Parlamento dos Jovens - Básico


Edição 2018 (2018/2019)

Projetos de Recomendação aprovados nas Sessões Escolares

Circ . Eleitoral

Escola

Projeto de recomendação

Açores

Colégio do Castanheiro

1. Inclusão no orçamento anual de investimentos necessários à descarbonização dos setores de energia e dos transportes para atingir a neutralidade carbónica até 2050.
2. Promover o uso de carros elétricos e/ ou movidos a hidrogénio.
3. Reforçar a criação e o desenvolvimento das energias renováveis.

Açores

EB 1,2,3/JI da Vila de Rabo de Peixe

1. Criar grupos para limpar as zonas perto do mar, no mínimo duas vezes por mês, pois esse lixo pode ir parar aos oceanos.
2. Sensibilizar, através de campanhas nas escolas, nos locais de trabalho, para a relevância deste tema e como cada um pode contribuir, no seu dia-a-dia, para proteger os oceanos.
3. Instaurar, através das juntas de freguesia e das Câmaras municipais, o Dia da Limpeza e Vigilância da orla costeira (Dia LV), uma atividade semanal para ir à praia, fazer o ponto da situação.

Açores

EB 1,2,3/S Mouzinho da Silveira

1. Utilização única de sacos de papel em mercados e lojas. Ao invés da utilização de sacos de plástico, material esse que prejudica gravemente o meio ambiente e todos os seres vivos nele incluídos, em particular os ecossistemas marinhos. A nossa medida vai ao encontro da substituição dos sacos de plástico nos pontos comerciais por sacos de papel, biodegradáveis e inofensivos para a natureza.
2. Reforçar a fiscalização de épocas de defeso. Através desta medida, pretendemos estabelecer e aumentar a fiscalização das épocas de proibição da pesca de certas espécies, de modo a proteger os juvenis evitando a extinção e mantendo a biodiversidade dos ecossistemas marinhos. Isto implica uma necessária fiscalização por parte da Autoridade Marítima Nacional, de modo a garantir o cumprimento desta medida.
3. Controlo dos passeios turísticos às Áreas Protegidas. Monotorização de visitas pedestres às Áreas Protegidas para evitar a degradação e destruição de habitats. Não pretendemos impedir visitas aos locais, mas sim, tal como acontece nas ilhas Britânicas (nomeadamente nas Shetland Islands), sugerir que as visitas sejam feitas em redor da Área Protegida, não interferindo com as espécies lá existentes.

Açores

EB1,2,3/JI da Vila de S. Sebastião

1. Apadrinhamento pelas escolas de uma zona costeira ou área florestal para a sua limpeza e cuidado.
2. Incentivo à utilização de energias renováveis nos edifícios públicos e empresas.
3. Proibição do uso de plástico nas escolas.

Açores

EB1,2,3/JI de Ponta Garça

1. Incentivar os consumidores a utilizar energia “limpa ou natural” durante o período noturno premiando os que se destaquem como “cliente ecológico do mês”.
2. Combater o desperdício alimentar das grandes superfícies, restauração e dos consumidores, com vista a diminuir os gastos de manutenção e confeção dos alimentos, que contribuem para o aquecimento global.
3. Criar incentivos para o fabrico de materiais biodegradáveis com o objetivo de limitar a poluição dos mares (plástico e CO2), das várias atividades económicas, limitando assim absorção de gases pelos oceanos, que contribuem para o aquecimento global.

Açores

EB1,2,3/JI de Vila do Topo

1. Aumentar a percentagem de espaços verdes nos centros urbanos.
2. Criar um certificado ecológico para empresas, o mais abrangente possível.
3. Diminuir o impacto do transporte marítimo no ambiente.

Açores

EB1,2,3/JI/S de São Roque do Pico

1. Utilização limitada e regrada de adubos com compostos químicos e uso obrigatório de adubos biológicos;
2. Implementação de um programa regional de incentivo à florestação ou reflorestação, nomeadamente através da atribuição de subsídios à silvicultura;
3. Obrigatoriedade da separação de resíduos nas habitações e aplicação de coimas para os prevaricadores, e colocação de ecopontos em todas as zonas balneares.

Açores

EB1,2,3/JI/S Padre Maurício de Freitas

1. Progressiva implementação, pelo Estado, nos edifícios públicos, de fontes de energias renováveis, de modo a diminuir o uso do petróleo. Isto reduziria as emissões de CO2 e consequentemente mitigaria o efeito estufa que tem consequências ambientais muito graves no oceano, por exemplo, aumento da temperatura e acidificação das águas, subida no nível médio das águas oceanos. Ajudaria ainda à redução do tráfego de petroleiros no oceano, minimizando-se a ocorrência das marés negras.
2. Legislar no sentido de garantir que para todas as embarcações que estejam equipadas com motor de combustão interna a dois tempos seja obrigatório o uso de óleos de mistura biodegradáveis e que o índice de degradação biológico nunca seja inferior a 66 %. Esta medida teria consequências muito positivas na diminuição da poluição oceânica, nomeadamente nas áreas onde se localizam as comunidades piscatórias.
3. Construção de um maior número de ETAR (Estações de Tratamento de Águas Residuais), de forma a que as águas residuais possam ser devidamente tratadas e não cheguem aos oceanos poluídas e, assim, não pôr em risco a sustentabilidade dos ecossistemas marinhos. Note-se que 3,.8 milhões de portugueses não são servidos por ETAR, o que, em pleno século XXI, consideramos uma situação inadmissível.

Açores

EB1,2,3/S /JI Manuel Azevedo da Cunha

1. - Incentivo à criação de formações que se irão basear na salvação de animais marinhos. Estas seriam facultadas por biólogos marinhos especializados, e seriam patrocinadas pelas câmaras municipais, destinadas à população em geral, mas principalmente aos pescadores. Por exemplo se um pescador encontrar um golfinho, que necessite de ajuda, devido à formação adquirida, este saberá como salvá-lo.
2. Construção de um barco, com o apoio da União Europeia, capaz de realizar a limpeza marítima, barco este que terá uma espécie de pá/rede que irá limpar a superfície da água. Todo o lixo recolhido será armazenado num depósito que estará dentro do barco. Em terra todo o lixo recolhido será separado e reciclado, e a implementação de legislação em que seja obrigatório a colocação de filtros nos tubos de esgotos, penalizando os concelhos que não apliquem a legislação em vigor.
3. Sugerir às câmaras municipais com o devido apoio governamental, que se realizem limpezas mensais e/ou trimestrais às orlas costeiras, para que estas se mantenham sempre limpas. Todo o lixo recolhido será separado e reciclado, o que não seja possível reciclar será reencaminhado para inceneração.

Açores

EB1,2/JI António José de Ávila

1. Realizar Campanhas de sensibilização junto das pessoas, para que não deitem lixo ao mar. A sensibilização poderá iniciar-se na escola, juntando um grupo de professores e de alunos, para fazer uma limpeza à Praia do Porto Pim.
2. Sensibilizar para a redução do número de artigos de plástico descartáveis, realizando campanhas de sensibilização para que as pessoas adquiram o hábito de reciclar e nunca atirar para o mar e organizar palestras com investigadores que estudam os efeitos da poluição e das alterações climáticas que daí surgem. Porque os plásticos são o lixo que existe em maior quantidade, causando graves problemas ambientais, interferindo com a vida animal marinha e com os seres humanos.
3. Não deitar lixo para as ribeiras.

Açores

EB2,3 da Maia

1. Utilização de energias renováveis nas indústrias
2. Incentivar a mobilidade elétrica
3. Fiscalização, sinalização e limpeza das praias

Açores

EB2,3/S Cardeal Costa Nunes

1. Criação de recifes artificiais com barcos em fim de vida e/ou apreendidos pelas forças policiais, com o objetivo de criar espaços que possam ser classificados como áreas protegidas para exploração turística, evitando a intensa e permanente exploração dos espaços naturais.
2. Fomentar o desenvolvimento da aquacultura de todas as espécies ameaçadas. Através da aquacultura procurar-se-ia recuperar os stocks de espécies em vias de extinção e/ou comercialmente sobre exploradas, promover o repovoamento de habitats e responder à procura comercial de produtos piscícolas.
3. Proibir a produção de glitters de plástico (brilhantes), apresentando como solução a produção de glitters biodegradáveis. Através de leis que impeçam a produção de produtos de pequenas dimensões à base de plástico que, comprovadamente, chegam aos mares e são ingeridos pelos animais marinhos, contribuindo para a sua morte e consequente diminuição de stocks, sabendo que já existem alternativas biodegradáveis.

Açores

EB2,3/S da Graciosa

1. - Isenção do Imposto de Valor Acrescentado (IVA) de sumos e águas aos supermercados que os vendam de forma avulsa, reutilizando garrafas dos clientes;
2. - Reduzir significativamente o valor das licenças das embarcações de companhias navais que utilizem combustíveis renováveis, em substituição dos fósseis, beneficiando o lucro das empresas;
3. - Aumento das contribuições económicas do estado para implementação de parques de energias renováveis para as indústrias poluentes e diminuição do IRC para 15% do lucro dessas empresas que permaneçam a utilizar essas fontes de energia.

Açores

EB2,3/S de Velas

1. Aumentar as áreas protegidas e investir na proteção dos ecossistemas marinhos e da vida marinha. Que sejam realizados estudos para serem aprovadas novas áreas protegidas de acordo com as necessidades marinhas e que seja aumentada a fiscalização dessas áreas criando-se, ao mesmo tempo, medidas punitivas mais duras que responsabilizem aqueles que poluem, danificam ou esgotam recursos marinhos.
2. Sensibilizar as populações para os danos que o plástico causa no ecossistema marinho. Para isso, temos de efetuar um maior número de limpezas da orla costeira e realizar sessões informativas para a comunidade escolar e para a população em geral.
3. Diminuir drasticamente o uso do plástico. Criar uma proposta de lei para a proibição do uso de plástico que não seja biodegradável. Esta lei teria uma maior ação se aplicada nas festividades populares e religiosas para acabar com o uso de objetos de plástico descartável, como por exemplo os copos, talheres e pratos; na restauração e nos supermercados.

Açores

EB2,3/S de Vila Franca do Campo

1. VIGIAR E CUIDAR AS PRAIAS PARA ALÉM DA TRADICIONAL ÉPOCA BALNEAR.
2. SENSIBILIZAR A POPULAÇÃO PARA AGIR.
3. REDUZIR O USO DE PRODUTOS QUÍMICOS NAS LIMPEZAS E NA AGRICULTURA.

Açores

EB2,3/S do Nordeste

1. Investir em materiais de pesca biodegradáveis, como redes, boias e anzóis.
2. Investir na separação de resíduos ao nível local, equipando todas as casas açorianas com ecopontos domésticos, assim como na recolha seletiva.
3. Aumentar as restrições do uso de descartáveis em todos os edifícios públicos (ex: escolas e hospitais) e em todos os projetos e investimentos que usufruam de apoios públicos.

Açores

EBS 2,3 /S Bento Rodrigues

Desistiu

Açores

ES Antero de Quental

1. Fiscalizar a utilização de cascos duplos nos navios petroleiros, bem como legislar sobre a instalação de um aparelho detetor de descargas ilegais, nestes mesmos meios de transporte de hidrocarbonetos.
2. Investir na exploração e utilização de micélio como substituto parcial do plástico.
3. Incutir nos meios publicitários de maior alcance curtas-metragens impactantes, alusivas ao tema “Salvar Os Oceanos”.

Açores

ES da Lagoa

Desistiu

Açores

ES da Ribeira Grande

1. Incluir na área curricular não disciplinar de Cidadania - 10% das aulas - para ações de voluntariado e sensibilização ambiental junto da comunidade onde a escola se insere.
2. Proibir o uso de plásticos descartáveis em todos os festivais/eventos culturais (independentemente do número de pessoas concentradas).
3. Obrigar as grandes superfícies comerciais e mercados locais a vender produtos em avulso, permitindo que cada cliente reutilize os seus recipientes/embalagens para os acondicionar/transportar. A superfície comercial e mercado local podem ainda disponibilizar, à unidade, embalagens reutilizáveis para estes produtos.

Açores

ES Domingos Rebelo

1. 1. Desenvolvimento de materiais mais resistentes para a construção de oleodutos.
2. 2. Uso de filtros (redes) nas saídas dos esgotos a fim de evitar que resíduos sólidos terminem no mar.
3. 3. Recorrer a influencers para a divulgação de concursos e atividades que visem a limpeza das praias.

Açores

ES Jerónimo Emiliano de Andrade

1. Criação de campanhas de sensibilização e educação adaptadas às diferentes faixas etárias e promoção de ações de voluntariado.
2. Promoção e incentivo da produção, comercialização e utilização de embalagens concebidas com matérias biodegradáveis.
3. Implementação de infraestruturas de retenção de resíduos distribuídas pelo oceano.

Açores

ES Manuel de Arriaga

1. Investir em aparelhos de retenção de resíduos em pontos estratégicos nos oceanos.
2. Organizar ações de prevenção da poluição nas zonas balneares e fazer campanhas didáticas de sensibilização sobre o tema junto das comunidades escolares.
3. .

Açores

ES Vitorino Nemésio

1. Colocação de redes, nas saídas dos tubos de drenagem, para retenção do lixo.
2. Aumento do patrulhamento da zona económica exclusiva portuguesa.
3. Criação de estações de recolha de resíduos em todo o território nacional.

Açores

22 Escolas elegem 66 deputados: 44 deputados efetivos + 22 suplentes

Aveiro

Agrupamento de Escolas de Anadia - Escola Básica e Secundária

1. 1. Colocar pontos de recolha de recipientes de plástico e de vidro nos espaços públicos (superfícies comerciais, escolas, hospitais, ruas…) retribuindo-se a tara paga anteriormente pelo recipiente. Esta medida recompensará monetariamente os cidadãos que reciclem, ou seja, todos aqueles que entreguem os recipientes para reutilização. Exposição da medida: Criação de máquinas nos espaços públicos com o slogan «Um plástico por um bónus, cada plástico depositado é um bónus acumulado».
2. 2. Incentivos fiscais concedidos pela tutela, a empresas que apostem somente na produção e consumo de energias renováveis. Exposição da medida: Promover a criação de empresas amigas do ambiente.
3. 3. Incentivos fiscais do governo a todas as indústrias e produtores de embalagens/recipientes biodegradáveis e penalização fiscal a empresas produtoras de plástico descartável. Exposição da medida: Incentivo gradual à produção de recipientes biodegradáveis, para eliminação total de plástico descartável dos circuitos de produção e consumo.

Aveiro

Agrupamento de Escolas de Ílhavo

1. Criação de pontos urbanos de de recolha de materiais a reciclar - vulgo ecopontos, que de uma forma inteligente pudessem atribuir a cada pessoa que depositasse x material atribuisse um vaucher com pontos, um cupão de desconto nas mais diversas áreas e serviços que aderissem ao projeto. (pacotes de tecnnologia e comunicaçõa, cipões de desconto no mercado local ou em grandes superfícies, descontos na água e luz... ou outras)
2. Traçar um caminho de não uso de plástico no quotidiano da vida, investindo de forma persistente e determinada nas universidades e escolas para a descoberta e criação de materiais alternativos mais ecológicos.
3. Promover de uma forma massiva, a sensibilização, a formação, a consciencialização da necessidade urgente de cuidar do nosso planeta, a nossa casa de todos nas escolas, institutos, serviços públicos e privados, toda a comunidade política e social com a realização de acções e campanhas publicitárias e de envolvimento familiar, social, cultural e político.

Aveiro

Agrupamento de Escolas de Ovar

1. 1. Plástico nas praias Incentivar as empresas a eliminar químicos nocivos nos protetores solares, de forma a não prejudicar os oceanos, em parceria com a CIIMAR, apoiando e divulgando esta organização;
2. 2. Reduzir a pegada ecológica; Aumentar o número de veículos elétricos em Portugal Criar um estimulo ao abate dos veículos motorizados a gasóleo ou gasolina, para fomentar o uso dos veículos elétricos. (pode ser em sede de IRS ou IRC). Por outro lado, diminuir o imposto sobre os veículos motorizados, fazendo com que o preço dos referidos veículos diminua.
3. 3- Dinamizar uma campanha de limpeza das praias, alargada a todas as escolas do Agrupamento e à comunidade local. A recolha seria quinzenal e teria como prémio um diploma em papel reciclado.

Aveiro

Agrupamento de Escolas Dr. Mário Sacramento, Aveiro

1. Desenvolver ações de sensibilização da população para a mudança de comportamentos através da criação de uma plataforma online com conteúdos e/ou informações, da produção de documentários/pequenos filmes, de modo a alertar para as alterações climáticas e para a preservação dos oceanos.
2. Incentivar a utilização de transportes públicos movidos a energias renováveis, para diminuir a exploração dos combustíveis fósseis e o seu impacto negativo no planeta.
3. Implementar e incentivar ações de limpeza de lixo nas praias e criar mecanismos/sistemas de filtragem das águas pluviais nas cidades, de modo a diminuir a quantidade de produtos tóxicos/lixo que acabam por se acumular nos oceanos.

Aveiro

Colégio de Albergaria

1. Regulamentação e fiscalização dos transportes marítimos a diesel, de modo a reduzir a emissão de gases de efeito de estufa.
2. Obrigatoriedade de substituição de plásticos obtidos a partir de combustíveis fósseis por plásticos biodegradáveis.
3. Maior controlo sobre os efluentes industriais e domésticos, que constituem uma das principais fontes de poluição marítima.

