Parlamento dos Jovens - Básico


Edição 2018 (2018/2019)

Escola

EB 1,2,3/S Mouzinho da Silveira

Exposição de motivos

A Escola Básica e Secundária Mouzinho da Silveira, da Vila do Corvo, vem por este meio apresentar as três medidas, eleitas pela escola, que formam o Projeto de Recomendação da mesma. As nossas medidas estão associadas à resolução de problemas relacionados com a proteção dos Oceanos, e em prol do Aquecimento Global. Num país como Portugal, com uma tão vasta área marítima sob a sua alçada, as nossas medidas pretendem melhorar o conhecimento científico e a perceção pública e política dos benefícios que nos trazem os ecossistemas marinhos e costeiros. Porque se não soubermos o valor daquilo que os oceanos nos dão, também não saberemos o valor do que nos poderão continuar a dar no futuro se os conservarmos, nem tão-pouco quanto estaremos a perder se os degradarmos ou até destruirmos. Espera-se que as medidas por nós propostas tenham um contributo direto na adoção de novas políticas, na alteração das já existentes e na boa gestão das atividades marítimas, de forma a melhor proteger os ecossistemas marinhos.

Medida proposta 1.:

Utilização única de sacos de papel em mercados e lojas. Ao invés da utilização de sacos de plástico, material esse que prejudica gravemente o meio ambiente e todos os seres vivos nele incluídos, em particular os ecossistemas marinhos. A nossa medida vai ao encontro da substituição dos sacos de plástico nos pontos comerciais por sacos de papel, biodegradáveis e inofensivos para a natureza.

Medida proposta 2.:

Reforçar a fiscalização de épocas de defeso. Através desta medida, pretendemos estabelecer e aumentar a fiscalização das épocas de proibição da pesca de certas espécies, de modo a proteger os juvenis evitando a extinção e mantendo a biodiversidade dos ecossistemas marinhos. Isto implica uma necessária fiscalização por parte da Autoridade Marítima Nacional, de modo a garantir o cumprimento desta medida.

Medida proposta 3.:

Controlo dos passeios turísticos às Áreas Protegidas. Monotorização de visitas pedestres às Áreas Protegidas para evitar a degradação e destruição de habitats. Não pretendemos impedir visitas aos locais, mas sim, tal como acontece nas ilhas Britânicas (nomeadamente nas Shetland Islands), sugerir que as visitas sejam feitas em redor da Área Protegida, não interferindo com as espécies lá existentes.