Parlamento dos Jovens - Básico


Edição 2018 (2018/2019)

Escola

Colégio Diocesano de Nossa Senhora da Apresentação

Exposição de motivos

1º Devemos começar por mudar mentalidades relativamente ao flagelo atual da poluição nos oceanos, que prejudica gravemente a fauna marinha e todo este ecossistema. Entendemos assim que a melhor forma de atuar será reeducar a sociedade de amanhã, nos pequenos gestos e nos seus comportamentos diários. A faixa etária estratégica a influenciar passará pelas crianças no seu início escolar, sensibilizando-as para esta temática. Como? Mostrando-lhes, efetivamente, o que devem fazer para proteger os oceanos, proporcionando-lhes visitas regulares a Museus Marinhos ou outras entidades vocacionadas para esta temática. 2º O ecoturismo é um segmento de atividade turística que utiliza, de forma sustentável, o património natural e cultural, e que incentiva sua conservação e a busca de uma consciência ambientalista através da interpretação do ambiente, promovendo o bem-estar das populações envolvidas. O ecoturismo é o tipo de turismo que mais está a crescer. O verde e a água têm um efeito regenerador sobre a mente das pessoas, trazendo paz e novas experiências. Além disso, o turismo ecológico é dos turismos que menos polui e é também uma ótima oportunidade de respirar o verdadeiro ar puro. A natureza é a que mais beneficia, pois têm o seu ecossistema protegido, preservando a sua fauna e flora. O ecoturismo além de beneficiar a natureza e o turismo, promove também o desenvolvimento do comércio tradicional e local. Por tudo isto o ecoturismo em ambientes marinhos deveria ser mais divulgado e incentivado, criando a nível dos municípios localizados ao longo da Costa Marítima, circuitos regulares de visitas turísticas e de vigilância, com objetivo de observação e possível recolha das quantidades de resíduos rejeitadas durante a noite em cada maré cheia. Com esta medida pretende-se alertar consciências das pessoas adultas que ainda se encontram em tempo útil para ajudar minimizar o nível de poluição nos oceanos com a mudança da sua atitude diária. Os benefícios, em geral, são tão significativos que a ONU declarou 2017 como o ano do ecoturismo. 3º De forma geral as populações não estão conscientes das consequências e impactos que são geradas pela grande poluição existente nos oceanos, pelo que não têm práticas adequadas para a utilização das praias e zona litoral. Precisamos de uma forte mudança de atitude que as faça perceber que um pequeno gesto ou descuido terá uma grande consequência negativa para os oceanos, na sua fauna e no seu ecossistema. Por estes motivos, pretendemos aumentar a vigilância às praias com a criação de uma figura de fiscalização regular nestas zonas, a fim de obrigar as pessoas a reavaliar os seus comportamentos podendo de forma voluntária contribuir para a preservação dos espaços que são de todos. Com este cenário propomos ainda a criação e implementação de coimas mais pesadas para quem apresentar comportamentos penalizadores para a sociedade e o meio ambiente.

Medida proposta 1.:

Nas Escolas do 1º Ciclo implementar visitas a museus marinhos ou entidades vocacionadas para a defesa dos oceanos, com base em protocolos estabelecidos entre o Ministério da Educação e as instituições atrás referidas

Medida proposta 2.:

Promover o desenvolvimento de projetos de eco-turismo (litoral e marítimo) através de medidas de incentivo patrocinadas pelas Câmaras Municipais, Governo e União Europeia (apoio financeiro, benefícios fiscais, etc.)

Medida proposta 3.:

Vigilância mais apertada das praias, relativamente à poluição provocada, com implementação de multas mais pesadas para quem não cumpra a lei.