Aveiro

Colégio Diocesano de Nossa Senhora da Apresentação

1. Nas Escolas do 1º Ciclo implementar visitas a museus marinhos ou entidades vocacionadas para a defesa dos oceanos, com base em protocolos estabelecidos entre o Ministério da Educação e as instituições atrás referidas
2. Promover o desenvolvimento de projetos de eco-turismo (litoral e marítimo) através de medidas de incentivo patrocinadas pelas Câmaras Municipais, Governo e União Europeia (apoio financeiro, benefícios fiscais, etc.)
3. Vigilância mais apertada das praias, relativamente à poluição provocada, com implementação de multas mais pesadas para quem não cumpra a lei.

Aveiro

Colégio Português (ENSIGEST)- Empreendimentos Educativos Lda

1. 1. Melhoria da rede de transportes urbanos, para diminuir a emissão de dióxido de carbono.
2. 2. Ações de sensibilização para substituir o plástico por produtos biodegradáveis e mais amigos do ambiente.
3. 3. Construção de depósitos de gás subterrâneos de captura e armazenamento de carbono.

Aveiro

Escola Básica de Aradas, Aveiro

Desistiu

Aveiro

Escola Básica de Eixo, Aveiro

1. Sensibilizar as instituições e organizações, que promovem campos de férias e/ou atividades a desenvolver durante esse período, para a redução do consumo de plástico.
2. Criar uma plataforma informática, designada “Save the oceans”, cuja operacionalização funcionaria em estreita articulação com o IPMA – Instituto Português do Mar e da Atmosfera.
3. Apoiar organizações relacionadas com a proteção do meio ambiente.

Aveiro

Escola Básica de Gafanha da Encarnação, Ílhavo

1. Criação de uma profissão remunerada pela Câmara Municipal, com o objetivo de recolher e limpar todo o tipo de lixo das zonas marítimas, bem como a manutenção das redes das saídas dos esgotos;
2. Existência de um Observador/Fiscalizador com o objetivo de controlar a quantidade de lixo produzido e o seu tratamento numa viagem náutica. No caso de se verificar o incumprimento das normas ecológicas, serão aplicadas taxas à embarcação, mediante o número de quilos de lixo produzido;
3. Proibição da venda de sacos plásticos e de papel, no mercado, de modo a obrigar a sociedade a utilizar sacos reutilizáveis, como por exemplo de pano. Aplicação de multas a cidadãos incumpridores, que posteriormente serão utilizadas para patrocinar empresas ou instituições que promovam a educação ecológica e ambiental.

Aveiro

Escola Básica Dr. Acácio de Azevedo, Oliveira do Bairro

1. 1.Incentivar a prática de Plogging em zonas populosas, junto à costa. Ligar a prática de exercício físico a movimentos de voluntariado, ações e campanhas das ONG e Greenpeace.
2. 2.Conceder apoios para desenvolver programas científicos de investigação, que contribuam com descobertas de combate à descontaminação dos oceanos.
3. 3.Atribuir benefícios a regiões menos poluentes, tendo em conta: população, atividades económicas (fábricas, transportes, agricultura, turismo, …). Criar agências ambientais que fiscalizarão a implementação de medidas e sensibilizarão a população.

Aveiro

Escola Básica e Secundária de Sever do Vouga

1. Incentivar o uso de sacos de pano reutilizáveis, de modo a diminuir o uso de sacos de plástico e de papel, aumentando o preço destes;
2. Promover campanhas de voluntariado para recolha de lixo nas praias e criar multas pesadas a todas as pessoas que sejam apanhadas a abandonar lixo fora dos contentores próprios;
3. Realizar campanhas nas escolas e nos meios de comunicação social, alertando as pessoas para a importância da reciclagem e dos comportamentos ecológicos.

Aveiro

Escola Básica e Secundária Dr. Jaime Magalhães Lima, Esgueira, Aveiro

1. Substituição de plásticos por materiais biodegradáveis, induzindo a igualação dos seus preços.
2. Garantir que as empresas responsáveis, pela verificação do cumprimento da legislação ambiental, consigam expor os resultados obtidos pelo seu trabalho.
3. Promover nas instituições escolares e em empresas, campanhas de limpeza e a vigilância em locais públicos de grande afluência e garantir o seu bom funcionamento a nível fiscal.

Aveiro

Escola Básica Fernando Caldeira, Águeda

1. Preservação dos oceanos: não poluir e respeitar as leis de pesca
2. Acabar com os plásticos pois em 2050, haverá mais plásticos do que peixes
3. Não poluir as praias, colocando mais caixotes do lixo e multar as pessoas que deitam lixo para o chão.

Aveiro

Escola Básica n.º 2 de São Bernardo, Aveiro

1. Extinguir embalagens plásticas e descartáveis por produtos biodegradáveis, (cartão, vidro e tetra pak), evitando a libertação de dióxido de carbono e de poluentes e a consequente destruição de corais.
2. Suprimir os sprays devido à libertação de aerossol e do efeito nocivo para a atmosfera e o oceano.
3. Aumentar a fiscalização sobre a poluição industrial e sobre os atuantes, diminuindo a libertação de gases poluentes como o dióxido de carbono, óxido de azoto e enxofre e o monóxido de carbono e as consequentes chuvas ácidas, contribuindo para uma atmosfera e oceano saudáveis.

Aveiro

Escola Básica Rio Novo do Príncipe, Cacia, Aveiro

1. 1. Fiscalização mais eficaz sobre as fábricas que diretamente ou indiretamente deitam resíduos para o mar.
2. 2. Proibir o uso de objetos descartáveis, maioritariamente de plástico, como, palhinhas, copos, pratos, talheres…
3. 3. As escolas de todo o País fazerem, de três em três meses, recolha de lixo, nas praias, nas margens dos rios e nos parques naturais.

Aveiro

Escola Profissional de Aveiro

1. Colocação de imagens chocantes, em espaços públicos, que mostrem o quão ferimos o meio ambiente diariamente com pequenos gestos.
2. Propor o aumento de impostos sobre empresas que produzam bens cujas matérias-primas não sejam “amigas do ambiente”, nomeadamente por não incluírem materiais reciclados ou recicláveis nas embalagens, por exemplo.
3. Promover a recolha de embalagens de plástico em supermercados, escolas públicas e demais instituições públicas com vista à redução de resíduos.

Aveiro

Escola Secundária de Estarreja

1. 1. Formação de Centros de recolha de lixos nas praias, em que os funcionários sejam desempregados/presidiários devida e justamente remunerados. Podia chamar-se I.A.L.O. (Instituto Anti Lixo no Oceano).
2. 2. Construir barcos-fábrica que capturem, lixo nas ilhas de plástico dos Oceanos, reciclem e transformem em matéria-prima (material bruto) reciclável para vender a empresas que transformem em produto final.
3. 3. Aumentar impostos nas compras de materiais plásticos descartáveis.

Aveiro

Escola Secundária de Gafanha da Nazaré

1. 1. Reduzir a utilização de plástico.
2. 2. Reflorestar e proteger as dunas.
3. 3. Equipar os navios petroleiros com aparelhos de aspiração.

Aveiro

Escola Secundária de Vagos

1. Substituir as garrafas e os sacos de plástico, por sacos de pano e por garrafas de vidro (garrafas com tara)
2. Apostar em equipamentos de retenção de resíduos em pontos estratégicos nos oceanos (seabin project)
3. Substituir os filtros de cigarros utilizados atualmente por filtros biodegradáveis.

Aveiro

Escola Secundária José Estevão, Aveiro

1. Criação de um maior número de lugares de estacionamento de bicicletas, postos de carregamento de carros elétricos, bem como obrigatoriedade de ciclovias no ordenamento citadino e o aumento da frequência do fluxo de transportes públicos.
2. Instalação de sistemas que monitorizem o tempo que as ETARS ficam ativas com acesso exclusivo a entidades reguladoras.
3. Proibição da utilização de redes de pesca feitas de derivados do petróleo. Substituição do plástico (poliestireno) por materiais biodegradáveis.

Aveiro

Escola Secundária Marques de Castilho, Águeda

1. Entrega de benefícios fiscais a empresas e cidadãos comuns que entreguem os seus resíduos, devidamente separados, a empresas de reciclagem e a autarquias.
2. Redução das emissões de gases causadores do efeito de estufa, causador das alterações climáticas através da prevenção de incêndios, utilização dos diversos transportes públicos com mais regularidade e maior investimento em indústrias verdes.
3. Diminuição substancial da produção e uso plástico através da sua substituição por outros materiais biodegradáveis.

Aveiro

Centro de Educação Integral

1. Implementar o projeto “SeaBin” (projeto de limpeza dos oceanos) em toda a zona costeira do país
2. Beneficiar fiscalmente as empresas que adotem uma Economia Circular, incentivando, assim, o surgimento de outras empresas semelhantes à “Knowaste” (que recolhe produtos de higiene descartáveis e recicla-os).
3. Promover a instalação em edifícios públicos/privados de painéis fotovoltaicos, baixando a taxa de IVA para 6%.

Aveiro

Colégio Liceal de Santa Maria de Lamas

Desistiu

Aveiro

Escola Básica António Alves Amorim, Santa Maria da Feira

1. Promover a reciclagem de mais tipos de plástico - Reduzir a quantidade de lentes de contacto eliminados pelos esgotos. Sensibilização nas óticas de uma forma de recolha de lentes de contacto usadas, dando como incentivo um cartão de pontos que poderá levar a descontos.
2. Concurso de recolha de lixo Organização de concursos de recolha de lixo nas praias, cujo critério é a maior quantidade de lixo recolhido e o dinheiro angariado é doado para organizações de proteção dos oceanos e animais. Criar parcerias na comunidade local que patrocinem o concurso.
3. Campanha de sensibilização Dinamização de uma campanha de proteção dos oceanos nos media e outdoors com imagens e mensagens chocantes relativas à poluição dos oceanos.

Aveiro

Escola Básica Comendador Ângelo Azevedo, Oliveira de Azeméis

1. 1.Criar postos de recolha de material não biodegradável e promover campanhas de sensibilização.
2. 2.Conceber áreas marítimas protegidas onde as espécies se reproduzem e/ou alimentam, pelos governos.
3. 3. Regulamentar (estabelecer regras) a prestação de serviço voluntário de interesse público, na área da proteção do ambiente.

Aveiro

Escola Básica de Arrifana, Santa Maria da Feira

1. Aplicação de multas substanciais às empresas que num prazo máximo de cinco anos não substituam a utilização do plástico nos seus produtos ou que não reduzam em pelo menos 80% a sua utilização.
2. Proibir a utilização de garrafas de plástico. Substituí-las por garrafas de vidro concedendo benefícios fiscais ou outros, a quem recorrer à sua reciclagem.Que poderia ser efetuada em superfícies comerciais ou em locais estrategicamente escolhidos e preparados, pelas autarquias para o efeito. Acabar com os sacos plásticos substituindo-os por sacos de pano personalizados e manufaturados, envolvendo vários grupos nas comunidades locais( escolas, lares de idosos,etc).Para uso próprio e para venda.
3. Atribuir incentivos fiscais ou outros, por exemplo a redução do preço na fatura da água, a quem reduzir a quantidade de lixo e a quem separar o lixo e o entregar para reciclagem. Para tal efeito as autarquias deveriam organizar a recolha seletiva do lixo e ou criar centros de recolha e pesagem do mesmo.

Aveiro

Escola Básica de Canedo, Santa Maria da Feira

1. Reforçar a fiscalização do cumprimento do princípio do poluidor-pagador, princípio basilar da Lei n.º 19/2014, de 14 de abril e do Decreto-Lei n.º 147/2008 de 29 de julho, que obriga o responsável pela poluição a assumir os custos tanto da atividade poluente como da introdução de medidas internas de prevenção e controlo necessário para combater as ameaças e agressões ao ambiente.
2. Aplicar uma taxa adicional para as empresas que no seu processo de produção utilizam mais plástico e paralelamente aumentar o preço dos bens que recorram a mais plástico (no acondicionamento dos alimentos, por exemplo) para incentivar os consumidores a fazerem escolhas mais amigas do ambiente.
3. Para combater a pesca Ilegal, aumentar a fiscalização e as coimas quando existir incumprimento da lei e das medidas, nomeadamente no que diz respeito os instrumentos de pesca e às áreas de captura de pescado.

Aveiro

Escola Básica de Corga do Lobão, Santa Maria da Feira

Desistiu

Aveiro

Escola Básica de Couto Mineiro do Pejão, Raiva, Castelo de Paiva

1. Limpeza das praias fluviais e marinhas, bem como a vigilância da limpeza dessas praias, com aplicação de coimas para quem deixar qualquer resíduo. Esta limpeza/vigilância poderá ser efetuada por brigadas organizadas, de alunos das escolas das áreas mais próximas, bem como por outras entidades.
2. Promover o uso de materiais reutilizáveis/biodegradáveis, reduzindo a possibilidade de poluição.
3. Criar campanhas de sensibilização nas escolas, autarquias, rádio, televisão e redes sociais, que promovam as medidas anteriores, com o princípio básico: A tua atitude pode fazer a diferença.

Aveiro

Escola Básica de Loureiro, Alumieira, Oliveira de Azeméis

1. Acabar com o despejo das águas industriais em rios ou lagos, obrigando as empresas fabris a ter uma ETAR de dimensão apropriada.
2. Incentivar ao uso de produtos biodegradáveis, pela aplicação de taxas mais altas em produtos plásticos não reciclados e redução de impostos para quem mais recicla.
3. Diminuir a pesca intensiva aumentando as patrulhas de inspeção no mar.

Aveiro

Escola Básica de Paços de Brandão, Santa Maria da Feira

1. Criação de uma aplicação para denunciar as empresas mais poluentes.
2. Reduzir os impostos sobre os carros elétricos e aumentar os impostos sobre os restantes carros poluentes.
3. Aumentar a fiscalização nas empresas, multando as mais e recompensando fiscalmente as menos poluentes.

Aveiro

Escola Básica Dr. José Pereira Tavares, Pinheiro da Bemposta, Oliveira de Azeméis

1. Desenvolvimento de ações de sensibilização a pescadores e armadores com vista a reduzir a pesca de certas espécies em risco de extinção e diminuir os resíduos resultantes da limpeza dos navios de pesca.
2. Intensificar a atividade de fiscalização no mar e a aplicação de coimas mais pesadas aos infratores como forma de controle do tamanho da malha das redes de pesca e do peixe pescado e direcionar os excedentes para rações.
3. Angariar voluntários para apoiar o maior centro de reabilitação de animais marinhos da Europa, situado em Ílhavo, Aveiro.

Aveiro

Escola Básica e Secundária Coelho e Castro, Fiães, Santa Maria da Feira

1. Taxar as empresas que não cumpram com a legislação ambiental em vigor, aumentando também a fiscalização nas grandes empresas.
2. Encontrar soluções para evitar que as lentes de contacto sejam lançadas na rede de águas sanitárias (por exemplo, postos de recolha em farmácias das lentes guardadas pelos utilizadores em sua casa).
3. Redução do IVA no peixe de aquacultura sustentável a ser aplicada em empresas certificadas.

Aveiro

Escola Básica e Secundária de Escariz, Arouca

1. Incentivar a reciclagem.
2. Utilização de redes para filtração dos resíduos e aplicação do princípio do poluidor pagador de modo rigoroso.
3. Tratar os resíduos antes de serem despejados no meio ambiente.

Aveiro

Escola Básica e Secundária de Fajões, Oliveira de Azeméis

1. Proibição da lavagem dos tanques dos petroleiros em alto mar bem como o lançamento das águas “sujas”, sem qualquer tratamento, no mar. Promover incentivos e fiscalização para que estes lançamentos sejam feitos em terra em instalações próprias para o seu tratamento;
2. Privilegiar as energias renováveis oferecendo benefícios fiscais às empresas e particulares que utilizem dispositivos que aproveitem e utilizem as mesmas;
3. Aumentar a produção de bioplástico como forma de substituição gradual do plástico de origem petrolífera e definindo metas temporais para que as empresas substituam a utilização do primeiro pelo segundo nos seus processos.

Aveiro

Escola Básica e Secundária Dr. Serafim Leite

1. Fomentar, de forma gradual, o uso de combustíveis provenientes de fontes renováveis nos transportes marítimos, substituindo os combustíveis fósseis atualmente usados, extremamente poluidores dos oceanos, cujo incentivo passaria pela concessão de benefícios fiscais e descida dos custos de compra de equipamentos movidos a este tipo de energia, bem como da remodelação dos navios já existentes e, posteriormente, através da proibição deste tipo de combustíveis.
2. Implementar um sistema de limpeza e vigilância efetiva das praias e da sua biodiversidade, conservando o ecossistema costeiro português, circunstâncias a serem executadas por funcionários municipais específicos para este tipo de função – alargando, assim, o leque de funções sob a alçada das entidades camarárias - ou por entidades sob a tutela do Ministério do Ambiente em parceria com a Polícia Marítima.
3. Aposta efetiva na agricultura biológica, livre de pesticidas e de fertilizantes nocivos ao meio ambiente, em três vertentes: sensibilização e formação sobre esta temática nos currículos e projetos escolares; incentivo concreto e consistente a empreendimentos agrícolas inovadores; proibição efetiva, a curto prazo, dessas substâncias agrotóxicas e fiscalização do cumprimento das diretivas a serem impostas.

Aveiro

Escola Básica e Secundária Oliveira Júnior, São João da Madeira

1. Elaborar legislação para promover a utilização de materiais biodegradáveis, substituindo gradualmente o uso do plástico.
2. Desenvolver um fundo monetário, a nível internacional, para fomentar a limpeza dos oceanos.
3. Promover a investigação, a nível público e privado, para preservar a vida marinha.

Aveiro

Escola Básica Fernando Pessoa, Santa Maria da Feira

1. Equipar os barcos com equipamento de emergência imediata (material de filtragem) para poder filtrar o petróleo derramado pelos barcos e salvar a fauna e flora marinha.
2. Colocação de redes de filtragem nas condutas de àguas pluviais e nos escoamentos de esgotos industriais, permitindo dessa forma que os resíduos sólidos, nmeadamente plásticos, sejam retidos e depois recolhidos semanalmente para serem reciclados.
3. Colocar as pessoas que se encontram no desemprego a realizar limpezas de praias, atribuindo uma bonificação ao subsídio de desemprego que estas auferem.

