Parlamento dos Jovens - Básico


Edição 2018 (2018/2019)

Escola

Escola Secundária Alberto Sampaio, Braga

Exposição de motivos

Atualmente pelo menos 51 triliões de partículas de microplástico já estão presentes no nosso oceano. Isto afeta brutalmente o ecossistema, o organismo das espécies e a sua criação. É o caso das tartarugas que depois de ingerirem 14 tipos de plásticos diferentes diminuem de 50% a sua chance de sobreviver, sendo que 60% da sua espécie já estão extintas ou em vias de extinção. Já está tarde! Porquê esperar mais? As pessoas podem ser mais facilmente sensibilizadas ao verem imagens reais, ou seja, chocantes. Estas imagens são no mínimo necessárias para que os autores da poluição dos oceanos “acordem” para a realidade e percebam que o mundo tal como o conhecemos está a mudar e vai de mal a pior. Se não fizermos nada, teremos um universo cheio de oceanos poluídos, com pessoas arrependidas a tentar mudá-lo. Pretende-se evitar que as pessoas cometam os erros (poluam os oceanos), em vez de as penalizar depois de já os terem cometido. A melhor maneira de mudar as pessoas é sensibilizando-as para as boas práticas ambientais! A sociedade vangloria-se pelos grandes feitos, mas de que servirão essas proezas daqui a poucos anos quando a situação já for irreversível? Aí, talvez seja dado muito valor às medidas por nós apresentadas hoje, com vista a “salvar os oceanos”. O tempo de mudar é hoje, então façamos algo ainda hoje!

Medida proposta 1.:

Proibir o consumo de produtos de higiene pessoal que contenham micropartículas, tais como polipropileno, polietileno, polietileno, entre outros. Com isto, devemos alertar os consumidores a prestar atenção ao rótulo dos produtos como, por exemplo, a pasta de dentes.

Medida proposta 2.:

Colocação de painéis nas entradas das praias, com imagens reais e chocantes e frases curtas e apelativas, com vista a sensibilizar a população para a não poluição dos oceanos.

Medida proposta 3.:

Proibir o uso de recipientes de plástico nas escolas.