Parlamento dos Jovens - Básico


Edição 2018 (2018/2019)

Escola

ES Antero de Quental

Exposição de motivos

Todos reconhecemos que, sobretudo nos últimos dois séculos, a qualidade de vida, o conforto, a saúde, a longevidade e o acesso a bens essenciais, mas também a muitos outros supérfluos, por parte dos seres humanos, aumentaram significativamente. Infelizmente, muito deste sucesso foi obtido à custa da exploração desenfreada dos recursos naturais do nosso planeta. Ao contrário daquilo que a nossa postura indicia, estes recursos não são infinitos. Entre os principais ecossistemas atingidos pela nossa conduta, estão os Oceanos. Das muitas ações nefastas da Humanidade, em relação aos nossos mares, gostaríamos de destacar o problema dos plásticos e dos hidrocarbonetos. Relativamente aos resíduos plásticos, calcula-se que cerca de 80% do lixo marinho é composto por materiais sólidos derivados do petróleo. Segundo a National Geographic, foi localizada, no Oceano Pacífico, uma acumulação de lixo que, atualmente, atinge um tamanho superior ao do território francês e são, todos os anos, detetados cerca de sete milhões de toneladas de resíduos nos oceanos do planeta, afetando mais de 600 espécies de fauna marinha. Apesar de não ser um problema que podemos testemunhar diariamente, na nossa rotina, cada vez mais somos contaminados por esta “doença”, particularmente através da nossa alimentação, tendo em conta que os peixes que consumimos ingerem uma grande quantidade de microplásticos. No que toca aos danos provocados por combustíveis fósseis, nomeadamente originados por derrames de petróleo, é conhecido o seu efeito destruidor ao nível dos ecossistemas, dado que ocasiona a morte do plâncton, isto é, dos microrganismos dos quais os peixes se alimentam. Promove, igualmente, a escassez de oxigénio nos oceanos e a morte de diversas espécies de diferentes meios. De facto, temos de resgatar o local que nos permite sobreviver, mas isto só será exequível caso a mentalidade dos cidadãos, no que diz respeito à temática prestes a ser debatida, sofra profundas alterações.

Medida proposta 1.:

Fiscalizar a utilização de cascos duplos nos navios petroleiros, bem como legislar sobre a instalação de um aparelho detetor de descargas ilegais, nestes mesmos meios de transporte de hidrocarbonetos.

Medida proposta 2.:

Investir na exploração e utilização de micélio como substituto parcial do plástico.

Medida proposta 3.:

Incutir nos meios publicitários de maior alcance curtas-metragens impactantes, alusivas ao tema “Salvar Os Oceanos”.