Aveiro

Escola Secundária de Arouca

1. CRIAR ZONAS PROTEGIDAS NOS OCEANOS COM VISTA À PRESERVAÇÃO DA VIDA MARINHA
2. REDUZIR, RECICLAR E REUTILIZAR O PLÁSTICO
3. REDUZIR A PEGADA DO CARBONO OU SEJA DIMINUIR AS EMISSÕES DE DIÓXIDO DE CARBONO

Aveiro

Escola Secundária Ferreira de Castro, Oliveira de Azeméis

1. Criação da APPO, Associação Portuguesa para a Proteção dos Oceanos, visando promover a sensibilização, investigação e fiscalização sobre as áreas ambientais que afetam os oceanos.
2. Implementação do projeto The Ocean Cleanup em Portugal.
3. Substituição gradual dos navios que utilizam combustíveis fósseis por navios com sistema de propulsão energética amiga do ambiente.

Aveiro

Escola Secundária João Silva Correia, São João da Madeira

1. Uso obrigatório de sacos de plástico solúveis em água A nossa primeira medida é banir os sacos de plástico, substituindo-os inteiramente pelos sacos biodegradáveis e até 2022 legislar a obrigatoriedade de todos os sacos plásticos serem hidrossolúveis (sacos de plástico que contêm calcário na sua composição e apenas libertam carbono em contacto com a água, sendo que o carbono não é um gás nocivo quando atua por ele próprio).
2. Reutilização de resíduos de celulose A nossa proposta é a extração de celulose destes resíduos para o fabrico de inertes quer nas indústrias, quer nas ETARs, neste caso, material granulado de construção como argamassa e betão. Esta é uma solução exequível e economicamente alcançável consoante o investimento nas ETARs e da adesão do mercado. Esta será provavelmente conseguida devido ao valor de venda de celulose bem como de granulados de construção. Pensamos que esta é uma solução viável e que a
3. Aumentar o número de ecopontos A nossa terceira medida é aumentar o número de ecopontos existentes em todas as localidades do país, visto que o número de contentores de lixo orgânico é superior ao número de ecopontos o que leva as pessoas a colocar tudo no mesmo caixote. Como uma forma de sensibilizar a população, sugerimos a redução dos preços dos pequenos ecopontos que temos nas nossas casas.

Aveiro

Escola Secundária Soares Basto, Oliveira de Azeméis

1. 1. Colocação de máquinas nos supermercados para depositar embalagens de plástico em troca de vales de desconto.
2. 2. Incluir a limpeza das praias como uma medida, no âmbito do serviço comunitário, que os reclusos tenham que prestar.
3. 3. Aumentar a segurança e vigilância dos pipelines.

Aveiro

40 Escolas elegem 120 deputados: 80 deputados efetivos + 40 suplentes

Beja

Agrupamento de Escolas de Aljustrel

1. Reforço nos acordos de cooperação entre os diferentes estados, no sentido de aumentar a vigilâncias dos oceanos e acentuar as coimas, a todos que efetuem qualquer ato de destruição nos oceanos.
2. Promover incentivos fiscais a grupos /empresas que apresentem formas inovadoras e sustentáveis em termos ambientais, na apresentação dos seus produtos e transporte dos mesmos, ao longo da cadeia de comercialização.
3. Apoiar novas praticas, que associem inovação tecnológica a baixo custo, de forma a podermos limpar o lixo já existente nos oceanos e /ou o que possa vir a aparecer, transformando-o imediatamente, para que este seja reutilizado na produção de novos produtos, destinados ao consumidor final.

Beja

Agrupamento de Escolas de São Teotónio

1. Colocação de redes, para serem usadas como filtros, nas saídas das condutas das águas residuais, para impedir a passagem de plásticos para os rios e oceanos.
2. A utilização de nanofiltros para eliminar resíduos farmacêuticos, nomeadamente antibióticos e anti-inflamatórios, anti-hipertensivos, anti-depressivos entre outros, existentes nas águas residuais e consequente contaminação por fármacos no ambiente afetando as comunidades biológicas.
3. Moratória ao uso de plásticos contaminantes, (por ex: palhinhas, copos, pratos, cotonetes) nos diferentes estabelecimentos de ensino e outros estabelecimentos público privados. Adequação dos contentores do lixo nas praias, para contentores subterrâneos, como existem em algumas cidades, evitando assim os maus odores e contaminação dos espaços com os lixos espalhados.

Beja

Agrupamento de Escolas de Vidigueira

1. Promover uma política de diminuição da produção de artigos descartáveis de plástico e regulamentar a substituição gradual de embalagens de plástico por outras que sejam biodegradáveis;
2. Criar leis que impeçam a extração de petróleo na zona económica exclusiva de Portugal impedindo assim a hipótese de poluição do litoral português
3. Promover uma atividade trimestral, a nível nacional, com forte aposta nas escolas e que seja apologista do plogging (atividade que consiste em recolha de lixo durante a execução de uma atividade desportiva)

Beja

Colégio de Nossa Senhora da Graça

1. Intensificar, nos meios de comunicação e publicidade, a importância da redução de plásticos.
2. Reforçar o controlo legal sobre o uso de plásticos por indústrias e empresas.
3. Alargar as ações de divulgação do combate aos plásticos, junto dos mais jovens, nas escolas.

Beja

Escola Básica Aviador Brito Paes, Colos, Odemira

1. A União Europeia deve apoiar financeiramente o desenvolvimento da pesquisa científica com o objetivo de encontrar materiais alternativos ao plástico.
2. O Ministério da Educação deve criar uma disciplina de Educação Ambiental, em todos os anos, desde a pré-escolar até ao secundário, que deverá funcionar de quinze em quinze dias e ser leccionada por especialistas em questões ambientais.
3. A União Europeia deve apoiar as fábricas e empresas sustentáveis na produção de produtos alternativos ao plástico.

Beja

Escola Básica de Amareleja, Moura

1. Sensibilização da população para a utilização de materiais reutilizáveis.
2. Promoção da investigação científica para desenvolver alternativas ao transporte marítimo dos combustíveis fósseis.
3. Promoção da utilização de energias renováveis.

Beja

Escola Básica de Barrancos

1. Proibir a distribuição e venda de sacos de plástico não biodegradáveis e substitui-los por sacos de papel reciclado, atribuindo benefícios a quem proceder à entrega de plástico para reciclagem, em locais próprios.
2. Promover a redução das emissões de CO2, através da generalização dos transportes públicos e incentivar o aumento das zonas verdes.
3. Investir em voluntários que assegurem a limpeza das zonas costeiras e das margens dos rios.

Beja

Escola Básica de Moura

1. Promover a diminuição do consumo de carne e peixe.
2. Proibir a produção e comercialização de recipientes de plástico descartáveis.
3. Implementar medidas de incentivo à florestação e arborização.

Beja

Escola Básica de Santa Maria, Beja

Desistiu

Beja

Escola Básica e Secundária de Ourique, Ourique

1. Medida 1: Reflorestar os oceanos, de modo a manter a sua produção de oxigénio, o que contribuirá para a redução do aquecimento global.
2. Medida 2: Promover o equilíbrio da biodiversidade aquática através da criação de novas zonas de proteção marítima e da proteção dos recifes de corais.
3. Medida 3: Controlo da acidificação das águas do mar através da fertilização dos oceanos e da utilização mais consciente dos combustíveis fósseis.

Beja

Escola Básica Fialho de Almeida, Cuba

1. Nas localidades de maior dimensão as empresas públicas e privadas permitirem aos funcionários alguma flexibilidade de horário e darem um incentivo, através do pagamento de uma parte do passe, aos funcionários que utilizem os transportes públicos para se deslocarem para o emprego. Nas localidades de menor dimensão, as empresas procederem à atribuição de um subsídio aos funcionários que se desloquem a pé ou de bicicleta para o emprego.
2. Criação de uma categoria, com tarifa reduzida, para veículos movidos com recurso a energias renováveis nas portagens das autoestradas e pontes.
3. As câmaras municipais em conjunto com a autoridade marítima constituírem uma equipa que atue junto dos utentes das praias, sensibilizando para a limpeza das mesmas, que efetue também fiscalização e em caso de se verificarem incumprimentos proceder à aplicação de sanções.

Beja

Escola Profissional de Moura

Desistiu

Beja

Escola Secundária de Castro Verde

1. Criação de um conteúdo obrigatório na disciplina de estudo do meio, com continuidade nas áreas das ciências (ao longo dos ciclos), com o fim de abordar o tema das alterações climáticas e ensinar desde cedo a reciclar e a cuidar do planeta.
2. Incentivos fiscais a empresas que reduzam a produção e o consumo de materiais plásticos, sendo este processo monitorizado pelo Ministério do Ambiente e Transição Energética.
3. Promoção de medidas, promovidas pelas autarquias locais, incentivadoras da redução dos plásticos no dia a dia dos seus cidadãos.

Beja

Escola Secundária de Serpa

1. Promover a realização de investigações (missões financiadas) aos oceanos para identificar as zonas mais vulneráveis e criar aí áreas protegidas com o objetivo de preservar as espécies.
2. Sensibilizar as crianças, desde os primeiros anos de escolaridade, para a importância da preservação do planeta, em particular, dos oceanos.
3. Aplicar taxas bastante penalizadoras para os produtos embalados com plástico.

Beja

Escola Secundária Diogo de Gouveia, Beja

1. Premiar as pessoas que adotem boas práticas na utilização e reciclagem do plástico - máquinas que devolvem dinheiro/vales de desconto quando se entregam garrafas/embalagens de plástico.
2. Proibição da venda de garrafas de plástico nas escolas, incentivando os alunos e os professores a trazer de casa garrafas inox.
3. Criar contentores para colocar e posteriormente poder reciclar as redes de pesca e sensibilizar os pescadores para o perigo da pesca fantasma.

Beja

Escola Secundária Dr. Manuel Candeias Gonçalves, Odemira

1. Diminuir a pesca com redes de arrasto, navegando de forma responsável, e não pescando em zonas interditas.
2. Sensibilizar as pessoas com campanhas e voluntariado para limpeza de praias e recolha de lixo.
3. Diminuição de materiais não recicláveis e plásticos descartáveis, promovendo a utilização de embalagens recicláveis e incentivando as empresas a reciclar resíduos para produzir os seus materiais.

Beja

14 Escolas elegem 56 deputados: 42 deputados efetivos + 14 suplentes

Braga

Agrupamento de Escolas Camilo Castelo Branco, Vila Nova de Famalicão

1. Proibição da utilização do plástico normal, que deve ser substituído por plástico biodegradável.
2. Distribuição de uma garrafa reutilizável a todos os alunos da escolaridade obrigatória.
3. Definir uma percentagem dos orçamentos dos municípios para campanhas de sensibilização.

Braga

Agrupamento de Escolas Padre Benjamim Salgado, Vila Nova de Famalicão

1. 1-Promover a nível mundial a utilização de energias renováveis para diminuir o efeito estufa e assim não provocar o aumento da temperatura global do planeta, que influência a estabilidade dos mares e oceanos.
2. 2-Propomos que pelo facto de Portugal ter uma grande costa marítima, e ser o pais da Europa com maior exposição solar, o governo deverá promover e financiar projetos da produção de energia maremotriz e solar
3. Propomos que a polícia marítima deverá efectuar maior fiscalização nas praias, nomeadamente na época balnear, evitando assim o desleixo dos cidadãos ao deixarem lixo nas praias, que posteriormente irá poluir os Oceanos e Mares do nosso Planeta.

Braga

Cooperativa de Ensino "Didáxis"

1. •Pedir obrigatoriamente, o número de contribuinte para controlar o lixo que é comprado e se as pessoas não o reciclarem apanham multa. •Devolver as garrafas de plástico a postos próprios e por um número de garrafas entregues é dada uma recompensa.
2. •Incentivar as caminhadas para apanhar lixo na praia.
3. •Investir em investigação científica para a descoberta de novos métodos de ajuda para os oceanos, como por exemplo, uma bactéria que faz com que a decomposição do plástico seja mais rápida.

Braga

Escola Básica Abel Varzim, Barrancos, Barcelos

1. 1.Recicla e diminui o uso de produtos plásticos: assumir o compromisso de proteger os oceanos é um ideal que todos devemos ter. O plástico é o seu maior poluidor, matando centenas de espécies marinhas. Por exemplo, as palhinhas de plástico demoram mais de 400 anos a degradar-se, afectando esta geração e mais ainda as futuras. Para contrariar este facto, propomos uma diminuição e utilização responsável do plástico, para além de uma maior utilização de garrafas e sacos reutilizáveis.
2. 2. Consome e utiliza de forma responsável a água O grande responsável pela poluição dos oceanos é o ser humano e é também o grande afectado. Se a água potável deixar de existir a raça humana extingue-se, por isso cada um de nós deve medir as suas atitudes se queremos que a humanidade tenha futuro. A medida que os anos passam esquecemos-nos do mais importante, das nossas necessidades mais básicas e a humanidade tem vindo a focar-se apenas nos bens matérias e na tecnologia.
3. 3.Distribuição de ecopontos de reciclagem: Atualmente a maior parte dos portugueses não fazem a devida reciclagem. O lixo não separado vai para os aterros, logo provoca uma grande poluição nos lençóis de água subterrâneos que posteriormente irão ter aos mares, por isso devemos separa-lo corretamente. Não só na escola mas também em casa devemos fazer a correta separação do lixo e alertar a nossa família para os perigos da poluição. Para tal propomos a colocação de ecopontos nos espaços públicos

Braga

Escola Básica António Rodrigues Sampaio, Esposende

1. Consciencializar a população, a nível local, para a problemática do aquecimento global através da promoção de sessões de informação e esclarecimento.
2. Promover a mobilidade suave no território, criando uma rede estruturada e sinalizada de percursos pedestres e cicláveis que ligue toda a paisagem natural e humanizada.
3. Adaptar a gestão da infraestrutura verde ao novo cenário climático, introduzindo espécies mais resistentes ao calor e menos exigentes em rega e criando novos núcleos arborizados com espécies nativas.

Braga

Escola Básica Arqueólogo Mário Cardoso, Ponte, Guimarães

1. Tornar os transportes públicos economicamente mais acessíveis ou até gratuitos, incentivando as pessoas a utiliza-los, em detrimento do transporte individual, a fim de se reduzirem as emissões de CO2.
2. Transformar o sistema de produção de energia elétrica, acabando com os 30% de combustíveis fósseis (carvão, gás-natural e outras fontes fósseis), ainda existes, substituindo-os por fontes de energia renovável, até 2025.
3. Diminuir a utilização/produção de produtos de plástico (copos, pratos, talheres, palhinhas, embalagens para diferentes fins, etc.) criando benefícios económicos e fiscais para quem demonstrar políticas empresariais neste sentido, de modo a evitar a acumulação de materiais plásticos no oceano.

Braga

Escola Básica D. Afonso Henriques, Creixomil, Guimarães

1. 1- Colocação de redes de filtragens em zonas estratégicas dos rios.
2. 2- Tornar obrigatório a colocação de pontos de recolha de resíduos plásticos em todas as grandes superfícies, em troca de vouchers, no valor das taxas dos plásticos que entretanto devem subir.
3. 3- Fiscalização efetiva das zonas de praia, fluviais e marítimas, com aumento do preço das multas.

Braga

Escola Básica D. Maria II, Gavião, Vila Nova de Famalicão

1. Organizar sessões de informação junto da comunidade escolar alertando sobre as consequências que as alterações climáticas e a poluição dos oceanos provocam na vida do Planeta.
2. Alertar os grupos parlamentares da AR para que legislem, penalizando a utilização dos plásticos/microplásticos, sobre a pesca não sustentável e outras atividades económicas poluidoras dos oceanos.
3. Alterar comportamentos quotidianos, começando pela Escola, no sentido de praticar a reciclagem, banindo a utilização de plásticos, no sentido de minimizar a pegada ecológica.

Braga

Escola Básica da Mota, Celorico de Basto

1. Construção de viveiros para criação de espécies marinhas, prática da Aquacultura, procurando uma produção sutentável.
2. Promoção de ações de sensibilização para a prevenção da poluição, com o intuito de criarem ecopontos, promovendo comportamentos acertivos e incentivando à prática da reciclagem.
3. Evitar o uso de materiais plásticos e substâncias similares, promovendo o uso de outro tipo de materiais que possam ter a mesma função atribuída ao plástico.

Braga

Escola Básica da Nascente do Este, Gualtar, Braga

1. O lixo (resíduos diversos) particular ou empresarial posto à porta não deve exceder o peso máximo estipulado. Se exceder, haverá pagamento de coima. Fomentar, sobretudo, a redução de lixo, mas também a reutilização e a reciclagem.
2. Acabar com as garrafas de plástico nas escolas. As escolas podem/devem disponibilizar garrafas reutilizáveis , quiça, personalizadas, incentivando e efetivando a diminuição do plástico
3. Definição de postos de recolha de resíduos em diferentes instituições/entidades para reciclar. Benefícios fiscais para as entidades/instituições que recolhem os resíduos e benefícios para a população que os entrega, por exemplo, criação de cartão com pontos a acumular ou vales de desconto. Promoção da reciclagem e da consequente diminuição de resíduos nos oceanos.

Braga

Escola Básica das Taipas, Caldas das Taipas, Guimarães

1. - Promover o uso de carros híbridos ou elétricos para diminuir o aquecimento global e a fusão das calotes polares.
2. - Aposta na energia das ondas e marés para reduzir o consumo de combustíveis fósseis, uma vez que o nosso país tem uma extensa costa e devemos aproveitar as potencialidades do mar.
3. - Alterações da política de recolha de resíduos, aumentando a sensibilização nas escolas e recompensar quem procede à separação dos resíduos.

