxido de carbono e as consequentes chuvas ácidas, contribuindo para uma atmosfera e oceano saudáveis.