Parlamento dos Jovens - Básico


Edição 2018 (2018/2019)

Escola

Escola Básica e Secundária de Machico

Exposição de motivos

“ Há 150 milhões de toneladas de plástico nos oceanos” é um título a que ninguém deve ficar indiferente. (Público, 22 de abril de 2018) Se a estes números juntarmos a informação de que, por ano, chegam aos mares treze milhões de toneladas de plástico, que este lixo plástico descartável é responsável pela formação de autênticas “ilhas de plástico” no Pacífico que matam espécies, que dois terços desse lixo “provêm principalmente de descargas industriais, aterros e lixeiras perto da costa, de sistemas de saneamento que não filtram os microplásticos e de lixo abandonado em praias ou zonas costeiras” (Público, 22.04.2018), torna-se evidente o quanto é urgente informar, sensibilizar, reeducar e punir para Salvar os Oceanos, principais reguladores do aumento da temperatura, mantendo-os saudáveis e capazes de continuar a produzir mais de 50% do oxigénio que respiramos.

Medida proposta 1.:

Agilizar os mecanismos legais de fiscalização e punição dos diversos setores económicos que não cumpram com as boas práticas ambientais estipuladas por lei.

Medida proposta 2.:

Proibir os sacos de plástico nos supermercados/ superfícies comerciais, substituindo-os por sacos-rede, sacos de pano ou sacos reutilizáveis.

Medida proposta 3.:

Fazer um maior investimento na monitorização das linhas de água, mesmo nas temporárias, de modo a prevenir o deslizamento de solos e a diminuir os detritos que chegam ao mar e que cobrem a flora marítima, importante para a produção de oxigénio, provocando a sua extinção e, consequentemente, a diminuição de fauna junto à costa.