Braga

Escola Básica de Abação, Guimarães

1. Criação do sistema de pagador/poluidor nas grandes cidades – aos habitantes serão fornecidos sacos, com um custo a determinar por cada autarquia, para depositar o lixo doméstico e os lixos recicláveis (um por cada tipo de lixo). Pretende-se que ao reciclar mais, os habitantes precisem de menos sacos de lixo doméstico, logo, pagarão menos.
2. Criação de incentivos à reciclagem – estabelecer um peso pelo qual o habitante receberá, por exemplo, um vale para compras ou prestação de serviços dentro da freguesia em que habita.
3. Alargamento do uso de veículos eléctricos ou híbridos – diminuir contribuições e impostos na compra, cedência de parqueamento gratuito, constituição de um calendário para que o Estado, central, local e empresarial possa substituir a sua frota automóvel por veículos deste género.

Braga

Escola Básica de Arões - Santa Cristina, Fafe

1. Promoção da utilização de ecopontas.
2. Redução do consumo de plástico.
3. Criação de Brigadas Verdes na rede escolar.

Braga

Escola Básica de Briteiros, Guimarães

1. Aposta na Economia Circular. O consumo excessivo de recursos concretamente os plásticos é um dos principais responsáveis pelas elevadas emissões de gases de efeito de estufa. Assim defendemos que o Governo juntamente com o setor empresarial privado, incentivem à preservação do valor e da utilidade dos recursos pelo maior período de tempo possível.
2. Desenvolvimento de uma mobilidade sustentável. A rede de transportes públicos devem ser reestruturadas para que se evite o uso do transporte automóvel individual. Estes devem ser tendencialmente gratuitos para todos e, os horários alargados para que seja efetiva a sua utilização. Os veículos devem ser obrigatoriamente ecológicos. A nível escola deve ser disponibilizado um sistema de aluguer de bicicletas.
3. Incentivo às energias renováveis. Em todas as escalas de intervenção: nível nacional, regional/intermunicipal, local ou individual, a utilização de recursos renováveis autóctones (energia solar, eólica, etc…) devem ser incentivadas. A nível das escolas devem ser criados projetos de reestruturação de equipamentos (possivelmente com recursos a fundos europeus) que possibilitem a produção de energia elétrica e/ou aquecimento.

Braga

Escola Básica de Caldas de Vizela, Vizela

1. Distribuição de sacos personalizados/numerados reutilizáveis a agregados familiares para recolha semanal.
2. Colocação generalizada de máquinas para recolha de resíduos (plásticos e outros) para reciclagem em troca de descontos e/ou ofertas de vários produtos e serviços.
3. Realização de campanhas de sensibilização junto da população e apoio a associações e organizações não governamentais para a realização de atividades ambientais.

Braga

Escola Básica de Celeirós, Braga

1. Reduzir a emissão de CO2 através da proibição da circulação dos veículos automóveis mais poluentes no centro das cidades. Em 2 anos impedir a circulação dos veículos com mais de 10 anos e em 7 proibir a circulação dos automóveis que funcionem com derivados do petróleo.
2. Aumentar a fiscalização e a punição dos não cumpridores das leis ambientais, contratando mais pessoal para desenvolver ações de inspeção nas indústrias.
3. Proibir nas escolas a venda de materiais em plástico substituindo-o por inox/e ou vidro reutilizáveis.

Braga

Escola Básica de Fermentões, Guimarães

1. Utilização em maior escala do papel plastificado, de modo a substituir gradualmente o plástico, resolvendo assim, problemas como a “Ilha do Plástico”, algo que afeta não só a vida marinha e o estado do planeta, mas também a nossa saúde.
2. Proibição da utilização de químicos tóxicos como anestesiantes, para a captura de peixes como os de aquário, que para além de os matar passado um tempo, degradam também a flora marinha e acidificam os oceanos.
3. Aceleração do processo e criação em maior quantidade de áreas marinhas protegidas, essencialmente nas zonas de maior risco da fauna e flora marinhas, evitando assim, a extinção de algumas espécies e a degradação de ecossistemas.

Braga

ESCOLA BÁSICA DE FORJÃES

1. Exigir a utilização de redes de pesca biodegradáveis.
2. Criar um programa de vigilância por satélite da navegação em alto mar para identificar atentados contra a natureza.
3. Investir na recolha do plástico existente nos oceanos e na sua reutilização para outros fins.

Braga

Escola Básica de Fragoso, Barcelos

1. Colocação de máquinas de reciclagem em locais públicos em que as pessoas receberão vales de desconto pela colocação de resíduos.
2. Desenvolver campanhas de sensibilização em larga escala com o objetivo de promover hábitos de vida que reduzam o impacto do nosso estilo de vida no ambiente. Tais campanhas desenvolver-se-iam na comunicação social, redes sociais, transportes públicos, cinemas, entre outros, e visariam promover comportamentos como: diminuição do uso do automóvel; redução consumo de água; diminuição do consumo de plástico; eliminação da poluição marítima; redução do consumo de espécies marinhas em extinção.
3. Criação de medidas fiscais que incentivem os municípios a tomarem medidas de proteção do ambiente e da orla costeira, nos casos em que tal se verifique. Tais medidas passariam pela colocação de mais ecopontos, pela criação de dias sem automóveis de forma mais frequente, criação de mais ciclovias, incremento da mobilidade elétrica nas redes de transportes públicos.

Braga

Escola Básica de Gandarela,Celorico de Basto

1. Promoção de campanhas de sensibilização, principalmente a nível das escolas, para a problemática dos oceanos e nomeadamente para o uso de garrafas de plástico e o seu impacto quando não são devidamente recicladas.
2. Criação de uma bolsa nacional com o objetivo de financiar campanhas de limpeza dos oceanos.
3. Criar plataformas de registo das espécies marinhas em risco de forma a que as pessoas possam tomar decisões informadas acerca das espécies que podem consumir e de forma a que, havendo uma menor procura das espécies em risco, a quantidade de pesca desses espécies diminua substancialmente.

Braga

Escola Básica de Gil Vicente, Urgeses, Guimarães

1. Obrigatoriedade de instalação de filtros e ETAR em empresas, de acordo com a dimensão e potencial poluente das mesmas.
2. Aumentar a fiscalização das empresas suspeitas de fazer descargas poluentes ilegais, aumentando os efetivos Serviço de Proteção da Natureza e do Ambiente da GNR.
3. Dar uma compensação financeira a quem procedesse à separação de determinados tipos de resíduos (garrafas, latas, etc.).

Braga

Escola Básica de Gondifelos, Vila Nova de Famalicão

1. Reduzir o consumo de plástico através da substituição de embalagens de plástico por embalagens de papel ou outro material reutilizável/reciclável (talheres, copos, embalagens de arroz, cereais e outros).
2. Fomentar a utilização de transportes “verdes” nas escolas, nomeadamente através da substituição dos transportes que funcionam com derivados do petróleo, por outros menos poluentes e criação de ciclovias que permitam a utilização da bicicleta na deslocação entre casa e a escola.
3. Promover a utilização dos sacos de pano e papel, através da redução gradual da produção e utilização dos sacos plásticos nas superfícies comerciais.

Braga

Escola Básica de Manhente, Barcelos

1. Colocar nos rios e nos esgotos, redes que filtrem o lixo e o impeça de chegar ao oceano. (As autarquias individualmente ou em articulação com as autarquias vizinhas e o poder central devem agir de forma a diminuir o lixo que é arrastado para o Oceano).
2. Fazer uma recolha seletiva, porta a porta e semanalmente de lixo reciclável. (As empresas de recolha de resíduos devem incentivar os cidadãos a separar o lixo, especialmente o plástico, fornecendo um serviço de recolha mais próximo e mais frequente).
3. Criar e disponibilizar aplicações para telemóvel, com alertas e imagens sobre a poluição dos oceanos e dar a conhecer boas práticas para diminuir o problema. (As escolas, as empresas e os meios de comunicação social devem divulgar de forma lúdica e pedagógica informações e incentivar os jovens a agir).

Braga

Escola Básica de Mosteiro e Cávado, Panóias, Braga

Desistiu

Braga

Escola Básica de Moure e Ribeira do Neiva, Ribeira, Vila Verde

1. Legislar com o objetivo de reduzir o uso de plástico na Administração Pública ao mínimo possível, proibindo a venda de produtos em bares de praias cuja embalagem contenha plástico, erradicando ainda os sacos de plástico.
2. Legislar com o objetivo de aumentar o apoio a organizações que ajudam a salvar os oceanos. Estas organizações são peças - chave na intervenção direta e consciencialização da população. Os projetos humanos são projetos coletivos em prol da humanidade e devem ser valorizados.
3. Legislar com o objetivo de reduzir o consumo de combustíveis fósseis e a emissão de CO2 para atmosfera, apoiando deste modo a promoção da economia de energia e melhoria da eficiência energética: “economize energia, salve o meio ambiente”.

Braga

Escola Básica de Nogueira, Braga

1. Tolerância zero ao plástico nos organismos públicos, como escolas, com a proibição de venda de água em garrafas de plástico.
2. Instalação obrigatória de filtros de partículas poluentes nas chaminés das unidades industriais e outras, como centrais termoelétricas e incineradoras de lixo, assim como a inspeção das mesmas deve ser realizada com frequência.
3. Aumento da produção de carros elétricos e instalação de postos de abastecimento dos mesmos em todo o território nacional.

Braga

Escola Básica de Palmeira, Braga

1. Proibir a venda de produtos embalados/engarrafados em materiais de plástico.
2. Fazer campanhas/debates de informação nas escolas, associações juvenis, freguesias de forma que os jovens fiquem a conhecer melhor as potencialidades dos oceanos.
3. Incentivar as Camaras para a construção de mais ETAR.

Braga

Escola Básica de Pedome, Vila Nova de Famalicão

1. Diminuir o uso de plástico na escola. Substituir o uso de embalagens, recipientes e objetos plásticos, na escola, por metais ou cartões e papelão. Os alunos, e todo o corpo docente e auxiliares, deviam ter acesso a uma garrafa e a copos ambos de aço ou alumínio.
2. Proceder a várias campanhas de limpeza nos caminhos e riachos junto da escola, bem como em praias, envolvendo os alunos, associação de pais, autarquia e ONG’s.
3. Promover “Aulas Abertas”, aos adultos e alunos, sobre as alterações climáticas e a contaminação dos oceanos, bem como sobre o uso correto dos ecopontos, convidando especialistas e estudiosos.

Braga

Escola Básica de Pevidém, Selho - São Jorge, Guimarães

1. 1. Substituir os sacos de plástico por sacos de pano (cânhamo…).
2. 2. Substituir a película aderente em plástico por película de cera de abelha.
3. 3. Usar a cortiça/biopolímeros em objetos de uso comum (copos, garrafas, talheres, escovas …)

Braga

Escola Básica de Prado, Vila Verde

1. Incentivar hábitos de reciclagem por parte das populações através de benefícios económicos.
2. Promover, através de subsídios ou outros benefícios, o incentivo à instalação de pequenas ETAR's domésticas.
3. Colocar recipientes em espaços comerciais para que as pessoas possam transportar as compras sem recorrerem à utilização de embalagens e/ou oferta de vouchers de desconto como incentivo à não utilização de embalagens

Braga

Escola Básica de Ribeira do Neiva, Vila Verde

1. As empresas poluentes passam a pagar multas altíssimas ou em caso extremo serão encerradas.
2. Proteger e gerir os habitats e espécies vulneráveis.
3. Fortes campanhas de defesa dos mares com palestras de sensibilização nas escolas e meios de comunicação social.

Braga

Escola Básica de Ribeirão, Vila Nova de Famalicão

1. Investir no desenvolvimento de navios capazes de recolher o plástico existente no Oceano e reaproveitar o mesmo como fonte de energia e combustível para os mesmos navios, dando-lhes maior autonomia.
2. Desenvolver e apoiar programas e projetos de recolha de resíduos e lixo a nível local, nomeadamente nos rios, nas praias e nos oceanos.
3. Promover a recolha de plásticos, nomeadamente, garrafas, tal como acontece com as taras em vidro ou em botijas de gás.

Braga

Escola Básica de Silvares, São Martinho, Fafe

1. Redução do IVA em produtos ecológicos, mas aumento do IVA em produtos não ecológicos.
2. Inserir no primeiro ciclo, na disciplina de Estudo do Meio, matéria a abordar o tema “alterações climáticas - salvar oceanos”, bem como no 2º ciclo em Educação para a Cidadania.
3. Inspeção obrigatória a empresas que façam descargas para rios, albufeiras e mares, no mínimo 3 vezes por ano sem aviso prévio.

Braga

Escola Básica de Vale D Este, Viatodos, Barcelos

1. Criar um sistema de certificação Mundial para todos os recursos com origem nos oceanos,de forma a minimizar os efeitos da delapidação dos recursos marinhos
2. Incentivar as pesquisas ciêntificas e os projetos que favoreçam a eliminação dos plásticos.
3. 2-Aumentar os incentivos para a aquacultura assim como a informação acerca do consumo sustentável dos recursos marinhos

Braga

Escola Básica e Secundária de Cabeceiras de Basto

1. 1. Colocar malhas de rede na parte final dos canos que se direcionam para os oceanos. A rede funcionaria como um coador e seria retirada com uma periodicidade adequada. Os materiais, por sua vez, seriam recolhidos e enviados para a reciclagem.
2. 2. Autarquias concederem ao cidadão um cartão para acumular pontos em troca de produtos para a reciclagem. Os pontos desse cartão poderiam ser usados no pagamento dos impostos.
3. Aumentar as multas a aplicar a quem pesca ilegalmente.

Braga

Escola Básica e Secundária de Celorico de Basto

1. Formação de equipas voluntárias, alunos do Agrupamento em colaboração com a Câmara Municipal de Celorico de Basto, para efetuarem, durante a época de primavera/verão limpezas junto às praias fluviais e a parques de lazer.
2. Promoção de campanhas a nível local e nacional para sensibilizar a prática de pesca sustentável alertando para a diminuição do consumo de espécies ameaçadas.
3. Promoção de campanhas e projetos de interação entre escolas do litoral e do interior para desenvolver um conhecimento mais alargado sobre o mar e espécies marinhas e das zonas fluviais e florestais.

Braga

Escola Básica e Secundária de Ínfias, Vizela

1. Proibição de utilização de garrafas de plástico em toda a rede pública escolar e estender a interdição, de forma gradual, a todos os organismos públicos e a outros plásticos (palhetas dos pacotes de bebidas, por exemplo) utilizados diariamente nos bares, cantinas e refeitórios desses espaços.
2. Intensificar a fiscalização da atividade das pescas, através da implementação de mecanismos de controlo que permitam a sua eficácia: reforçar os meios de transporte, tecnológicos e humanos ao dispor das autoridades marítimas; aplicar a legislação em vigor de uma forma rigorosa e sem exceções; aplicar coimas pesadas às empresas de pesca que não cumpram as normas ambientais relacionadas a limpeza e preservação dos oceanos.
3. Apostar nos veículos “zero emissões”, introduzindo novos e mais abrangentes benefícios fiscais para quem adquire este tipo de veículos, legislando no sentido de forçar a indústria automóvel a produzi-los em grande escala e a preços acessíveis para todos.

Braga

Escola Básica e Secundária de Vale do Tamel, Lijó, Barcelos

1. Reduzir o uso de plástico substituindo-o por inox, metal ou vidro.
2. Aplicar coimas elevadas a descargas de resíduos ilegais em rios/oceanos.
3. Apoio financeiro público a associações e organizações não-governamentais que desenvolvam ações de sensibilização e defesa dos oceanos.

Braga

Escola Básica e Secundária de Vila Cova, Barcelos

1. Controlar o uso de adubos e fertilizantes
2. Redução das embalagens nos produtos alimentares
3. Acabar ou reduzir as garrafas e recipientes de plásticos

Braga

Escola Básica e Secundária Santos Simões, Guimarães

1. Criação de um departamento de segurança e vigilância das praias.
2. Criação de um apoio por parte do estado de modo a incentivar a compra de produtos reciclados ou facilmente recicláveis e reduzir o IVA dos produtos sustentáveis, de forma a que estes se tornem mais acessíveis.
3. Colocar redes nas saídas dos canos de drenagem dos rios para impedir a passagem da maior parte do lixo e implementação de barreiras flutuantes.

Braga

Escola Básica e Secundária Vieira de Araújo, Vieira do Minho

1. INVESTE 3: Até 2024, o Estado deve investir 3% do PIB na área do ambiente - separação de lixo, reciclagem, criação de postos de trabalho, incrementar a eficiência das ETARS e valorização e tratamento dos resíduos sólidos; reflorestação; limpeza dos oceanos; educação ambiental.
2. PEGADA 0: Até 2030, comércio, indústria e agricultura devem reduzir em 50% a sua pegada ecológica. As empresas que o conseguirem serão bonificadas com redução de 50% de IRC.
3. ECO +: O Governo deve levar a cabo uma campanha de sensibilização para que se cumpram os objetivos propostos no acordo de Paris, através de programas escolares em articulação com a educação e formação de adultos.

Braga

Escola Básica Gonçalo Nunes, Arcozelo, Barcelos

1. Diminuição do lixo plástico através de: eliminação das embalagens, louças de plástico, palhinhas, etc. nas escolas e sua substituição por materiais recicláveis e outras opções não poluentes, tais como a colocação de bebedouros nas escolas e espaços públicos; colocação de mais ecopontos nas escolas e espaços públicos; colocação de redes-filtro nos esgotos.
2. Criação de grupos de limpeza das praias com o objetivo de evitar que o lixo vá parar ao oceano e, ao mesmo tempo, combater o desemprego; ou através do incentivo a movimentos associativos criados para o efeito; ou como forma de trabalho remunerado para ocupar pessoas detidas.
3. Implementação de uma rede pública de autocarros escolares elétricos ou movidos a hidrogénio, que pudessem beneficiar todos os alunos e mesmo professores, evitando desta forma a poluição provocada pelo excesso de utilização de viaturas individuais.

