Parlamento dos Jovens - Básico


Edição 2018 (2018/2019)

Escola

Agrupamento de Escolas de Tábua

Exposição de motivos

A quantidade de lixo e químicos que vai parar ao mar e aos rios tem sido motivo de grande preocupação. Apesar de todas as campanhas e chamadas de atenção para o tema, a verdade é que há cada vez mais poluição no oceano. Basicamente, a poluição dos rios produz-se quando neles se vertem substâncias toxicas e não degradáveis. De vez em quando somos informados pelos jornais ou pela televisão de que houve uma mortandade súbita de um grande número de peixes num rio. Nesse caso, o mais provável é que se trate de alguma descarga tóxica proveniente de qualquer indústria (poluição industrial). Para mudar este cenário, é preciso que as empresas estejam ligadas a uma E.T.A.R. ou tenham uma E.T.A.R. própria de modo que, assim, os resíduos das fábricas passem a ser tratados antes de chegar ao mar, diminuindo a poluição proveniente das indústrias. O uso de fertilizantes e de pesticidas na agricultura também tem vindo a causar grandes desequilíbrios ambientais, estes químicos infiltram-se no solo, contaminando lençóis aquáticos e escoando em direcção aos rios, mares e lagos, pela ação da chuva. Para diminuir este uso, é preciso promover campanhas, que sensibilizem a população sobre o prejuízo da utilização destes mesmos, assim, promovendo a utilização e consumo de produtos biológicos. O aumento da presença do plástico nos oceanos também é prejudicial: um estudo divulgado em 2016 afirmou que até 2050 o oceano terá mais pedaços de plásticos do que de peixes. De acordo com estudos, esses materiais levam ao menos 450 anos para serem totalmente decompostos, materiais como cotonetes, palhinhas, sacos e copos de plástico. Existem alternativas ecológicas, para substituição destes, como os sacos de pano, escovas em bambu, garrafas reutilizáveis, entre outros … O plogging é uma ideia sustentável que combina actividade física com a recolha de lixo durante o trajeto. Além de correr, os adeptos ao plogging realizam outros movimentos, como a flexão de pernas ao recolher o lixo que foi atirado para o chão. Nada fica de fora: utensílios descartáveis, garrafas de plástico e embalagens vão para o saco e são, posteriormente, reciclados. Se o Ministério da Educação contribuir para uma melhor formação da mente de crianças e jovens acerca deste assunto, inserindo o plogging no programa do Estudo do Meio do ensino primário e a partir do ensino básico e secundário for excluído do programa escolar e incluído como uma actividade extracurricular, formar-se-á na mente dos jovens uma cultura sustentável e mais conscientes dos problemas que se vão agravando durante o tempo devindo ao plástico, assim contribuindo para a diminuição do plástico em mares, rios e lagos.

Medida proposta 1.:

Aumentar a fiscalização nas fábricas para obrigatoriamente estas, estarem ligadas a uma E.T.A.R. ou tenham uma E.T.A.R.(Estações de Tratamento de Aguas Residuais);

Medida proposta 2.:

Criação por parte do governo de uma política de incentivos para as empresas que promovam a utilização e consumo de produtos biológicos, como a Quercus (Associação Nacional de Conservação da Natureza) e a Agrobio (Agricultura Biológica);

Medida proposta 3.:

Inserir o Plogging no programa de Estudo do Meio do ensino Primário e a partir do ensino básico e secundário incluí-lo como uma actividade extracurricular.