Parlamento dos Jovens - Básico


Edição 2018 (2018/2019)

Escola

Escola Básica e Secundária de Ourique, Ourique

Exposição de motivos

“Todos sabemos que os oceanos têm funcionado como um escudo do planeta contra o aquecimento global, mais de 93% do aumento da temperatura do planeta, provocado, desde 1970, pelo aumento da emissão de gases de efeito estufa, foi absorvido pelos oceanos. Esta proteção que os oceanos oferecem à humanidade relativamente às piores consequências das alterações climáticas tem custos: para além dos sobejamente conhecidos impactos nos recifes de coral, a função reguladora dos oceanos é executada à custa de alterações físicas e químicas e levam à acidificação, ao aquecimento e à consequente subida do nível das águas dos oceanos” (In Dicas para a exploração dos temas|Edição 2018-2019). Face a estas alterações profundas nos ecossistemas aquáticos é imperativo agir. Neste sentido, a nossa primeira medida vai de encontro à necessidade de reflorestar os oceanos, de modo a manter a sua produção de oxigénio, o que contribuirá para a redução do aquecimento global. Nesses ambientes aquáticos, normalmente são encontradas algas microscópicas fotossintetizantes que produzem oxigénio. São elas as responsáveis pela maior parcela de oxigénio libertado na atmosfera, uma vez que muitas espécies produzem muito mais do que realmente necessitam. Do mesmo modo, todos sabemos que os seres vivos estão adaptados a viver no seu habitat, local onde se encontram os elementos necessários, como os alimentos, para a sua sobrevivência. Alterações nesse ambiente podem colocar em risco várias espécies. O aumento da temperatura dos oceanos está a influenciar toda a vida marinha, sem qualquer controlo ou proteção. Neste contexto, com a nossa segunda medida pretendemos promover o equilíbrio da biodiversidade aquática através da criação de novas zonas de proteção marítima e da proteção dos recifes de corais. A nossa terceira medida visa a melhoria da qualidade do ar, que como sabemos influência a proteção dos oceanos, diminuindo o efeito de estufa e a consequente acidificação do mesmo. O uso mais consciente dos combustíveis fósseis, a substituição destes por energias renováveis, o desenvolvimento dos transportes públicos, a aplicação efetiva do princípio do poluidor/pagador poderão assumir-se como gestos prioritários para atingir este objetivo. É urgente mudar mentalidades e despertar as consciências para a necessidade de produzir menos gases poluentes e assim reduzir os danos para os oceanos. Todos temos consciência de que estes problemas não são de resolução fácil, pelo que somente com o envolvimento de todos podemos atingir o tão desejado desenvolvimento sustentável do nosso planeta. Há que Pensar globalmente mas agir localmente.

Medida proposta 1.:

Medida 1: Reflorestar os oceanos, de modo a manter a sua produção de oxigénio, o que contribuirá para a redução do aquecimento global.

Medida proposta 2.:

Medida 2: Promover o equilíbrio da biodiversidade aquática através da criação de novas zonas de proteção marítima e da proteção dos recifes de corais.

Medida proposta 3.:

Medida 3: Controlo da acidificação das águas do mar através da fertilização dos oceanos e da utilização mais consciente dos combustíveis fósseis.