Braga

Escola Básica João de Meira, Guimarães

1. Proibir o consumo de peixes de espécies em vias de extinção por um período que permita o seu crescimento sustentável.
2. Exercer uma vigilância ativa nos rios e praias e aplicar multas a empresas ou pessoas que os poluam.
3. Incutir hábitos de limpeza, cuidado, proteção e conhecimento da biodiversidadea crianças a partir do pré-primário e a jovens em idade escolar, através de saídas de campo, visitas de estudo, ações de formação/sensibilização ambiental.

Braga

Escola Básica Monsenhor Elísio Araújo, Vila Verde

1. devemos sensibilizar para esta realidade todos os estudantes das nossas escolas e daí chegar aos alunos de outros estabelecimentos de ensino, através da realização de palestras informativas mas também de acções de campanha, nomeadamente de limpeza nos espaços que nos são mais próximos e a que metaforicamente também chamamos de “praias”, sejam as nossas escolas, os rios que nos estão mais próximos e também as praias, aqui com uma maior responsabilidade para as escolas do litoral.
2. A segunda medida apresentada seria, no âmbito da educação ambiental, implementar uma campanha para a separação dos lixos e de reforço da reciclagem nas escolas portuguesas, através da implantação de ecopontos em todas as escolas do país, como forma de contribuir para a recolha da maior quantidade possível de lixos e resíduos, evitando assim que esses lixos se depositem na Natureza, poluindo-a e também eles, metafórica ou realmente “vão parar aos oceanos”.
3. Sugerimos às entidades com responsabilidade nestes sectores que fossem criadas formas de dotar os barcos de pesca com estruturas de recolha de lixos nos mares, bem como criar soluções técnicas de retenção de lixos nas estruturas de saneamento e de águas pluviais, bem como nas embocaduras dos rios para evitar que os lixos que vão parar aos rios acabem por chegar ao mar. Vamos fazer com que os Oceanos não sejam o recetor final da maioria dos poluentes lançados no ambiente.

Braga

Escola Básica Prof. Carlos Teixeira, Fafe

1. Para evitar que se gastem enormes quantidades de água, aumentando a eficácia na extinção do fogo, e permitir uma reutilização mais rápida dos solos, dever-se-á misturar um pouco de argila à água utilizada no combate aos fogos florestais.
2. As escolas e outros organismos públicos devem substituir as fontes e outros bebedouros por máquinas de filtros de água e incentivar a população a usar cantis reutilizáveis em vez de recipientes de plástico.
3. A Presidência da República deve promover a criação da “Ordem de Mérito Ambiental”, que premeie as pessoas e entidades pelas suas boas práticas que zelem pelo bem-estar do ambiente e dos mares.

Braga

Escola Básica Professor Abel Salazar, Guimarães

1. 1. Apoiar, através de prémios académicos e bolsas de estudo, investigações que procurem soluções para a eliminação de plásticos e microplásticos do meio ambiente através de tratamentos naturais (por exemplo com a utilização de bactérias ou fungos).
2. 2. Tornar a escolas “Anti Plástico” exigindo aos fornecedores, por exemplo de bolos e do pão, que os mesmos não sejam entregues embalados em plástico, mas sim, em papel e colocar bebedouros de água nas escolas para eliminar a utilização de garrafas de plástico.
3. 3. Promover à entrada das praias, durante o verão, a entrega de sacos reutilizáveis para depositar o lixo utilizado, por pessoa, para que estes os levem para casa e voltem a usar quando voltarem à praia.

Braga

Escola Básica Virgínia Moura, Moreira de Cónegos, Guimarães

1. Caminhadas por parques protegidos com o intuito de sensibilizar as pessoas a protegerem a Natureza e os Oceanos, utilizando as redes sociais e cartazes como meios de divulgação. Para a Caminhada será usado um saco de pano, reutilizável com as medidas de prevenção dos Oceanos estampadas. No final das Caminhadas haverá uma feira, com troca de produtos (biológicos), O dinheiro angariado será revertido a favor dos Parques Naturais e de Instituições de Solidariedade.
2. Ir a Creches, Infantários e Escolas do 1º Ciclo, organizar experiências com água potável e água poluída; fazer visitas de estudo a praias com o intuito de recolher lixo e, no fim, com atividades diversas de lazer.
3. Criar navios movidos a água, com painéis solares e tratamento de águas poluídas. Colocar ventoinhas no topo dos barcos e painéis solares para a produção de energia.

Braga

Escola Cooperativa de Vale - S. Cosme

1. 1. Aplicar benefícios fiscais a empresas que conseguirem eliminar o plástico da sua produção num prazo de cinco anos e aplicar coimas a quem não o fizer findo esse prazo.
2. 2. Obrigar os municípios a ter saneamento em todas as ruas, num curto prazo e os que já o tiverem em pelo menos 85%, receberem benefícios fiscais como incentivo.
3. 3. Apoiar as organizações que trabalham para proteger os oceanos, com campanhas de sensibilização, procurando consciencializar os jovens na escola (com debates sobre o tema) para a necessidade de pensar de forma responsável e consciente nos Oceanos.

Braga

Escola Secundária Alberto Sampaio, Braga

1. Proibir o consumo de produtos de higiene pessoal que contenham micropartículas, tais como polipropileno, polietileno, polietileno, entre outros. Com isto, devemos alertar os consumidores a prestar atenção ao rótulo dos produtos como, por exemplo, a pasta de dentes.
2. Colocação de painéis nas entradas das praias, com imagens reais e chocantes e frases curtas e apelativas, com vista a sensibilizar a população para a não poluição dos oceanos.
3. Proibir o uso de recipientes de plástico nas escolas.

Braga

Escola Secundária Carlos Amarante, Braga

1. 1. Atribuição de taxas ao plástico e benefícios ao plástico reciclado.
2. 2. Apostar na utilização de energias renováveis e não poluentes, como por exemplo, a energia biodegradável.
3. 3. Aumentar a fiscalização sobre os cargueiros e petroleiros que cruzam os oceanos.

Braga

Escola Secundária D. Sancho I, Vila Nova de Famalicão

1. Utilização de motores elétricos nos barcos, de forma a evitar o aumento de poluição nos oceanos. Tal medida podia ser iniciada em barcos de pequenas dimensões/ curta distância.
2. Colocação de filtros na saída dos esgotos para os oceanos, para os proteger da poluição.
3. Estímulo para a reciclagem em instituições (ex. escolas), que terão direito a descontar uma certa quantia na aquisição de novos materiais sempre que entregarem para troca material antigo, que poderá ser reciclado.

Braga

Escola Secundária de Barcelinhos, Barcelos

1. A diminuição do IRC cobrado às empresas, no caso de terem sistemas de reutilização das embalagens plásticas dos seus produtos, bem como façam a reconversão dos processos produtivos.
2. Proibir os plásticos descartáveis.
3. Proibir a utilização de microplásticos em cremes esfoliantes e pastas dentífricas.

Braga

Escola Secundária de Barcelos

1. Plásticos: Recolher os plásticos diretamente dos oceanos, dirigindo-se estes para a reciclagem, podendo estes ser reutilizados e retirar os resíduos das praias antes que prejudiquem mais o habitat de muitos seres vivos.
2. Petróleo: Aperfeiçoamento dos navios-petroleiros para reduzir o risco da ocorrência de derrames petrolíferos e informar a população de maneira a reforçar o benefício do uso de energias renováveis.
3. Pesticidas: Realização de eventos culturais e campanhas de sensibilização para informar a população dos eventuais riscos causados pelos escorrimentos dos fertilizantes utilizados nas plantações agrícolas, que acabam por chegar aos mares, aumentando o seu pH e causando a extinção de algumas espécies.

Braga

Escola Secundária de Vila Verde

1. Criar um programa de educação ambiental nas escolas, sobretudo sobre reciclagem e reutilização de materiais (tal como já existe para a educação sexual) para sensibilizar e informar os alunos sobre este tema.
2. Instalar máquinas de recolha de plástico em que, por um determinado peso colocado, será devolvido um determinado valor monetário.
3. Promover campanhas de sensibilização para o problema das descargas feitas para os oceanos, criando equipas com médicos e técnicos para avaliar e fiscalizar as descargas das indústrias e de outras atividades.

Braga

Externato "Delfim Ferreira"

1. - Apoiar Organizações: a promoção de um território sustentável e coeso é uma das prioridades estratégicas mais relevantes do Município; deverá ser reforçado o apoio político para um ordenamento do território com o objetivo de incentivar o desenvolvimento harmonioso e coeso, a valorização das potencialidades dos solos e a salvaguarda da identidade cultural do território, promovendo a integração das suas diversidades e a qualidade de vida das populações, promovendo a sustentabilidade.
2. - Reduzir a poluição dos rios: tendo em conta a Agenda Estratégica para o Desenvolvimento Sustentável a obrigatoriedade de políticas municipais, devem ser reforçadas para o desenvolvimento territorial, nomeadamente na cada vez mais eficiente e sustentável utilização dos recursos e a melhoria permanente da qualidade de vida das gerações atuais e futuras. O envolvimento de Comissões inter-Freguesias, das Juntas de Freguesia e de outros agentes da comunidade local colocará fim aos prevaricadores.
3. - Sensibilizar as novas gerações de diferentes idades para a necessidade da proteção da biodiversidade no território, sobretudo para o uso de um conjunto diversificado de medidas que visem a proteção da estruturas ribeirinhas, pois delas dependem os oceanos. A criação de paisagens protegidas de âmbito local, permitirão a consciencialização dos jovens para a sustentabilidade ambiental, dos espaços urbanos, dos espaços rurais, florestais e ribeirinhos.

Braga

54 Escolas elegem 162 deputados: 108 deputados efetivos + 54 suplentes

Bragança

Escola Básica de Freixo de Espada à Cinta

1. Instituição de um dia em que os alunos das várias escolas saiam para a rua para, por um lado, recolher lixo e, por outro, sensibilizar a população para a necessidade de preservação do ambiente e a redução / reciclagem dos plásticos, ao mesmo tempo que fiscalizam a recolha seletiva de resíduos.
2. Dinamização de campanhas de alerta e sensibilização para a necessidade de diminuir a pesca e, paralelamente, de controlo das espécies subaquáticas ameaçadas para potenciar a sua preservação e evitar a sua extinção.
3. Diminuição do “consumo” de produtos feitos de plástico, obrigando a utilizar plástico biodegradável.

Bragança

Escola Básica e Secundária de Carrazeda de Ansiães

1. Proibir o despejo dos lixos nos rios, mares e oceanos.
2. Aumentar o número de carros elétricos em circulação .
3. Aumentar os subsídios para a produção local de carnes, peixe, fruta e legumes.

Bragança

Escola Básica e Secundária Dr. Ramiro Salgado, Torre de Moncorvo

Desistiu

Bragança

Escola Secundária Abade de Baçal, Bragança

Desistiu

Bragança

Escola Secundária Emídio Garcia, Bragança

1. Promover o uso de sacos de pano, através da distribuição gratuita pelas Câmaras Municipais. Reforçando esta iniciativa nos pontos de convergência. Essencialmente nos Hipermercados e Centros Comerciais.
2. Apostar em fertilizantes naturais. Abolir os químicos, salvaguardando assim as espécies marinhas e a saúde humana.
3. Promover a reutilização do plástico já usado para a construção de infraestruturas, nomeadamente estradas, pavimentos e parques infantis. Propor ao Governo a atribuição de benefícios fiscais e a redução de impostos às empresas dedicadas a este tipo de reciclagem.

Bragança

Escola Secundária Miguel Torga, Bragança

1. 1. REDUZIR A UTILIZAÇÃO DE COMBUSTÍVEIS FOSSÉIS COMO FONTE DE ENERGIA Porque:- são a principal fonte de emissões de dióxido de carbono para a atmosfera, contri-buindo para o aumento do efeito de estufa e consequentemente o aquecimento global;- aumenta a acidez da água dos oceanos, em resultado da absorção do dióxido de carbono da atmosfera com impactos na vida marinha.
2. 2. REDUZIR O CONSUMO DE PEIXE E MARISCO RESULTANTES DA SOBREEXPLORAÇÃO DOS MARES Exemplos destas espécies são a sardinha, tamboril, camarão, bacalhau entre outros. Para reduzir o seu consumo pode-se recorrer ao aumento da produção, distribuição e compra de espécies produzidas em aquacultura. Para diminuir também as emissões de dióxido de carbono para a atmosfera podemos consumir frutos e legumes da região evitando o transporte de outros e assim diminuir o dióxido de carbono na atmosfera
3. 3. REDUZIR O CONSUMO DE PLÁSTICO PARA DIMINUIR A POLUIÇÃO NOS OCEANOS. A poluição é a causa da morte de várias espécies . Nós provocámos esta catástrofe que matou e mata milhares de espécies e somos nós que temos de a corrigir.

Bragança

4 Escolas elegem 28 deputados: 24 deputados efetivos + 4 suplentes

Castelo Branco

Escola Básica Afonso de Paiva, Castelo Branco

1. Substituição de palhinhas de plástico por palhinhas de inox
2. Acções de sensibilização nos mass media.
3. Proibição da circulação de automóveis movidos a gasolina

Castelo Branco

Escola Básica Cidade de Castelo Branco

Desistiu

Castelo Branco

Escola Básica de Vila Velha de Ródão

1. 1ª medida – Reflorestação das áreas ardidas Após os terríveis acidentes florestais ocorridos nos últimos Verões em Portugal, consideramos importante a reflorestação ordenada, nas florestas portuguesas e a inserção de espécies autóctones. Com esta medida reduzir-se-ia a poluição nos rios pois com a florestação minimizam-se os efeitos da erosão que arrastam para os rios sedimentos e cinzas poluentes. Por outro lado, a Floresta é uma das formas de minimizar os efeitos do aquecimento global.
2. 2ª medida – Diminuição da utilização dos plásticos Ao diminuir a utilização de sacos e garrafas de plástico contribui-se para a redução de materiais não perecíveis que acabam nos oceanos. Propomos a realização de campanhas de sensibilização, junto da comunidade local, que consistirão na troca de três sacos ou garrafas de plástico por uma embalagem de material reciclado.
3. 3ª medida – Colaboração das fábricas de Vila Velha de Ródão para melhorar as águas do Tejo. Com a colaboração das fábricas de Vila Velha melhoria das águas do Tejo estará garantida. Serão promovidas reuniões mensais com os representantes destas empresas com o intuito de sensibilizar para melhorar continuadamente a qualidade das águas residuais devolvidas ao rio Tejo. Pretende-se ainda com as reuniões previstas nesta medida, a redução de emissão de gases com efeito de estufa para a atmosfera.

Castelo Branco

Escola Básica e Secundária de Alcains, Castelo Branco

1. Campanhas de CONSCIENCIALIZAÇÃO (em horário nobre na comunicação social, nas redes sociais, nas escolas...) para RECUSAR o uso do plástico.
2. Reduzir o preço do peixe e marisco saudável e sustentável.
3. Dinamizar nas escolas, em parceria com a comunidade e organizações locais de proteção dos habitats , ações de voluntariado para limpeza dos campos/cursos de água (na última semana de aulas do período).

Castelo Branco

Escola Básica e Secundária do Centro de Portugal, Vila de Rei

1. Criar patrulhas para apanhar os detritos das praias, implementando também, nesses locais máquinas de recolha de resíduos recicláveis, em troca de pequenas quantias monetárias;
2. Criar o dia nacional sem plástico, desenvolvendo em simultâneo campanhas de sensibilização para os danos ecológicos provocados pelo plástico e lançando na imprensa imagens/frases alarmantes para as consequências dos plásticos nos nossos oceanos;
3. Limitar o fabrico e uso de produtos de plástico descartáveis.

Castelo Branco

Escola Básica e Secundária Padre António de Andrade, Oleiros

1. Importância dos oceanos na vida das populações mundiais, como recurso económico, meio de transporte e elemento de aproximação entre continentes.
2. Como preservar os oceanos da ação do homem, nomeadamente a poluição provocada pela grande quantidade de plástico utilizada no dia-a-dia da população mundial.
3. Consequências das alterações climáticas no aumento do nível das águas do mar e a "vida difícil" das populações que vivem no litoral.

Castelo Branco

Escola Básica e Secundária Ribeiro Sanches, Penamacor

1. Implementar nos espaços comerciais máquinas para recolha de garrafas de plástico e vidro, trocando as mesmas por talões a serem gastos no referido espaço comercial de modo a promover a uma economia verde, circular e descarbonizada.
2. -
3. -

Castelo Branco

Escola Básica Padre António Lourenço Farinha, Sertã

1. O Estado Português deve facultar incentivos económicos e/ou benefícios fiscais a todas as famílias que disponham de provas da compra de um ou mais carros eléctricos, híbridos ou movidos a energias limpas e renováveis. Deve também beneficiar os proprietários e empresários que apostem em energias limpas, além de multar os que não cumprem as regras para a diminuição do impacto ambiental.
2. O Governo Português deve apostar na redução do IVA de produtos empacotados em materiais não plásticos. Pode apostar também em materiais biodegradáveis, na reciclagem, ou no uso de diversas bactérias e fungos, produtores de substâncias decompositoras do plástico.
3. Erradicar o comércio de produtos/ serviços do Espaço Europeu que contribuem para extinção das espécies mais vulneráveis como Ursos polares, pinguins, renas, animais exóticos como as tartarugas e diversos peixes.

