Parlamento dos Jovens - Básico


Edição 2018 (2018/2019)

Escola

Escola Básica Professor Agostinho da Silva, Casal de Cambra, Sintra

Exposição de motivos

O tema, este ano proposto para debate, é pertinente e atual, tendo em conta a situação mundial. Os conflitos e convulsões políticas, o desrespeito não só pela natureza e pelos tratados em sua defesa, mas também, e consequentemente, pelos direitos do ser humano, os abusos de poder e as decisões arbitrárias e fraturantes que nos chegam de todos os cantos do mundo levam a que o cidadão seja e deva ser cada vez mais consciente e ativo. O conhecimento de que pequenos gestos e ações podem fazer a diferença na qualidade dos oceanos fará de todos nós cidadãos mais responsáveis, com maior capacidade de intervensão e vontade de ação. Consideramos que a melhor forma de combater determinados comportamentos que, embora pequenos, podem fazer a diferença, é combatê-los dentro da comunidade, no dia-a-dia em acções simples, mas determinadas e concretas. Consideramos, ainda, que esse combate deve começar, a nível etário, o mais cedo possível, pois quanto mais cedo conhecermos a importância dos nossos gestos e decisões, por mais pequenas que nos pareçam, mais facilmente os compreendemos, aceitamos e concretizamos. A qualidade dos oceanos, a destruição de alguns dos seus habitats, as ilhas de lixo e o consequente desaparecimento de espécies estão na ordem do dia. Assim, as nossas propostas surgem da nossa experiência pessoal, da realidade escolar e comunitária em que estamos inseridos e que fomos observando e analisando. Foi essa realidade e o seu conhecimento que nos fez chegar à discussão e é daí que surge a nossa reflexão. Era importante que sentissemos que as nossas propostas poderiam, de facto, ter impacto no nosso dia- a- dia e no do oceano. A elaboração das nossas medidas prende-se com o que vamos observando nos espaços da nossa escola e da nossa família. Assim sendo, as medidas por nós discutidas e aprovadas foram pensadas para incidirem em gestos do dia a dia. Com elas pretendemos melhorar a escola, a comunidade, a sociedade em que vivemos e, em última análise, o oceano . Quisemos sentir que eramos capazes de identificar e analisar as nossa preocupações, mas também pensar em soluções e, assim, enriquecer os nossos projetos e a nossa forma de estar na vida, tornando-nos cidadãos mais conscientes e ativos.

Medida proposta 1.:

1. Eliminar as palhinhas e os sacos de uso único, facilmente substituídos por materiais sustentáveis e amigos do ambiente. Ao sensibilizar para a proibição da venda de sacos de uso único e eliminação das palhinhas das embalagens individuais, reduziríamos os principais agentes poluidores dos oceanos. Campanhas de sensibilização aumentariam o uso de sacos reutilizáveis. O mesmo quanto às palhinhas de modo a encorajar a recortar o pacote e a colocar a bebida num copo.

Medida proposta 2.:

2. Sensibilizar as escolas no sentido de diminuir os plásticos aí utilizados. Sensibilizar toda a comunidade escolar para o importante papel que cada um tem na redução dos plásticos, através da alteração de comportamentos. Levar alunos e famílias a uma mudança de atitudes e diminuir a quantidade de resíduos plásticos produzida por habitante, de modo a promover hábitos de consumo sustentável, promovendo ainda a correta separação do lixo de modo a contribuir para a redução do consumo de plástico.

Medida proposta 3.:

3. Criação de Brigadas de Limpeza das Praias nas escolas e comunidades para proceder à recolha dos macro e micro resíduos. Através destas ações, sensibilizar-se-ia para os problemas atuais relacionados com a poluição dos oceanos e suas principais fontes. As ações contribuiriam para a adoção de comportamentos ambientalmente corretos, como reduzir o lixo que é gerado nas praias.