Parlamento dos Jovens - Básico


Edição 2018 (2018/2019)

Escola

Escola Básica de Gavião

Exposição de motivos

Com estas propostas pretendemos provocar alteração nos comportamentos individuais, locais e globais. Queremos fazer parte da solução e não do problema: agindo, intervindo e decidindo para construir um Mundo mais azul. Uma das nossas maiores preocupações prende-se com a descarga de efluentes no rio Tejo. A poluição industrial devasta os rios, mares e oceanos, contribuindo para o aquecimento e poluição do Planeta. O desenvolvimento industrial, em Portugal, ocorreu sem um correto planeamento e ordenamento, o que resultou na concentração industrial em áreas geográficas limitadas, provocando casos específicos e localizados de poluição. É urgente uma maior vigilância ambiental, com infraestruturas adequadas de controlo que combatam os níveis cumulativos de poluição. Outra das nossas preocupações é a produção excessiva de plástico e a sua utilização. Todos os anos produzimos mais de 400 milhões de toneladas de plástico e só 9% é reciclado. Estudos recentes mostram a presença de partículas minúsculas de plástico na Natureza, facilmente absorvidas pelos seres vivos, alterando radicalmente as dinâmicas dos ecossistemas. A invenção do plástico, ocorrida há 70 anos atrás, contribuiu para melhorar a vida humana, mas é tempo de racionalizar o seu uso, dado o impacto dramático nas cadeias tróficas, visível sobretudo nos Oceanos (o plástico é usado como marcador geológico na passagem do Holoceno para o Antropoceno, pois no fundo do oceano concentram-se 70 kg de plástico por km2), mas também nas alterações climáticas (o aquecimento global é consequência da ação humana, devido à libertação excessiva de gases poluentes para a atmosfera, comprometendo o efeito de estufa, fenómeno natural, fundamental para o equilíbrio terrestre). Preocupa-nos a produção excessiva de dióxido de carbono (CO2), pois sabemos que este é essencial à vida na Terra assim como o efeito estufa. A produção excessiva de CO2 tem vindo a contribuir para problemas ambientais muito graves. Nos últimos duzentos anos, os oceanos absorveram quase metade do carbono em excesso que é resultado das atividades humanas (incêndios florestais, processos industriais…). O aumento das emissões/concentrações de CO2 na atmosfera constituem uma das principais causas da acidificação dos oceanos, colocando em risco a biodiversidade marinha. O CO2 é também responsável pelo aumento da temperatura da superfície do mar e do aumento do nível dos mares. Uma das formas de combater o excesso de CO2 é natural e advém das plantas ao absorverem o dióxido de carbono da atmosfera. No entanto, a intensa desflorestação tem vindo a impedir que tal aconteça. Consideramos que a mudança é Agora ou Nunca! pois caso contrário, aniquilamos um futuro digno às próximas gerações. Gostaríamos de sublinhar que vivemos em rede e que todas as conquistas nesta luta dependem SEMPRE da ação diária e consciente de cada um de nós, de acordo com a máxima #ThinkGlobalAct Local.

Medida proposta 1.:

Instituir coimas mais severas e realizar inspeções mais frequentes às empresas que utilizam os rios para escoar e transportar os efluentes industriais.

Medida proposta 2.:

Elaborar leis, a nível nacional, que responsabilizem os produtores/vendedores utilizadores de plástico, facilmente substituídos por outros materiais, a controlar o processo de reciclagem do mesmo.

Medida proposta 3.:

Aumentar o número de vigilantes/guardas florestais, vindos do exército ou do GIPS, para vigilância da floresta, no sentido de prevenir os incêndios florestais e, consequentemente, o excesso de CO2.