Castelo Branco

Escola Básica Serra da Gardunha, Fundão

1. Criar incentivos do Estado para empresas amigas do ambiente e que utilizem energias renováveis.
2. Criar uma Associação em Portugal para limpar os oceanos.
3. Substituir os materiais poluentes por materiais reutilizáveis: Por exemplo, substituir os sacos de plástico por sacos de tecido, que podem ser lavados e reutilizados.

Castelo Branco

Escola Secundária Amato Lusitano, Castelo Branco

1. Encerramento de todas as centrais termoelétricas a carvão (até 2030), garantindo progressivamente o abastecimento da rede elétrica nacional com base em fontes renováveis e não poluentes (até 2040), incentivando as empresas que apostem na sua produção, através de uma política de redução fiscal.
2. Adotar políticas de substituição progressiva dos plásticos descartáveis por materiais reutilizáveis, eliminando também os microplásticos da indústria cosmética / farmacêutica.
3. Educar e sensibilizar a população em geral para a necessidade de adotarem comportamentos sustentáveis, protegendo os oceanos e sua biodiversidade.

Castelo Branco

Escola Secundária Campos de Melo, Covilhã

1. Sensibilização e proibição da utilização de produtos/ utensílios descartáveis de plástico no setor da restauração e no consumo privado.
2. Aumento do número de ecopontos nas praias, nomeadamente na recolha das beatas dos cigarros e embalagens…, sensibilizando os banhistas para a necessidade de reciclar.
3. Promover a prática de uma agricultura biológica e a utilização de fertilizantes naturais nas culturas, através do reforço na atribuição de subsídios e incentivos fiscais.

Castelo Branco

Escola Secundária de Fundão

1. Criação de empresas de tratamento de efluentes industriais situados de forma estratégica para abranger mais do que um rio;
2. Suspensão temporária da actividade de empresas, cujos resíduos e processos de fabrico poluem os rios e oceanos;
3. Incentivar a redução do uso do plástico e a utilização materiais recicláveis para uma menor poluição dos oceanos.

Castelo Branco

Escola Secundária Frei Heitor Pinto, Covilhã

1. Aumentar a percentagem de energias renováveis por parte de empresas distribuidoras de energia para utilização em outras empresas e para consumo público de forma a diminuir as elevadas concentrações de CO2 e por consequência evitando o aquecimento global, que leva ao derretimento das calotas polares e subida dos níveis das águas do mar.
2. Estabelecer ações que reduzam a quantidade de plástico existente nos oceanos como por exemplo usar plástico reciclado, retirado dos oceanos para utilização de blocos de construção civil, incentivos fiscais para empresas que usem embalagens com este tipo de plástico e incentivar outras que possam ser promotoras da utilização de outras formas para a redução (e até a total eliminação) dos plásticos nos oceanos como a utilização de bactérias.
3. A mentalidade de uma sociedade transforma-se pela ação interventiva desde tenra idade, desta forma propomos a realização de fóruns nas escolas, que permitam fazer um levantamento dos problemas aos níveis de concelho, distrital e nacional e, se constituíssem grupos locais e nacionais que mitigassem desde a raiz os problemas nacionais das alterações climáticas. Estas ações devem ser implementadas nos vários níveis de ensino através de jogos interativos, leitura temática, atividades cívicas.

Castelo Branco

12 Escolas elegem 48 deputados: 36 deputados efetivos + 12 suplentes

Coimbra

Agrupamento de Escolas de Arganil

1. Reduzir a quantidade de plásticos, encontrando outras alternativas que substituirão o mesmo como o plástico biodegradável, o papelão e o papel. O plástico é uma das maiores ameaças tanto para os oceanos como para a vida marinha.
2. Promover campanhas de sensibilização e incentivo para a limpeza e proteção das praias e dos oceanos. As praias precisam da nossa proteção, pois 72 por cento do lixo nas praias portuguesas é plástico.
3. Fomentar sessões de esclarecimento sobre o papel da Aquacultura e correta gestão dos stocks piscícolas, para mobilizar a população, em especial os estudantes e restante comunidade escolar, em relação à vida marinha que está a ser ameaçada.

Coimbra

Agrupamento de Escolas de Tábua

1. Aumentar a fiscalização nas fábricas para obrigatoriamente estas, estarem ligadas a uma E.T.A.R. ou tenham uma E.T.A.R.(Estações de Tratamento de Aguas Residuais);
2. Criação por parte do governo de uma política de incentivos para as empresas que promovam a utilização e consumo de produtos biológicos, como a Quercus (Associação Nacional de Conservação da Natureza) e a Agrobio (Agricultura Biológica);
3. Inserir o Plogging no programa de Estudo do Meio do ensino Primário e a partir do ensino básico e secundário incluí-lo como uma actividade extracurricular.

Coimbra

Centro Educativo dos Olivais

1. Mais sensibilização ambiental para uma mudança de atitudes. No caso da televisão, propomos que seja obrigatório existir uma rubrica de cariz ambiental em todos canais (público ou privado) na hora nobre, por exemplo durante o noticiário. A mensagem deverá ser clara, concisa, de curta duração para que o espectador não sature ou disperse.
2. Maior investimento nos equipamentos destinados à reciclagem dos resíduos. Consideramos importante a colocação de mais Ecopontos, um por cada bloco de apartamentos, para que a deposição dos resíduos não cause transtorno, deverão ser mais apelativos e de fácil utilização (aberturas maiores). Nas grandes superfícies comerciais deverão existir ecopontos em que os utilizadores obtenham algum retorno/incentivo (vales de compra ou dinheiro) proporcional à quantidade de resíduos colocados.
3. O estado poderá intervir incentivando a vigilância e preservação dos espaços de interesse ambiental através de incentivos fiscais às empresas ou estabelecimentos comerciais que “apadrinhem” esses espaços. Esse apadrinhamento consiste em organizar campanhas de limpeza e/ou manutenção, vigilância, onde as pessoas que participem recebam dessas empresas um contributo ( vales de compras ou produtos).

Coimbra

Colégio Bissaya Barreto

1. Aumento do número dos ecopontos nas praias.
2. Promover a aquacultura, incentivando também a utilização de motores sustentáveis nos meios de transporte marítimos.
3. Aumento das multas e penas judiciais para os grupos industriais mais poluentes.

Coimbra

Escola Básica de Góis

1. Obrigatoriedade dos transportes públicos e os veículos do Estado serem híbridos/elétricos, diminuindo assim a utilização de combustíveis fósseis.
2. A utilização de painéis solares em habitações individuais e coletivas através da concessão de subsídios estatais (central ou regional).
3. O recurso ao trabalho de desempregados para distribuição de sacos de pano nas parais portuguesas, com o intuito de promover a reciclagem através da recolha do lixo nesses sacos de pano.

Coimbra

Escola Básica Dr. Pedrosa Veríssimo, Paião, Figueira da Foz

1. Desenvolvimento de campanhas e de ações de formação/sensibilização junto dos profissionais das atividades piscatórias: alteração de comportamentos irresponsáveis (20% do lixo marinho tem origem na atividade piscatória - abandono de redes, bóias de plástico, caixas de isco…);construção de navios mais ecológicos e menos poluentes e construção de barcos de pesca convertidos em verdadeiras “fábricas de reciclagem flutuantes” que limpem os oceanos.
2. Uma vez que as ETAR (Estações de Tratamento de Resíduos) não conseguem eliminar os microplásticos lançados para os mares,frequentemente confundidos, pelas aves marinhas com alimento, e porque estes permanecem, de forma persistente e por longos períodos nos oceanos, propomos a colocação de filtros nas redes de esgotos, responsáveis por descargas lançadas para o mar, de forma a impedir a sua proliferação nos ecossistemas marinhos.
3. Obrigatoriedade legal de redução drástica de uso de plásticos (copos, tampas, pratos, talheres, palhinhas…) em sítios públicos (cafés, restaurantes, escolas, hospitais…) com aplicação de coimas para os infratores e benefícios fiscais para as instituições/empresas que cumpram, integralmente a legislação e promovam o uso de produtos cada vez mais ecológicos.

Coimbra

Escola Básica e Secundária de Penacova

1. Apostar na prevenção criando brigadas de policiamento dos oceanos pelo plástico morre o peixe.
2. Diminuir o plástico nos supermercados substituindo-o por materiais reutilizáveis ou biodegradáveis, os sacos plásticos por sacos ecológicos feitos por instituições de solidariedade social e incentivar espaços de recarga refil stations.
3. Campanha Nacional de sensibilização por ONG’s e multinacionais sobre alterações climáticas, destruição do ambiente, descarbonização, políticas de reflorestação, criação e recuperação de espaços verdes e defesa dos Oceanos promovida através de uma gala televisiva anual.

Coimbra

Escola Básica e Secundária João Garcia Bacelar, Tocha, Cantanhede

1. 1-Criação de campanhas para incentivar a recolha de lixos nas praias, o qual deveria ser entregue em diferentes locais, previamente definidos pelas autarquias. Os participantes nesta iniciativa deveriam ser recompensados.
2. 2-Incentivo à utilização de materiais biodegradáveis na pesca.
3. 3-Promover bolsas de investigação para jovens que apresentem projetos conducentes à eliminação progressiva do uso do plástico.

Coimbra

Escola Básica e Secundária Martinho Árias, Soure

1. 1. Aplicar tara em todas as garrafas, o que incentivaria as pessoas a devolver as garrafas, evitando que estas venham a poluir os oceanos.
2. 2. Efetuar um registo obrigatório das limpezas dos tanques de todos os navios, fiscalizando a forma como as mesmas são feitas.
3. 3. Legislar no sentido de se efetuarem mais campanhas de sensibilização para a não poluição dos oceanos e aumentar a frequência de limpeza das praias.

Coimbra

Escola Básica Eugénio de Castro, Coimbra

1. Promover nas escolas e redes sociais, campanhas de limpeza das praias. Estas campanhas devem aliciar a participação da população em geral e dos alunos das escolas em particular, recompensando essa participação com prémios como por exemplo estadia gratuita em campos de férias, vouchers para aquisição de material desportivo, etc.
2. Organizar grupos de jovens voluntários para vigiar e denunciar às entidades competentes, situações de poluição fluvial e marítima porque ambas contribuem para a poluição dos oceanos.
3. Aumentar o investimento na fiscalização dos oceanos, por exemplo com mais fiscais/supervisores que, assim evitem os derrames tóxicos que poluem os oceanos.

Coimbra

Escola Básica Infante D. Pedro, Penela

1. Aplicação de um imposto extraordinário sobre o fabrico e a utilização de determinados componentes, essencialmente plásticos, que, em muitos casos, acabam a boiar nos nossos oceanos.
2. Criar penalizações para os navios cargueiros de crude que não adotem medidas preventivas de derrames nos oceanos.
3. Obrigatoriedade de recolha de óleos domésticos para que se evite que venham a acabar nos mares.

Coimbra

Escola Básica Marquês de Marialva, Cantanhede

Desistiu

Coimbra

Escola Básica Martim de Freitas, Coimbra

1. 1- Promoção de políticas de sensibilização para a problemática da poluição das águas dos rios e oceanos, incluindo campanhas de limpeza abertas a voluntários e aplicação de multas aos agentes poluidores, cujo produto reverteria para instituições de defesa da vida marinha
2. 2- Agravamento dos impostos sobre produtos de origem marinha não essenciais (ex.bijutaria e acessórios de coral ou carapaça de tartaruga) e informação rigorosa sobre a sua origem, nas respetivas embalagens.
3. 3- Aumento e diversificação dos incentivos à recolha e reciclagem de todo o tipo de lixo suscetível de reutilização, nomeadamente através da distribuição de máquinas “pfandautomatic” (que recolhem as garrafas de tara perdida e recipientes de plástico a troco de compensações, tais como dinheiro ou cupões de desconto em várias empresas).

Coimbra

Escola Básica n.º 1 de Lousã

1. Diminuir o consumo de plástico.
2. Criar, na foz dos rios, estruturas (redes ou outras) que possam reter lixo, impedindo que vá parar ao mar e contribuir para evitar a degradação da vida nos oceanos.
3. Proibir a produção e venda de produtos considerados tóxicos e que possam contaminar as águas dos rios ou aumentar o efeito estufa.

Coimbra

Escola Básica n.º 2 de Condeixa-a-Nova

1. Promover a lei que visa a redução/eliminação da utilização do plástico.
2. Lei que conduza à instalação de máquinas em locais públicos com o propósito de trocar embalagens plásticas por dinheiro.
3. Lei que conduza à criação pelo Governo de uma política de incentivos para as empresas, consistindo na promoção da utilização de materiais reciclados e na criação de apoios financeiros para investigação científica no tratamento das águas poluídas, combatendo a sua contaminação por medicamentos.

Coimbra

Escola Básica Professor Doutor Ferrer Correia, Senhor da Serra, Miranda do Corvo

1. Incentivar o fabrico e utilização de veículos elétricos, aumentando, por exemplo, o imposto sobre os veículos a combustível fóssil e diminuindo relativamente aos veículos elétricos.
2. Conceder benefícios fiscais a empresas “amigas” do ambiente, recorrendo, por exemplo, à redução de impostos proporcionalmente à redução do consumo de combustíveis fósseis.
3. Aplicar medidas de incentivo à redução de cultivo em estufa, à expansão da agricultura biológica e à plantação de árvores autóctones (“não invasoras”).

Coimbra

Escola Básica Rainha Santa Isabel, Pedrulha, Coimbra

1. 1. Criar grupos de reclusos, desempregados e até de alunos para a limpeza periódica de matas, margens dos rios e praias, o que além de promover a recolha de materiais poluentes, contribuiria para a educação cívica dos cidadãos.
2. 2. Sensibilizar a população para a diminuição do consumo de produtos de plástico, optando por produtos feitos de materiais alternativos não poluentes, o que, consequentemente, obrigará as indústrias a encontrarem soluções sustentáveis do ponto de vista ambiental.
3. 3. Promover a sensibilização para a reciclagem, disponibilizando-se mais ecopontos à população.

Coimbra

Escola Secundária de Oliveira do Hospital

1. Reduzir a utilização dos combustíveis fósseis e apostar nas energias renováveis.
2. Incentivar a reciclagem: colocação de máquinas em determinadas superfícies que recebem material plástico ou outro material e, em troca, emitem talões com pontos/ descontos ou vales para serem utilizados em futuras compras.
3. Aumentar o preço da carne e promover o consumo de vida marinha (peixe e marisco) de forma sustentável e saudável.

Coimbra

Escola Secundária Dr. Bernardino Machado, Figueira da Foz

1. Obrigatoriedade de todos os municípios substituírem, até 2022, as lâmpadas dos candeeiros públicos por lâmpadas LED, de luz amarela.
2. Implementação de programas de arborização/reflorestação de espaços abandonados com árvores autóctones.
3. Atribuição do valor tributado no ISV e no IUC aos municípios para uso exclusivo na construção/melhoria de acessibilidades verdes (rede de transportes pouco poluentes).

Coimbra

Escola Secundária Infanta D. Maria, Coimbra

1. Criar zonas mais abrangentes nos oceanos e mares onde seja proibida a pesca durante a desova das espécies.
2. Aumentar as áreas junto dos recifes de coral e outras espécies protegidas onde seja proibida a navegação de petroleiros e navios que transportem produtos químicos ou tóxicos.
3. Ajudar e apoiar instituições nacionais e internacionais de defesa do ambiente e dos oceanos.

Coimbra

Escola Secundária José Falcão, Coimbra

1. Multas pesadas para quem deitar lixo na Natureza.
2. Criar campanhas de voluntariado para limpeza das praias e margens dos rios e outros locais por parte dos estabelecimentos de ensino.
3. Redução de impostos nas indústrias que usam energias renováveis.

Coimbra

20 Escolas elegem 60 deputados: 40 deputados efetivos + 20 suplentes

Évora

Colégio de Laura Vicuña

1. De forma a reduzir a carga poluente e preservar os ecossistemas, incentivar em Portugal a produção e uso de materiais reutilizáveis e ecológicos baixando os impostos às empresas que os produzem e distribuem.
2. No prazo de 2 anos, substituir progressivamente, nas escolas públicas e privadas, as garrafas de água de plástico por cantis aí adquiridos ou alugados, reabastecíveis em pontos estratégicos do espaço escolar.
3. Substituir, em espaços de consumo, por exemplo restaurantes e cafés, as palhinhas de plástico por palhinhas de bambu ou metal, garantindo um processo de higienização/reutulização semelhante ao de talheres e loiças.

Évora

Colégio Salesianos - Évora

1. Promoção da Educação Ambiental
2. Criação de novas leis ambientalistas aumentando o número de efetivos da Polícia Marítima nas praias
3. Constituição de equipas de limpeza e manutenção das praias

Évora

Escola Básica André de Resende, Évora

1. Uma vez que muitas empresas recebem subsídios estatais, propomos que o governo premeie as empresas que ajam de forma ecológica, não utilizando substâncias nocivas para a saúde nem despejando detritos industriais nos rios e nos mares, obrigando as mesmas a utilizarem materiais renováveis.
2. Substituir a venda de produtos alimentares, de limpeza e outros produtos utilitários, produzidos em plástico, por produtos fabricados com materiais biodegradáveis, no sentido de se evitar que muitas dessas embalagens de plástico vão para o mar, com todas as consequências nefastas para a vida dos oceanos. A par deste medida, implementar uma tara elevada às embalagens de plástico passíveis de devolução, incentivando os consumidores a devolverem as mesmas, em troca da devolução da respetiva tara.
3. Fortalecer as campanhas de limpeza das zonas balneares, colocando imagens alusivas às consequências da poluição dos oceanos à entrada das mesmas e utilizando outros métodos de limpeza.

