Parlamento dos Jovens - Básico


Edição 2018 (2018/2019)

Escola

EB1,2,3/JI/S de São Roque do Pico

Exposição de motivos

A problemática da poluição dos oceanos é muito complexa e difícil de solucionar, porque tem origens muito distintas. Combater a pegada ecológica indireta nos oceanos é algo extremamente difícil, considerando as implicações socioculturais, económicas e políticas que acarreta. As alterações climáticas são um tema muito preocupante para a comunidade científica, para os governantes dos países a nível mundial e, cada vez mais, para a sociedade em geral, porque têm efeitos irreversíveis, ou seja, à nossa escala temporal, não é possível reverter os efeitos das alterações climáticas; podemos penas atenuá-los e adaptarmo-nos a esta nova realidade. As medidas que se podem aplicar para proteger os oceanos do impacto das alterações climáticas têm de ser preventivas, agindo na raiz do problema, no sentido de evitar o agravamento das alterações climáticas. Para combater o aquecimento global da temperatura do mar, tem de se combater, em primeira instância, o aquecimento global da temperatura média do ar do planeta, o que apenas se pode conseguir diminuindo a emissão, para a atmosfera, de gases com efeito de estufa, como o dióxido de carbono. Assim, as medidas que propomos têm em vista o combate ao aumento do aquecimento global da temperatura média do ar do planeta, concretamente através da redução das emissões de gases com efeito estufa:

Medida proposta 1.:

Utilização limitada e regrada de adubos com compostos químicos e uso obrigatório de adubos biológicos;

Medida proposta 2.:

Implementação de um programa regional de incentivo à florestação ou reflorestação, nomeadamente através da atribuição de subsídios à silvicultura;

Medida proposta 3.:

Obrigatoriedade da separação de resíduos nas habitações e aplicação de coimas para os prevaricadores, e colocação de ecopontos em todas as zonas balneares.