Parlamento dos Jovens - Básico


Edição 2018 (2018/2019)

Escola

Escola Básica Professor João Cónim, Estômbar, Lagoa

Exposição de motivos

As gerações futuras podem vir a não conhecer a natureza que conhecemos hoje em dia, e por esse motivo decidimos participar neste projeto porque acreditamos que a nossa ação poderá trazer alguma mudança em relação a este assunto. Na sequência da nossa reflexão concluímos que os nossos hábitos de consumo desenfreado, onde produzimos toneladas de desperdício, estão diretamente relacionados com as alterações climáticas. Mas não é só o desperdício que contribui para esta fatalidade. As atividades humanas criadas para satisfazer estas necessidades de consumo provocam danos irreparáveis na natureza e no ambiente. No entanto consideramos que o ónus da mudança não pode ser colocado apenas do lado dos cidadão. Tem de haver vontade política e uma genuína vontade em procurar alternativas económicas e de produção que não necessitem de destruir o ambiente para sobreviverem. Este ponto é muito crítico, pois por muita vontade que tenhamos, enquanto economias/países como os Estados Unidos da América não reconhecerem este fenómeno e desenvolverem medidas para reverter esta tendência, o nosso campo de ação torna-se limitado. Os EUA são um dos maiores poluentes do planeta e necessitamos da cooperação de todos os países para reverter o fenómeno das alterações climáticas provocadas pelo homem. Achamos hipócrita observar os adultos debaterem sobre estes temas e não existir qualquer mudança na nossa realidade, por exemplo, com as perdas absurdas de biodiversidade que não podem vir a ser corrigidas nunca mais, a nossa natureza fica cada vez mais pobre, para além de ser uma “forca “para o próprio ser humano pois tudo tem um fim e só o estamos a fazer com esse fim seja mais breve. Um terço da barreira de coral já foi perdido devido aos exageros e atividades humanas, todas as nossas atitudes e decisões têm um peso na sociedade, na natureza, nos oceanos e em tudo o que nos rodeia, existe um grande distúrbio no Atlântico com o nome de “ilha de lixo” pois é acumulado nesse mesmo local milhares de resíduos indústrias, deixados pelas construções e todas as atividades insensatas dos Homem, como consequência, poderemos deixar de ter o nosso tão estimado inverno devido ao impacto ambiental, ao efeito de estufa e ao aquecimento global. Antes da decisão de participarmos neste projeto, nós realizamos um exame de consciência para nos sensibilizarmos sobre o perigo das nossas atitudes e sobre o que podemos mudar nosso planeta, mas principalmente no que nos rodeios, no nosso quotidiano. Assim concluímos vos aconselhando a pensarem nas vossas políticas que podem vir a prejudicar as futuras gerações.

Medida proposta 1.:

Incluir nos currículos dos alunos aulas práticas para realização campanhas de limpeza/manutenção das praias e/ou jardins/ florestas (cidadania ativa). Os jovens têm que estar mais consciencializados para as questões ambientais e de cidadania ativa. Consideramos que a escola tem um papel importante nesta sensibilização e acreditamos que a escola pode (e deve) incluir nos seus currículos ações específicas que permitam a realização destas ações, onde os alunos aprendam fazendo.

Medida proposta 2.:

Reduzir o uso de plásticos nas escolas e utilizar energias renováveis nos edifícios públicos, garantindo que os fornecedores do estado são amigos do ambiente.O estado tem que dar o exemplo e compete a esta entidade garantir que, ela própria, também é amiga do ambiente.

Medida proposta 3.:

Realizar campanhas de sensibilização no 1º ciclo dinamizadas por alunos do ensino básico. É importante que desde cedo as crianças se consciencializem para a questão das alterações climáticas. Acreditamos que as ações terão mais impacto se forem dinamizadas pelos seus pares, colegas mais velhos que querem dar o bom exemplo.