Évora

Escola Básica Conde de Vilalva, Évora

1. Propomos colocar em todos os canos de esgotos, uma rede de malha, pois assim todas as pequenas substâncias que estão no lixo, como sacos plásticos, garrafas, tampas, colheres, entre outras, ficam lá presas e não vão para o mar. Estas redes deverão ser limpas mensalmente.
2. Reduzir a venda e distribuição de sacos de plástico no comércio, substituindo-os por outros materiais biodegradáveis e simultaneamente intensificar as campanhas de sensibilização/informação sobre o problema do excesso de plástico nos oceanos.
3. Multiplicar o número de eco-pontos nas zonas residenciais e colocá-los em zonas bem visíveis e de fácil acesso, criando em simultâneo, formas de incentivo, como por exemplo o não pagamento de taxas referentes aos esgotos.

Évora

Escola Básica D. João de Portel, Portel

1. Punir as pessoas, indústrias e empresas que contaminem os oceanos, para que estes mantenham a sua função reguladora em termos de alterações climáticas.
2. Criação de associações de voluntários que façam a limpeza nas praias e reforcem a importância da educação ambiental.
3. Criação de métodos de reciclagem mais acessíveis para evitar a poluição nas praias, protegendo assim o mar e valorizando o seu papel na determinação do clima no planeta Terra.

Évora

Escola Básica Diogo Lopes Sequeira, Alandroal

1. Incentivar, com prémios monetários ou material, as escolas, hospitais e organismos públicos a trocar garrafas, pacotes de leite e ou sumo, sacos e embalagens de plástico por vidro, cartão rijo ou por outro material reciclável, de forma a reduzir ou abandonar completamente a utilização do plástico.
2. Pôr os reclusos das prisões das zonas costeiras e das zonas com praias fluviais a limpar e separar o lixo dessas mesmas praias, de modo regular, sob a supervisão dos guardas.
3. Dar incentivos fiscais às empresas que apoiem, por meio de campanhas de angariação de fundos, voluntários ou monetariamente, as organizações credenciadas de proteção ambiental, nomeadamente dos Oceanos.

Évora

Escola Básica e Secundária Cunha Rivara, Arraiolos

1. criação de projeto vasilhame
2. proibição de artigos de plástico nos apoios de praia
3. benefícios públicos de interesse local para a recolha e seleção de plásticos

Évora

Escola Básica e Secundária de Mora

1. Acentuada vigilância aos pescadores de caça submarina furtiva, assim como aos praticantes da sobrepesca, tendo em vista o respeito pela biodiversidade e criando alternativas de emprego para as pessoas que serão deslocadas da atividade piscatória.
2. Não deitar resíduos nucleares radioativos poluentes no mar, promovendo o seu acondicionamento de acordo com as regras internacionais e criar condições para a reciclagem de todos os materiais suscetíveis de poluir as aguas dos rios e oceanos.
3. Proibir deitar lixo nos areais da praia sob pena de pesadas multas e promover a reutilização /reciclagem das embalagens plásticas, através de medidas apelativas ao consumido, reduzindo desta forma a sua produção primária.

Évora

Escola Básica e Secundária Dr. Isidoro de Sousa, Viana do Alentejo

1. 1. Sensibilização Ambiental – Formação e Informação
2. 2. Promoção da limpeza dos oceanos, sendo essencial uma redução e reutilização dos plásticos e de uma navegação mais eco eficiente.
3. 3. Proteção das barreiras de corais e de todas as atividades que promovam a sua destruição.

Évora

Escola Básica Manuel Ferreira Patrício, Évora

1. Criar uma aplicação móvel (app) que tem como objetivo incentivar a reciclagem oferecendo pontos que podem ser trocados por descontos em serviços da Câmara Municipal e nas empresas que patrocinem.
2. Incrementar a implementação e reproduzir por todo o país, de máquinas nos supermercados que, em troca de resíduos sólidos (que possam ser recicláveis) emitem descontos nesses mesmos supermercados.
3. Propomos a criação de um grupo nacional de jovens eco-voluntários em acampamentos eco-eficientes, com o objetivo de intervencionar na limpeza, conservação e reabilitação das margens de rios, ribeiras, lagos e albufeiras e promover outras ações ecológicas. Os jovens voluntários envolvidos terão benefícios, como recompensa pelas horas de voluntariado.

Évora

Escola Básica n.º 1 de Vendas Novas

1. Diminuir os preços dos materiais recicláveis e aumentar os preços dos materiais não recicláveis.
2. Supermercados com máquinas para receber lixo para reciclar. As pessoas colocam o lixo e de acordo com esse peso recebem um talão de desconto no supermercado.
3. Grupos de voluntariado, para limpar as praias e as outras zonas costeiras, de modo a que o lixo não vá para os oceanos.

Évora

Escola Básica Padre Bento Pereira, Borba

1. Utilização de meios de transporte sustentáveis utilizando ouras formas de mobilidade, promovendo a utilização de bicicletas (deduzindo em impostos a aquisição) e diminuição do custo do aluguer.
2. Substituir a utilização de combustiveis fosseis nos cruzeiros, promovendo a utilização de fontes de energia alternativa deste meio de transporte.
3. Estimular a investigação na procura e soluções para utilizar recursos mais amigos do ambiente.

Évora

Escola Básica São João de Deus, Montemor-o-Novo

1. 1. Encarecer o plástico substituindo-o por materiais de partículas biodegradáveis tais como a mandioca.
2. 2. Colocar máquinas de pesagem de plásticos em pontos estratégicos das cidades, sendo que a pessoa irá ganhar um determinado número de pontos num cartão. Quanto maior o peso de plástico que a pessoa depositar mais pontos irá ganhar, podendo estes serem descontados em pontos atrativos da cidade.
3. 3. Desenvolver atividades de sensibilização nas escolas, através de campanhas, palestras, atividades práticas e demonstrações, fazendo desde cedo as gerações terem consciência dos problemas ambientais.

Évora

Escola Básica Sebastião da Gama, Estremoz

1. Nas grandes superfícies comerciais, substituir, os sacos de plástico, por outro tipo de sacos (“amigos do ambiente”) como por exemplo os sacos de papel ou pano.
2. Investir na investigação de produtos "ecosustentáveis, para com isso desenvolver novos métodos de produção. Diminuindo, por exemplo, cosméticos derivados de produtos marinhos, plásticos ou o peixe servido em cantinas públicas provenientes de pesca não sustentável.
3. Formação das "Brigadas de limpeza" nas escolas do pais (fazendo de cada turma uma brigada). Termos um ecoponto por sala. Cada brigada recolhe, pesa e coloca no ecoponto camarário. As brigadas vencedoras ganhariam prémios. Também acrescentando medidas punitivas.

Évora

Escola Profissional da Região Alentejo (Sede)

1. Combater o esgotamento de espécies marinhas
2. Diminuir o consumo e utilização do plástico
3. Desenvolver projetos de intervenção locais, de educação de comportamentos e proteção do ambiente

Évora

Escola Secundária Conde de Monsaraz, Reguengos de Monsaraz

Desistiu

Évora

Escola Secundária de Montemor-o-Novo

1. Parte dos impostos sobre produtos petrolíferos deverá financiar a redução dos impostos sobre energias renováveis e carros elétricos.
2. Reduzir o uso de plásticos incentivando a reciclagem, a reutilização e a aplicação de tara às embalagens de plástico.
3. Projeto ÁrvorKid- todos os anos, no Dia da Árvore, cada criança do pré-escolar e do 1º Ciclo planta uma árvore.

Évora

Escola Secundária de Vendas Novas

1. Criação de programas de voluntariado/campos de férias que visem a sensibilização e a limpeza de praias.
2. Substituir a utilização de sacos de plástico nos locais de comércio e restauração por sacos recicláveis com o mesmo nível de resistência do plástico.
3. Apoio ao desenvolvimento e à investigação científica e tecnológica, no âmbito da descoberta de novos materiais recicláveis que substituam eficazmente o plástico.

Évora

Escola Secundária Públia Hortênsia de Castro, Vila Viçosa

1. Criar uma associação governamental para que todos os cidadãos que recolhessem lixo do mar e das praias( e o entregassem na associação para ser reciclado)obtivessem uma recompensa do governo. Essa recompensa poderia ser a diminuição de impostos ou monetária.
2. Controlar os detritos/ descargas deitados pelas fábricas para os rios e mares/oceanos e punir aquelas que o fazem. através da legislação(aplicada efetivamente).
3. Realização de campanhas específicas, para sensibilização de toda a comunidade, com destaque particular para os mais jovens.

Évora

18 Escolas elegem 54 deputados: 36 deputados efetivos + 18 suplentes

Faro

Colégio Bernardette de Jesus Romeira

1. Substituição dos motores das embarcações que utilizam combustíveis fosseis por motores que usam energia renováveis.
2. Proibição de extração de petróleo junto à costa portuguesa.
3. Criação de uma disciplina de educação ambiental desde o pré-escolar.

Faro

Colégio de N.ª Sr.ª do Alto

1. Introdução de Atividades Práticas de Preservação dos Oceanos, no Currículo do Ensino Básico. Defendemos a introdução nos programas escolares do ensino básico de atividades práticas sobre a importância dos oceanos para a nossa sobrevivência, porque as crianças e jovens de hoje são o futuro e precisamos de os tornar cidadãos mais conscientes e pró-ativos.
2. Criação de Ecopontos a cada 500m de areal e substituição dos cinzeiros de plástico por alumínio. Devem ser colocados ecopontos a cada 500 metros do areal e postos de cinzeiros de alumínio em substituição do plástico atual. O lixo que fica diariamente nas praias portuguesas contribui grandemente para a poluição marinha e ambiental. A disponibilização de ecopontos permitirá que os utilizadores da praia não deixem lixo espalhado nem beatas de cigarro na areia, tão difíceis de degradar.
3. Aumento dos impostos sobre produtos importados. Pretendemos diminuir o preço dos produtos nacionais e regionais, aumentando as taxas alfandegárias sobre os importados, com o objetivo de reduzir as emissões de carbono, que provocam o efeito de estufa, o degelo e a destruição de habitats, emitidas pelos transportes dos produtos e assim aumentar a economia regional e nacional.

Faro

Colégio Internacional de Vilamoura

1. Recorrer mais a energias renováveis do que a não renováveis, utilizando o preço que é utilizado para extração de petróleo investindo-o em painéis solares, turbinas eólicas, etc...
2. Modificar a cota de carbono de uma fábrica dependendo do que fabrica (se fabricar eletrodomésticos mais sofisticados que poluam mais a fabricar, mais cota de carbono para essa fábrica; se for uma fábrica que fabrica eletrodomésticos mais antigos que poluam menos a fabricar, menos cota para essa fábrica).
3. Aumentar o uso de carros elétricos e transportes públicos reduzindo o preço, reduzir o uso de automóveis tradicionais.

Faro

Escola Básica D. Afonso III, Faro

1. Implementação de uma lei que obrigue todos os estabelecimentos comerciais a utilizar sacos de papel reciclado, de baixo custo e reduzir os sacos de plástico, disponibilizando também de sacos de pano a custo acessível.
2. Reforçar a lei que determina a época de pesca para cada tipo de peixe e o limite de quantidade de peixe que se pode pescar, através da criação de uma carta com pontos, semelhante à carta de condução. (D.L. 112/2017, capítulo II, secção I, artigos 6º. e 7º.)
3. A divisão da cidade por setores consoante a densidade populacional para a colocação de mais ecopontos, que incluam oleões e premiação do setor que maior quantidade de lixo e óleos recolher.

Faro

Escola Básica D. Dinis, Quarteira, Loulé

1. Diminuir a distribuição dos sacos de plásticos, através de medidas, tais como: aumentar a distribuição de sacos de papel por lojas e espaços de grandes superfícies; reutilizar as caixas de cartão já usadas nas lojas e armazéns; promover o uso de sacos de pano, baixando os preços dos mesmos.
2. Incentivar a recolha de lixo nas praias através de atividades a realizar nas escolas, nas empresas, nas prisões (em troca de horas de visita e de outros privilégios), nas casas de correção, bem como incentivar o voluntariado organizado pelas câmaras municipais.
3. Proteger as espécies marinhas através de barreiras flutuantes colocadas em barcos,implementando novas regras (mais firmes), proibindo a pesca no período do defeso e criando reservas de modo a garantir a sustentabilidade dos recursos naturais. Além disso, propõe-se a aplicação de multas mais severas aos pescadores/empresários e uma maior vigilância costeira.

Faro

Escola Básica D. Martim Fernandes, Albufeira

1. Declarar determinados habitats marítimos como áreas de proteção de espécies marinhas em risco, podendo assim proteger essas espécies que se encontram em vias de extinção, ou que sejam capturadas evitando a extinção em massa dessas espécies. Preservar as áreas litorais não contaminado com os resíduos urbanos acabando assim com as grandes extensões de plástico nos oceanos que atualmente formam ilhas maiores do que Portugal.
2. Financiar a construção de barcos/máquinas que consigam “despoluir os oceanos”, pois isso seria uma mais valia para a limpeza dos oceanos/ Conseguir arranjar soluções para limpar o lixo dos oceanos. Substituir a utilização de energias convencionais (poluentes) por energias limpas, agindo assim para que se consiga preservar os oceanos e toda a vida marinha.
3. Investir fortemente na educação e formação dos jovens e da população em geral, para que se consiga num futuro muito próximo que a reciclagem do lixo seja realizada pela maioria da população.

Faro

Escola Básica de Montenegro, Faro

1. Colocação de um sistema de filtragem nos canos de esgoto que despejam nos rios, lagos e oceano, para impedir a passagem de todo o tipo de resíduos visando a preservação dos recursos hídricos.
2. Criar áreas protegidas no Oceano Atlântico para preservar os ecossistemas marinhos.
3. Realizar campanhas para a redução do consumo de carne e promoção de uma alimentação com mais vegetais e frutas. Pois a crescente indústria de carne e os seus derivados produz gases que afetam o planeta (aquecimento global).

Faro

Escola Básica Dr. Alberto Iria, Olhão

Não cumpriu os objetivos da 1.ª fase

Faro

Escola Básica João da Rosa, Olhão

1. Combate legislativo ao plástico: substituição do plástico por outras substâncias não poluentes; diminuição do consumo de plástico (ex. não embalar o que consumimos em plástico, pois acaba nos oceanos; utilização de sacos de pano reutilizáveis; criação de pontos de abastecimento de água em locais públicos, como nas escolas, incentivando o uso do cantil); proibir objetos de plástico desnecessários (pratos e talheres de plástico; copos de plástico, palhinhas e algumas decorações).
2. Multiplicar e diversificar pontos de recolha de lixo e resíduos, distribuídos por diversos locais (praias, cais de embarque, parques, ciclovias, jardins, escolas), incentivando a recolha e a separação de materiais.
3. Evitar o derramamento de petróleo nos oceanos: Investir na investigação científica e na criação de embarcações que se movam com outro tipo de energia ou combustível que não prejudique a saúde dos oceanos.

Faro

Escola Básica José Carlos da Maia, Olhão

Não cumpriu os objetivos da 1.ª fase

Faro

Escola Básica Padre João Coelho Cabanita, Loulé

1. Implementação de ações escolares de sensibilização e promoção, em associação com a polícia marítima, capitania e escolas, no âmbito da eliminação e/ou redução de resíduos tóxicos e orgânicos para os oceanos concretizáveis em ações diretas, de intervenção e limpeza unindo alunos, pais e organismos de poder local.
2. Colocação de redes e filtros como forma de desintoxicar e purificar as águas impedindo a contaminação aquando do contacto de tubos de saneamento com qualquer fonte de água.
3. Atribuir, permitir incentivos fiscais às empresas que imponham nas suas unidades a substituição de plásticos por materiais recicláveis ou bio degradáveis.

Faro

Escola Básica Professor João Cónim, Estômbar, Lagoa

1. Incluir nos currículos dos alunos aulas práticas para realização campanhas de limpeza/manutenção das praias e/ou jardins/ florestas (cidadania ativa). Os jovens têm que estar mais consciencializados para as questões ambientais e de cidadania ativa. Consideramos que a escola tem um papel importante nesta sensibilização e acreditamos que a escola pode (e deve) incluir nos seus currículos ações específicas que permitam a realização destas ações, onde os alunos aprendam fazendo.
2. Reduzir o uso de plásticos nas escolas e utilizar energias renováveis nos edifícios públicos, garantindo que os fornecedores do estado são amigos do ambiente.O estado tem que dar o exemplo e compete a esta entidade garantir que, ela própria, também é amiga do ambiente.
3. Realizar campanhas de sensibilização no 1º ciclo dinamizadas por alunos do ensino básico. É importante que desde cedo as crianças se consciencializem para a questão das alterações climáticas. Acreditamos que as ações terão mais impacto se forem dinamizadas pelos seus pares, colegas mais velhos que querem dar o bom exemplo.

Faro

Escola Básica Rio Arade, Parchal, Lagoa

1. Criação, por parte das autarquias de Programas de jovens monitores do ambiente e aumento do uso de sacos do lixo biodegradáveis. - Esta medida vem no sentido de acabar com a poluição nas praias através da criação programas de ocupação de tempos livres de jovens monitores do ambiente que teriam a importante tarefa de realizarem ações de manutenção das praias e sensibilização durante as épocas turísticas. Esta medida também valoriza o uso de sacos de lixo biodegradáveis nestes ambientes.
2. Reduzir o uso de plástico nas escolas, com incentivo à utilização de garrafa reutilizável própria. - Queremos tentar reduzir ao máximo ou até mesmo acabar com o uso de plástico. O objetivo é que todos os alunos professores e até mesmo funcionários passem a usar a sua garrafa própria reutilizável, sendo que esta poderia ser enchida gratuitamente no bar (água de garrafão). Futuramente, e se se revelar uma prática com adesão, poderia-se usar o mesmo conceito para outras bebidas.
3. Criação do Dia Escolar da Sustentabilidade - Queremos criar impacto sobre este tema e este seria um dia reservado para a realização de atividades de perservação do ambiente. Todas as escolas teriam de aderir e todos os alunos teriam a oportunidade de contribuir ativamente para esta causa, apoiando ações de limpeza/manutenção das praias, jardins, floresta ou até mesmo na escola.Com isto, no terreno e em ação, os jovens teriam noção da importancia deste tema.

