Parlamento dos Jovens - Básico


Edição 2018 (2018/2019)

Escola

Escola Básica de Ribeirão, Vila Nova de Famalicão

Exposição de motivos

Elaboramos um conjunto de propostas que contrariam a tendência do aumento da presença de plásticos e microplásticos nos nossos rios e, sobretudo, nos nossos oceanos. Procuramos apresentar medidas reativas face à realidade em que vivemos e, ao mesmo tempo, propor medidas que conduzam os nossos concidadãos a terem comportamentos mais sustentáveis, isto é, procuramos apresentar medidas proativas. A primeira proposta partiu do projeto pioneiro do norueguês, Kjell Inge Røkke, de desenvolvimento de um navio capaz de recolher 5 toneladas de plástico por dia e que, para além disso, é capaz de gerar combustível partindo, igualmente, do plástico. Este navio permitirá eliminar as ilhas de plástico do Oceano Pacífico, bem como poderá servir de laboratório para estudos da biodiversidade marítima. Por outro lado, consideramos que, em vários momentos da nossa vida cívica a sociedade se mostra solidária e capaz de colaborar em campanhas em prol de uma causa. Essa foi a motivação da nossa 2ª proposta. Estamos em crer que se existirem mais campanhas, colónias de férias temáticas, iniciativas locais de limpeza dos rios e oceanos, em que momentos lúdicos se podem converter em comportamentos responsáveis em que todos têm algo a beneficiar. Cada população é a melhor conhecedora do terreno e das circunstâncias, nomeadamente de segurança, em que esta limpeza pode e deve ser feita. Pode tratar-se de simples ações de voluntariado monitorizadas e tuteladas pela Proteção Civil ou de programas de férias que poderão, com acompanhamento de programas de esclarecimento e sensibilização, levar os jovens, adultos e decisores num futuro próximo a irem para o terreno dar o seu próprio contributo. Por fim, propomos a envolvência do fator financeiro, algo que é altamente motivador. Por vezes, existe a ideia que adotar comportamentos mais amigos do ambiente é dispendioso e nós queremos mostrar exatamente o contrário. Todos nós sentiremos uma motivação extra para adotar determinados comportamentos se tivermos um retorno económico. Ora, se esses comportamentos forem comportamentos de suporte à sustentabilidade tanto melhor. É assim que nasce a nossa terceira proposta. Na nossa terceira proposta propomos um mecanismo de recolha de plásticos, nomeadamente garrafas e outros plásticos potencialmente mais poluentes (em número). Pretendemos que no momento da entrega do plástico é devolvido um valor de acordo com a quantidade de plástico entregue. Tal recolha deve ser funcional e preferencialmente exercida nos hipermercados. Com esta medida acreditamos que o consumidor estará a ser educado a ter um comportamento mais sustentável e, por outro lado, outras pessoas poderão recolher os referidos produtos do chão com o objetivo de ganharem dinheiro com essa prática. O valor pago ao consumidor é resultado do sistema “tara” pago no ato da compra acrescido do benefício da obtenção do plástico para reciclagem.

Medida proposta 1.:

Investir no desenvolvimento de navios capazes de recolher o plástico existente no Oceano e reaproveitar o mesmo como fonte de energia e combustível para os mesmos navios, dando-lhes maior autonomia.

Medida proposta 2.:

Desenvolver e apoiar programas e projetos de recolha de resíduos e lixo a nível local, nomeadamente nos rios, nas praias e nos oceanos.

Medida proposta 3.:

Promover a recolha de plásticos, nomeadamente, garrafas, tal como acontece com as taras em vidro ou em botijas de gás.