Parlamento dos Jovens - Básico


Edição 2018 (2018/2019)

Escola

Escola Básica e Secundária do Centro de Portugal, Vila de Rei

Exposição de motivos

As alterações climáticas são cada vez mais notórias. De acordo com estudos publicados, desde 1991 que a temperatura dos oceanos tem vindo a aumentar de forma mais acentuada que anteriormente, sendo um importante indicador das alterações climáticas. Os Oceanos são um importante regulador do clima. Transportam energia e dominam os ciclos da água e do carbono, moderando as oscilações de temperatura e mantendo a estabilidade da composição da atmosfera. O rápido aquecimento dos oceanos contribuiu para o aumento da intensidade da chuva, degelo dos glaciares e consequente aumento do nível do mar, destruição dos recifes de corais e declínio dos níveis de oxigênio nos oceanos. Infelizmente, os oceanos são o recetor final da maioria dos poluentes lançados para o ambiente. Estes chegam aos oceanos por inúmeras vias em particular devido às descargas de efluentes e lixos domésticos ou industriais. Atualmente a poluição por plástico nos oceanos é um desafio à escala global, como o desafio das alterações climáticas. De acordo com dados da ONU, 80% de todo o lixo marinho é composto por plástico e a estimativa é que em 2050 a quantidade de plásticos na água supere a de peixes. Precisamos de salvar os oceanos deste grave problema, para que eles nos continuem a proteger dos piores impactes das mudanças climáticas e continuem a controlar o ciclo de carbono da Terra, absorvendo CO2. Desta forma as medidas propostas centram-se essencialmente ao nível da sensibilização, controlo da produção e tratamento dos resíduos plástico. Os benefícios ambientais da valorização dos resíduos são claros: a reciclagem de 1 tonelada de resíduos de plástico permite poupar a emissão de cerca de 1,3 toneladas de CO2 equivalente e em termos energéticos, a reciclagem de plástico exige cerca de 10% da energia utilizada no processo primário de produção; a reciclagem de 1 milhão de toneladas de plástico, em termos de emissões de CO2, equivale a retirar 1 milhão de carros das estradas. O CO2 é um dos principais gases de efeito de estufa, potenciador do aquecimento global, assim ao diminuir a sua emissão é possível restaurar a saúde dos oceanos e minorar as alterações climáticas. Além disso os plásticos provocam ferimentos nos animais marinhos ao ficarem presos nos objetos maiores e confundem os pedaços mais pequenos, com comida, impedindo-os de se alimentarem convenientemente, levando à sua morte. Em última análise, algumas das micropartículas de plástico ao serem ingeridas pelos animais originam poluentes químicos tóxicos nos seus organismos, acabando muitas vezes na nossa (seres humanos) cadeia alimentar. Com o exposto é imperioso salvar os nossos oceanos destes resíduos plásticos.

Medida proposta 1.:

Criar patrulhas para apanhar os detritos das praias, implementando também, nesses locais máquinas de recolha de resíduos recicláveis, em troca de pequenas quantias monetárias;

Medida proposta 2.:

Criar o dia nacional sem plástico, desenvolvendo em simultâneo campanhas de sensibilização para os danos ecológicos provocados pelo plástico e lançando na imprensa imagens/frases alarmantes para as consequências dos plásticos nos nossos oceanos;

Medida proposta 3.:

Limitar o fabrico e uso de produtos de plástico descartáveis.