Faro

Escola Básica São Vicente, Vila do Bispo

Desistiu

Faro

Escola Secundária de Vila Real de Santo António

Desistiu

Faro

Escola Secundária João de Deus, Faro

1. - Desenvolver transportes públicos movidos a energias renováveis e não poluentes, gratuitos e eficazes, nas cidades.
2. - Restringir ao máximo o uso de plástico e o seu efeito através da proibição da comercialização de plásticos descartáveis e não reutilizáveis nas superfícies comerciais, acrescentando ao preço de garrafas de plástico uma tara de valor significativo, recuperável em pontos de reciclagem acessíveis à população e implementando constantes campanhas de limpeza da costa marítima e outros espaços.
3. - Estabelecer taxas de IVA muito reduzidas para produtos resultantes de um modo de produção com utilização de energias renováveis não poluentes e agravar o mesmo imposto nos produtos resultantes de utilização de energias altamente poluentes (combustíveis fósseis - carvão mineral e vegetal, energia nuclear, petróleo e gás natural.)

Faro

Escola Secundária Tomás Cabreira, Faro

1. Investimento nas energias renováveis em Portugal, direcionando o investimento para as formas de obter energia mais adequadas às condições geográficas e climáticas do país (solar, geotérmica,eólica,ondas,etc.)
2. Extensão das redes ciclovias e de transporte público, incentivando a sua utilização por parte da população, e implementação gradual das energias alternativas nos transportes, designadamente a motricidade elétrica, através de políticas fiscais mais favoráveis a este tipo de meio de locomoção.
3. Incentivo ao consumo de produto alimentar nacional/regional, com o objetivo de diminuir a poluição proveniente do transporte de mercadorias importadas de grandes distâncias e gradualmente edificar estufas verticais de forma a contribuir para um melhor aproveitamento de áreas para repovoamento florestal, uma vez que as florestas são excelentes formas de fixação de carbono atmosférico.

Faro

Nobel International School Algarve

1. Criação de um suporte, na construção urbana, de forma a que se ocorrer uma catástrofe, de origem marinha, não afete tanto as populações que estão dentro das suas habitações.
2. Criação de uma organização que crie habitats artificiais, para quando ocorrerem alterações climáticas, os animais sejam protegidos.
3. Existirem máquinas no interior das superfícies comerciais, que possibilitem trocar resíduos de plástico e vidro por dinheiro ou por senhas de alimentos.

Faro

14 Escolas elegem 56 deputados: 42 deputados efetivos + 14 suplentes

Guarda

Escola Básica Carolina Beatriz Ângelo, Guarda

1. Incentivos fiscais às pessoas e às empresas que utilizam os transportes públicos ou veículos pessoais menos poluentes (híbridos/elétricos)
2. Promover nas escolas nacionais campanhas de sensibilização para o consumo de produtos locais, assegurando o desenvolvimento económico e sua sustentabilidade a nível local.
3. Aumentar a produção de espécies aquáticas em cativeiro (incentivo à aquacultura).

Guarda

Escola Básica de São Miguel, Guarda

1. O governo deve disponibilizar verbas com o intuito de incentivar a pesquisa científica e tecnológica para obter a total substituição dos plásticos por materiais biodegradáveis.
2. Distribuir máquinas nos grandes centros urbanos e nos meios rurais que possibilitem a troca de utensílios de plástico (garrafas, sacos, talheres, etc.) por cheques-oferta/cupões que devem reverter a favor dos centros de investigação oceanográfica.
3. Sensibilizar as autarquias para a implementação de uma rede mais abrangente de ecopontos de pequeno tamanho em lugares estratégicos, nas áreas de maior acessibilidade, quer urbanas quer rurais.

Guarda

Escola Básica Dr. Guilherme Correia de Carvalho, Seia

1. Através de subsídios,incentivar a criação de peixes em cativeiro para consumo humano, incrementando o aumento da biodiversidade marinha e reduzindo a pesca em águas abertas.
2. Atuar legislativamente sobre quem não deposita os plásticos (e outros resíduos) nos devidos ecopontos, aumentando a fiscalização / vigilância e consciencializando a população para possíveis alternativas a este material tão prejudicial não só para os oceanos como também para todo o planeta.
3. Tratamento das águaa dos esgotos, controlando o uso e ocupação dos solos a nível antrópico (adubos e outros fertilizantes ricos em nitrogénio e fósforo) nas margens dos rios e nos terrenos próximos dos mares, diminuindo a eutrofização das águas e aumentando a biodiversidade marinha.

Guarda

Escola Básica e Secundária de Fornos de Algodres

1. 1. Proibição de venda de produtos que contenham microplásticos (como por exemplo, os microbeads).
2. 2. Ciência viva em meio aquático.
3. Impedir a utilização de todos os plásticos descartáveis em empresas públicas/governamentais, adotar a venda de produtos reutilizáveis e atribuir incentivos fiscais para empresas privadas que sigam o mesmo caminho. O governo deve criar um guia ambiental que complementarmente ajude as empresas a tomar decisões ambientais mais conscientes.

Guarda

Escola Básica e Secundária Sacadura Cabral, Celorico da Beira

Desistiu

Guarda

Escola Básica n.º 2 de Manteigas

1. Haver maior controlo dos barcos de bandeira portuguesa, por parte da polícia marítima, para evitar o consumo de combustíveis muito poluentes.
2. Criar/alterar a legislação de forma a beneficiar com incentivos fiscais todas as associações de limpeza dos rios e oceanos.
3. Aplicar coimas mais pesadas para empresas e fábricas que ultrapassem os limites de poluição, situadas junto a rios e oceanos, podendo mesmo ser encerradas.

Guarda

Escola Secundária da Sé, Guarda

1. 1- Implementação de Educação Ecológica em toda a rede escolar, desde o ensino pré-escolar até ao sexto ano de escolaridade. Estudos científicos têm mostrado que são a faixa etária que melhor interage com o adulto, onde “aprender fazendo” desperta o gosto pela ação.
2. 2- Aposta na investigação científica para a redução do uso e consequente produção de plástico, a curto /médio prazo. Pretende-se reduzir a exploração e consumo de recursos naturais para preservar a sustentabilidade, económica, social e ambiental do planeta, através da descoberta de novos produtos amigos do ambiente. Um pequeno gesto de cada homem, um grande passo para a mudança ou se muitos fizerem o pouco que podem, o pouco será muito. A palavra mágica é ACREDITAR.
3. Criação de um movimento de cidadania nacional que venha a ter assento parlamentar. Deste encontro de colegas que se disponibilizaram para defender causas, como esta da preservação dos oceanos, cresça a vontade de defesa dos recursos hídricos e de todos os recursos em geral, obrigando políticos e industriais a cumprir a estar do lado da ciência. O compromisso é sério e o nosso voto far-se-á dentro de quatro anos, quando formos chamados às urnas.

Guarda

Escola Secundária de Figueira de Castelo Rodrigo

1. Os particulares devem receber benefícios fiscais ou uma quantia pecuniária pela entrega, em locais próprios, das embalagens devidamente separadas. Os benefícios são calculados de acordo com a quantidade de embalagens entregues (vidro, plástico, papel, pilhas, lâmpadas, ...).
2. As empresas, pelo tratamento e entrega de lixo separado, devem receber incentivos fiscais significativos e apoios para a construção de estações de tratamento de resíduos decorrentes da produção do seu ramo de atividade, nas suas instalações.
3. Os consumidores finais devem ser portadores de sacos de tecido de origem vegetal e garrafas de vidro para adquirirem os produtos de venda avulsa (cujo manuseamento higiénico e condições de conservação possam ser garantidos), tendo direito a um desconto no preço final pela redução de embalagens plásticas.

Guarda

Escola Secundária de Gouveia

Desistiu

Guarda

Escola Secundária de Pinhel

1. Criação da disciplina de Educação Ambiental nas escolas de ensino básico.
2. Para evitar o degelo glaciar que poria em causa a quantidade de água disponível, a indústria e o parque automóvel terá que reduzir a quantidade de GEE emitidos para a atmosfera, utilizando outros meios de transporte, que utilizem energias alternativas, renováveis e não poluentes, sendo necessário fazer uma fiscalização eficaz, beneficiando quem cumpre.
3. Evitar o uso de utensílios descartáveis, substituindo-os por copos de cartão ou copos biodegradáveis. Trocar os guardanapos de papel por guardanapos de pano.

Guarda

Escola Secundária Gonçalo Anes Bandarra, Trancoso

1. Evitar usar o carro próprio para trajetos curtos (caso não seja viável, tentar procurar sempre, compartilhar o carro com outras pessoas) e dar preferência aos transportes públicos (especialmente àqueles que não emitem gases tóxicos), à deslocação de bicicleta ou a pé.
2. Promover a prevenção e minimização do desperdício, desenvolver ações de consumo e produção sustentáveis, com vista à adoção dos 3Rs – reduzir, reutilizar e reciclar –, através, do incentivo de soluções voltadas para um mercado que contribua para a redução de resíduos (plásticos e microplásticos) e o desenvolvimento de alternativas como produtos reutilizáveis, recicláveis ou biodegradáveis.
3. Promover a redução da pesca intensiva de determinadas espécies, para evitar sua extinção.

Guarda

Escola Básica e Secundária Tenente Coronel Adão Carrapatoso, Vila Nova de Foz Côa

1. Criação de Ecopontos inteligentes que sejam capazes de identificar os cidadãos que façam a reciclagem, compensando-os com prémios.
2. Criar campanhas de sensibilização diárias em todos os meios de comunicação social referentes à sustentabilidade ambiental, sempre em horário nobre.
3. Criação de medidas de incentivo fiscal que promovam a mobilidade (preferencialmente) em transportes públicos e/ou em transportes particulares que utilizem energias limpas

Guarda

10 Escolas elegem 50 deputados: 40 deputados efetivos + 10 suplentes

Leiria

Escola Básica Amadeu Gaudêncio, Nazaré

1. Incentivar a produção de energia elétrica a partir dos oceanos. O estado apoiará as empresas que invistam na investigação de tecnologia e produção industrial, através de apoios diretos ou criação de linhas de crédito para o efeito.
2. Incentivo para a aquisição/uso de embarcações com motorização elétrica (embarcações de recreio e pesca loca). Apoio à substituição das embarcações existentes pelas novas com motorização elétrica, ou compra de 1ª embarcação.
3. Redução do uso de plásticos, que acabam por se acumular, muitos deles nos oceanos. Assim deverão ser criadas medidas que penalizam a utilização de plásticos e incentivos à utilização de materiais de reduzido impacto ambiental que os substituam e cuja produção tenha uma reduzida pegada ecológica.

Leiria

Escola Básica D. João II, Caldas da Rainha

1. Sensibilização para a reciclagem e para a preservação dos oceanos com a recolha mensal de lixo, nomeadamente plástico, pelos alunos da escola, para posterior elaboração de esculturas de animais marinhos, nas aulas de educação visual. As esculturas seriam legendadas e colocadas em locais públicos, junto ao comércio local.
2. Colocação de filtros nas torneiras das escolas, tornando a água potável e fazendo com que o uso de garrafas de plástico diminua. Assim os alunos usariam o seu cantil que seria patrocinado pelo comércio local.
3. Cartão contra plástico – cada aluno receberá, no inicio do ano, um cartão onde poderá acumular pontos em troca de garrafas de garrafas de plástico entregues. Quando o aluno completar o cartão poderá receber um cantil e em próximos cartões poderão adquirir em troca, algo essencial para a sua alimentação.

Leiria

Escola Básica da Benedita, Alcobaça

1. Proibir o uso de sacos de plástico, evitar os sacos de papel, que provêm, na sua maioria, de pasta de papel, obtida a partir dos eucaliptos e fomentar o uso de sacos de pano, que são reutilizáveis, baixando o seu custo.
2. Proibir a total utilização de microplásticos em produtos e processos industriais (ex.: indústria cosmética, campos de relva sintética, sistemas de limpeza industrial, etc.) e minimizar a introdução de microplásticos no meio aquático através do aumento da eficiência de remoção dos mesmos em ETAR;
3. Reduzir a produção de plástico e a extração de petróleo.

Leiria

Escola Básica e Secundária de São Martinho do Porto, Alcobaça

1. 1.Utilização de filtros nas chaminés em todas as fábricas para fazer diminuir a libertação de gases, o que dificultará a captação de infravermelhos que poderiam vir a ser radiados numa onda de energia mais forte que a radiação solar pelos gases, aquecendo muito mais a superfície terrestre.
2. 2.Promover uma política ambiental que tenha por base o investimento na reciclagem do plástico, da borracha e dos tecidos encontrados nos oceanos; propor a aquisição de uma máquina designada Seabin para captura do plástico; implementar também medidas para reduzir o consumo de garrafas de plástico, a começar no bar da escola; implementar práticas “amigas do ambiente” e sustentáveis. Com esta medida propõe-se salvaguardar a biodiversidade marinha e a qualidade da água dos oceanos.
3. 3. Promover uma educação ambiental que tenha por base as seguintes ações: -sensibilização junto dos alunos para que cresçam com alguma preocupação com o planeta e tentem evitar erros cometidos pelas gerações mais antigas; - limpeza das praias em todas as escolas localizadas junto ao mar, fazendo-se um escalonamento de serviço de limpeza pelo 1º ciclo, 2º e 3º ciclo e secundário.

Leiria

Escola Básica e Secundária Josefa de Óbidos, Óbidos

1. - IMPLEMENTAR UM RÓTULO DE PEGADA DE CARBONO EM TODOS OS PRODUTOS TRANSFORMADOS
2. - IMPLEMENTAR A MEDIÇÃO DO CONSUMO ENERGÉTICO DE ELETRICIDADE EM TEMPO REAL
3. - IMPLEMENTAR A DEDUÇÃO NOS IMPOSTOS (IRS) EM TODAS AS DESPESAS NOS TRANSPORTES PÚBLICOS

Leiria

Escola Secundária D. Inês de Castro, Alcobaça

1. Substituir a venda de garrafas de água de plástico pela instalação de bebedouros, promovendo o uso de garrafas reutilizáveis. As embalagens de plástico do pão e da fruta deveriam ser substituídas por papel. De acordo com os padrões de uma alimentação saudável, adequar as ementas escolares promovendo maior consumo de cereais, frutos e legumes, substituindo-se a carne bovina por outras fontes de proteína cuja produção tenha menor impacto ambiental.
2. Atingindo estes padrões de sustentabilidade, seria atribuído às escolas um galardão de Escola Saudável/Sustentável, beneficiando de apoios financeiros ou materiais, através da lei do mecenato, que permitissem a instalação de painéis solares, bebedouros, jogos nos pátios e recreios, hortas pedagógicas escolares ou urbanas, economizadores de água nas torneiras, aproveitamento das águas das chuvas para lavagens, regas, entre outras medidas.
3. As indústrias dos cimentos, moldes, pecuárias e o sector agrícola da região, são também responsáveis por um elevado grau de poluição. A aplicação do princípio do poluidor/pagador, agravando-se as sanções em caso de incumprimento. O incumprimento só penalizará os infratores se as sanções tiverem um impacto significativo. As empresas cumpridoras deverão ser compensadas através da redução da sua carga fiscal.

Leiria

Escola Secundária Rafael Bordalo Pinheiro, Caldas da Rainha

1. Criação de uma zona protegida na Foz do Arelho, ou seja, legislação que regule e proteja a lagoa de Óbidos e a sua ligação à praia da Foz.
2. Criação de uma carrinha de "Plástico Vai e Vem" para promover a recolha de plástico em zonas rurais onde sejam quase inexistentes os ecopontos, com a colaboração de ações de sensibilização para as povoações em parceria com as juntas de freguesia.
3. Redução do uso de plástico nas Escolas, através da colocação de garrafas de vidro na sala de professores e garrafões de 5 litros para os alunos encherem as suas garrafas.

Leiria

Escola Secundária Raul Proença, Caldas da Rainha

1. Criação de uma taxa variável, por município, que fosse calculada de acordo com a produção de resíduos urbanos, per capita. Com base no cálculo anual da população do município e da produção de resíduos urbanos do mesmo, este valor, implícito no recibo da água, sofreria um aumento ou diminuição anualmente. O município, as escolas e várias organizações, promoveriam várias campanhas para sensibilizar os munícipes.
2. Intervenção do Ministério de Educação nos programas curriculares do ensino básico e secundário, inserindo ou reforçando aprendizagens ligadas ao conhecimento do contributo das ações humanas para as alterações climáticas e o seu impacto na vida dos oceanos.
3. Incremento por parte do Ministério de Educação de garrafas de plástico reciclado, resistentes (personalizadas), para serem utilizadas pelos alunos do 1.º ciclo. A iniciativa começaria pela abertura de um concurso a nível nacional, com um regulamento específico, para os alunos deste ciclo, procurando encontrar o modelo a utilizar. A entrega da garrafa seria acompanhada por ações de sensibilização (alunos/encarregados de educação) e pelo fim da venda das águas em plástico em contexto escolar.

Leiria

Externato Cooperativo da Benedita

1. Promover a educação ambiental com duas áreas prioritárias: 1- criando uma saída de campo onde uma turma, por mês, se deslocava às praias locais e efetuava uma recolha de resíduos. 2- Implementar jogos nos jardins de infância com a finalidade de alertar para as espécies em risco no Oceano
2. Promover a reciclagem nas casas de habitação Colocar pequenos ecopontos nas casas, tendo uma recolha regular. Disponibilizar aos habitantes sacos recicláveis para evitar a deposição na rua ou rios
3. Sensibilizar para a necessidade de acabar com os esgotos a céu aberto, completando em todo o país a rede de saneamento básico e seu efetivo tratamento.